terça-feira, 25 de abril de 2017

A DECISÃO DO PAULISTÃO.

Estive naquela decisão do título paulista entre Corinthians x Ponte Preta no Morumbi.
Ano de 1977.

Eu trabalhava na rádio/TV Gazeta de São Paulo e fui escalado para fazer a abertura da jornada que culminaria com a narração do saudoso JOSÉ ITALIANO.

Tudo o que envolveu aquela decisão foi muito ardente.
Houve tantas ilações, deduções, achismos, pois o Timão fazia muito tempo que não levantava um título, e para muitos até a interferência do Governo do Estado entraria na corrente para ajudar o alvinegro de Parque São Jorge.

Não entro no mérito do jogo em si, do resultado, pois cada um interpretou à sua maneira, e ninguém até hoje provou nada sobre as suspeitas levantadas.

A expulsão do atacante Ruy Rei logo no inicio do jogo foi o estopim para conclusões sobre influência superior e externa na partida.
O governador era torcedor do Corinthians e isso também gerou muita chiadeira.
* Paulo Egídio Martins era o governador.

O saudoso Dulcídio Wanderlei Boschilla, árbitro daquela partida, de forte personalidade, enérgico nas suas atuações, temperamental, ficou marcado pela expulsão e para muita gente estava na "gaveta" (como se costuma dizer na giria futebolística).

Ele sempre foi categórico ao se defender dizendo que se tinha dinheiro para "comprá-lo", a grana parou em algum lugar pois nunca chegou às suas mãos.
* detalhe: Dulcídio era torcedor do São Paulo FC.

A pressão era tão forte para que o Corinthians fosse o campeão que até sobrou para o então presidente da Ponte, Lauro Moraes.  Cogitou-se que o dirigente teria entregado a partida para em troca ganhar o prefixo de uma rádio em Campinas ( hoje, rádio Central ).

Falou-se também que o atacante Ruy Rei é que estava sendo subornado para provocar a expulsão logo no começo da partida.
* tempos depois o jogador atuou pelo Corinthians.

Enfim, foi uma saraivada de opiniões que indicavam uma grande conspiração para que a Macaca não fosse a campeã.

Agora, quatro décadas passadas, os dois alvinegros voltam a decidir o estadual.

Outros tempos, outra época, nova realidade.

Que a decisão seja limpa, honesta, esportiva.
Que as torcidas se comportem civilizadamente.
Dirigentes e jogadores, mais treinadores, idem.

Boa sorte a quem for atuar pela arbitragem nas duas partidas.
E partindo do princípio de que os membros da arbitragem são honestos, sérios, que os seus erros sejam relevados, pois são seres humanos e passíveis de equívocos.

Sempre digo que os jogadores ao longo de 90 minutos cometem falhas e mais falhas, e que com apenas um erro do árbitro tudo recai sobre ele, que na verdade errou menos que os demais no computo geral.
Sempre entendi que como são todos errantes, humanos, num jogo de futebol, por que a arbitragem tem de ser perfeita?
* e é claro com a devida presunção de que a honestidade impera nos senhores do apito.

Afinal de contas, o futebol não é apenas rivalidade, competição, profissional, mas sim espetáculo para entreter o povo.
Ganhe quem ganhar, o importante é fazer dessas finais um produto rico em qualidade e emoção.











SUPERLIGA AO VIVO!

Tenho escala de trabalho para esta quinta-feira, dia 27.

Semifinais da Superliga masculina, jogo 4.
Sesi x Taubaté às 19:30 em São Caetano do Sul.
Ao vivo no Sportv-2.

Na série melhor de 5 partidas está dois a um para a equipe do Vale do Paraíba.

O Cruzeiro já é finalista depois de eliminar o time de Campinas.

Nosso time de transmissão:  Jota, Carlão, Pedro Mota, Leozinho Taunay, Manoela Ache e equipe Globosat no local e retaguarda/Rio.

Muitos campeões olimpicos e mundiais em quadra.


segunda-feira, 24 de abril de 2017

QUE MOMENTO TRISTE, BRASIL!

A inversão de valores é tão grande nos dias de hoje que chega a assustar.

Há quem não se espante mais, porém eu ainda fico indignado.

Não sou perfeito - nem pretendo ser - mas há coisas tão óbvias do meu ponto de vista quanto à ética, honestidade e propósitos que precisariam ser minimamente praticadas, respeitadas.

Vivemos dias em que os ladrões continuam a ser endeusados, aclamados, enaltecidos.

Vivemos dias em que comportamentos éticos, decentes, como foi o caso do jogador do São Paulo, Rodrigo Caio, são contestados, repelidos, rotulados das mais absurdas imbecilidades que já ouvimos.

Estamos sendo obrigados a declarar combate a quem levanta bandeiras da baderna, do terrorismo social, da indecência moral, pois isso deveria ser lema de quem é dotado de inteligência e raciocínio.

No caso do País, roubaram tanto, desviaram tanto dinheiro, praticaram tanto o criminoso tráfego de influências, há décadas e décadas, que hoje temos milhões e milhões de chefes de família sem emprego e sem qualquer boa perspectiva.
Quantas empresas quebraram pela roubalheira e pela incompetência administrativa dos governantes brasileiros ao longo do tempo.
E aqui não isento ninguém dessa culpabilidade.
Todos os que sentaram na poltrona presidencial contribuíram negativamente para o caos em que hoje nos encontramos.

Estamos chegando ao cúmulo de generalizar a classe política e empresarial, de tanto que roubaram, quando sabemos que há exceções em tudo na vida.
Mas como pinçar os de boa índole?
Como separar a "coisa" ruim da boa num contexto como o atual?

O cinismo dos políticos e empresários envolvidos nos escândalos é uma afronta a quem vive honestamente, pagando seus tributos e ganhando muito mal ( isto quando não enfrenta o cruel desemprego ).

A batalha de alguns políticos em Brasilia para manter suas regalias jurídicas ante denúncias é imunda.
O desejo deles quebrarem a autoridade e a autonomia do Judiciário é indecente.
A "legalização" do famigerado Caixa-2 para poderem continuar a deitar e rolar nas campanhas é uma imundície.

Nossos políticos pisam em mar de dejetos ( expelidos, produzidos por eles próprios ).

Lama produzida pela indecência de seus próprios comportamentos, seja manipulando, seja se calando, se omitindo.

E o povo também é culpado, em parte, pela irresponsabilidade do seu voto.
Continuamos a reeleger figuras carimbadas da esculhambação e da sujeira dos bastidores.

Chegamos ao cúmulo de querer barrar um trabalho como o da LavaJato, inédito na história do País, alegando que é parcial, político e oportunista.
Enaltecem os ladrões, os corruptos e os manipuladores da política em Brasilia, e condenam quem está querendo LIMPAR o Brasil, sanear efetivamente os sujos bastidores.

Não tenho nem nunca tive admiração ou simpatia por nenhum partido brasileiro.
Sempre tive dois pés atrás quanto aos políticos.
Sou brasileiro e quero o melhor para os meus descendentes.
Às favas as ideologias e os devotos de líderes políticos.

Não idolatro ladrões.    Na verdade tenho pena deles.
Mas tenho mais pena de quem é vítima da ação desses larápios nacionais.















quarta-feira, 19 de abril de 2017

PALMEIRAS x PONTE, SÁBADO.

Escala do final de semana.

Palmeiras x Ponte, 7 da noite, em São Paulo.
Ao vivo pelo Premiére e PFC Internacional.

Lá estarei com Luiz Ademar, André Hernan, Tiago Crespo e grande equipe.

Semifinais do Paulistão, jogo decisivo para passar às finais.

Na primeira partida, 3 a 0 para a equipe alvinegra de Campinas.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

RODRIGO CAIO. NOTA DEZ.

Na atitude do zagueiro Rodrigo Caio no clássico com o Corinthians, alertando e corrigindo o árbitro na exibição equivocada do cartão ao atacante Jô, ainda vemos indivíduos desequilibrados achando que o jogador tricolor errou ou foi "juvenil" como alguns gostam de chamar.

Num País onde pessoas canonizam políticos ladrões nada mais nos espanta.

Num País onde nos jogos de futebol parte das torcidas desrespeita o Hino Nacional, tudo pode acontecer.

Num País onde dentro de um estádio/arena o cidadão se acha livre de limites éticos e age de maneira troglodita, com palavras e ações, toda reação animalesca e antissocial tem sido compreensiva, lamentavelmente.

O mundo está empesteado de pessoas de má índole, más intenções, delinquentes no comportamento social.

É difícil não jogar a toalha e desistir, mas a ordem é seguir combatendo esses vermes que se acham inteligentes, espertos, acima do bem e do mal.

O exemplo do jogador do São Paulo precisa ser mais reverberado.

Não desistamos de enaltecer o que não precisaria ser, ou seja, as boas ações, a honestidade, a ética e a lealdade aos bons princípios.

Mesmo que nos dias de hoje as boas atitudes pareçam exceção, é preciso elevá-las nos espaços que tivermos nas redes sociais ou nas rodas de papos.






LUCIANO DO VALLE - 3 ANOS.

Nesta quarta, dia 19, lembrança de 3 anos sem LUCIANO DO VALLE.

Eu em Porto Alegre numa das cabines do Beira-Rio me preparando para uma transmissão de abertura do Campeonato Brasileiro ao lado de Juliano Belletti e a notícia que chegava.

Tudo parecia um sonho, a torcida para que fosse um equívoco, alguns instantes de intensa expectativa pois estavam tentando confirmar a notícia...

...mas o amigo e irmão realmente deixava o Plano Físico na cidade de Uberlândia. 

Respirei fundo, não consegui chorar, olhei para o Belletti e sem dizer uma palavra fizemos um pacto visual de que faríamos a transmissão em homenagem a ele.

Fui consultado pelos diretores da emissora se teria condições de fazer a jornada, acenei positivamente e fomos para a missão de trabalho, muito dolorosa naquele dia.

Luciano teve contribuição imensurável para a televisão e para o esporte.
Ousado quando decidiu deixar a titularidade da TV Globo logo após a Copa do Mundo de 1982 e iniciar empreitada empresarial na TV Record.

Ele, Quico e Cocco, dois sócios no projeto, acreditaram no empreendimento e foram arrojados ao extremo.

Depois da Record, a Bandeirantes e o SHOW DO ESPORTE, até hoje lembrado e celebrado por muita gente.

Tive a enorme satisfação e o orgulho de pertencer àquele time.

Foram 15 anos de trabalho, arrojo, sucesso e reconhecimento nacional.

Tudo isso sem falar de Luciano do Valle, GENTE, PESSOA!

Vaidoso no seu trabalho, extremamente competente, não admitia erros, comandou a equipe com energia, porém sempre com muito carinho e respeito aos profissionais.

Levou para a equipe até alguns desafetos que estavam desempregados e deu oportunidade a ex-jogadores de renome na função de analistas especializados.

Deu espaço e amplitude a várias modalidades esportivas, que antes jamais tinham vez na televisão brasileira.

Tinha um coração gigante, o Luciano.
Fui testemunha em diversas oportunidades do quanto ele era emoção, antes de ser diretor de esportes e o grande narrador que foi.

Meu carinho e meu respeito pelo amigo são eternos.


















quarta-feira, 12 de abril de 2017

FUTEBOL E VÔLEI NA SEMANA

Volto às transmissões Sportv-Premiere e PFC Internacional nesta semana.

Na quinta em Campinas com as semifinais da Superliga masculina.
O time da casa recebe o Cruzeiro pela segunda rodada ( série melhor-de-5 ).
Na primeira partida o clube mineiro venceu em Contagem.

O jogo desta quinta é no Taquaral às 10 da noite.
Transmissão do Sportv-2 ao vivo.
Estarei com Nalbert, Livia Laranjeira e grande equipe.

Domingo estarei novamente em Campinas.
Paulistão, 4 da tarde, Ponte x Palmeiras, primeira rodada das semifinais.
Sportv ao vivo.
Mauricio Noriega, Wagner Vilaron, Filipe Cury, André Hernan e mais dezenas de profissionais envolvidos na missão.



segunda-feira, 10 de abril de 2017

SUPERLIGA NA QUINTA FEIRA.

Volto às atividades nos canais Sportv e Premiére na quinta-feira.

Voltarei com as semifinais da Superliga masculina.
Campinas x Cruzeiro, os finalistas da temporada passada, se enfrentam.
O jogo é no ginásio do Parque Taquaral em Campinas às 21:55h.

O time mineiro ganhou a primeira de uma série melhor-de-5.

Cruzeiro buscando seu quinto título da Superliga.

Esta partida será ao vivo pelo Sportv-2.
Estarei com Nalbert comentando e Lívia Laranjeira nas reportagens.

Boa semana a todos!




quarta-feira, 5 de abril de 2017

HINO NACIONAL

Assim como acho que não haveria a necessidade de apresentar o Hino Nacional antes de todos os jogos, entendo também que deveria haver o respeito dos presentes aos estádios.

Há uma parcela de torcedores que, ou ignora o Hino, ou substitui a letra dele por gritos de seus clubes do coração.

Essa falta de sensibilidade ou de nacionalismo explica perfeitamente tudo o que estamos vivendo atualmente.

Muita gente pensa que o País onde vivemos é apenas um detalhe.
Não.  Não é.

Aqui fomos inseridos por alguma razão muito forte e ainda incompreensível a nós, mas que num mínimo de raciocínio nos remete ao nosso "encaixe" nessa Pátria.

Devemos criticar e até não render homenagens aos políticos que estão querendo destruir o País, mas o Brasil em si é a nossa casa.
Nossos antecessores aqui aportaram e deram contribuição positiva ao crescimento e desenvolvimento dessa nossa terra.
Nós aqui estamos tentando dar o nosso quinhão, também.
Um dia partiremos e nossos descendentes seguirão com suas missões de vida e de trabalho.

Respeitar o Hino Nacional me parece é o mínimo que podemos fazer em sinal de respeito à Nação que nos acolheu desde o nascimento.

Fico incomodado quando nos estádios/arenas o Hino é desrespeitado por algumas pessoas.
E projeto para o dia a dia essa falta de amor à Pátria por parte desses cidadãos.

Nossos símbolos são importantes, sim, por mais que se queira ignorá-los.




terça-feira, 4 de abril de 2017

PARADA

Uma parada de apenas 10 dias nas minhas transmissões pelo Sportv/Premiere.

Mini-férias.

Volto dia 13 com a Superliga, semifinais, Campinas x Cruzeiro.

Mas continuarei a postar por aqui.