quinta-feira, 23 de outubro de 2014

PALMEIRAS x CORINTHIANS, SÁBADO AO VIVO.

A escala de trabalho me coloca no Pacaembu neste sábado.

Tem clássico paulista na rodada do Brasileiro.
Palmeiras x Corinthians.
Vai começar às 16:20 (horário de verão).
Rodada 31.
A antiga rivalidade em campo.

O jogo terá a transmissão do Premiére-HD e também do PFC Internacional.

Estarei na jornada com Wagner Vilaron, Fabíola Andrade e Felipe Brisolla.
Geração no estádio da equipe Globosat.

Participaremos do programa TÁ NA ÁREA, do Sportv, à partir das 15 horas.


quarta-feira, 22 de outubro de 2014

O PRAZER DA PAZ NOS GINÁSIOS

Vão começar as escalas da Superliga.

Além da qualidade técnica do vôlei brasileiro, e já faz tempo, narrar esse esporte é muito prazeroso.

A Superliga é bem organizada e os jogos muito atraentes.

Destaque também para o clima nos ginásios.  Melhor, impossível.
Público que participa ativamente e que se respeita.
Mesmo sem ter a intensa rivalidade do futebol, obviamente, as torcidas sabem dos seus limites e se comportam dignamente.

Só tenho lembrança de pequeno tumulto em um ginásio, em jogo de vôlei, anos atrás em Suzano, quando os envolvidos pertenciam à uma organizada do futebol e que se infiltraram no ginásio para destilar seus baixos instintos.

Predominam as famílias nas partidas de vôlei.

A Superliga tem início neste final de semana e minha primeira escala é dia 30/10 em São José dos Campos.    O time da casa vai pegar o Cruzeiro.

Muito bom.



segunda-feira, 20 de outubro de 2014

URNAS E A OBRIGATORIEDADE.

Como o tempo vai nos mudando.  E é claro, para melhor ou para pior.

Isto não deve ocorrer com todas as pessoas, obviamente, mas comigo muita coisa se modificou em interesse e posições sociais e políticas.

Amigos e amigas, não parei uma única vez para assistir à propaganda política neste ano.
Cansei dos mesmos discursos, das mesmas promessas e principalmente das trocas de farpas pessoais, relegando o País e seus problemas a um segundo plano.

Não votei no primeiro turno pois estava fora do Brasil.
Mas domingo terei de comparecer à urna.
O tempo também me deixou arredio a tudo o que é obrigatório.
Ora, se vivemos em democracia, por que sou obrigado a isto ou àquilo?

Na democracia há direitos e obrigações, é claro.
Mas decidir se vou às urnas votar ou não, tem de ser algo meu, íntimo.
Basta nos tempos da ditadura quando tocar uma música em meu programa de rádio precisava passar por um crivo de censura.
Havia uma lista das músicas "proibidas" de execução nas emissoras.
Isto e muito mais....

Portanto, respeito profundamente as pessoas que amam a disputa eleitoral e que se engajam diretamente nas discussões, mas não é a minha praia.

Perdi a confiança na imensa maioria dos homens públicos - e aqui confesso errar em radicalizar, pois deve haver gente séria nesse meio.
Acho que perdi a confiança no "sistema" que predomina, sufocando as pessoas de bem e que chegam aos governos com a melhor das intenções.

Achei que deveria expor a minha posição, até como uma maneira de "discutir" o momento político que atravessamos.  
Se não ando nada entusiasmado com as eleições, deixo claro que cada um deve bater no peito e desfechar o que deseja fazer.

Vou à minha secção eleitoral domingo por força da lei.
Nada do que aí está corresponde aos meus conceitos.
E estou aberto às críticas e condenações pela posição que assumo.

Ser obrigado a votar, num País democrático, é um desrespeito à liberdade de expressão do cidadão.

Penso sim no meu País e no que será herdado pelos meus filhos e netos, mas precisamos evoluir no processo democrático.  

O melhor legado para as gerações é libertar as pessoas de amarras, resquícios da ditadura militar.

E que os homens públicos reflitam sobre a sua responsabilidade perante toda a sociedade.

Quem tem um mandato político e não o honra com dignidade e atitudes profícuas, comete crime de lesa confiança popular.
E carregarão nas costas esse peso do mau desempenho social e político.








REFLEXÕES, REFLEXÕES..........

Estive na Itália por quase 1 mês, à trabalho, e é claro que prestei muita atenção nos programas esportivos das tevês locais.

A paixão pelo futebol, sabemos disso, muitas vezes acaba cegando as pessoas.

Lá também a choradeira por erros de arbitragem é bem grande.
Joga-se tudo nas costas da arbitragem quando o time do coração perde.

Não importa se o time jogou mal e seus atletas erraram demais ( e normalmente erram mais que os juízes ).
Para os torcedores apaixonados vale sim que o árbitro errou "naquele lance" e que por isso a equipe perdeu o jogo.

Digo que não defendo as arbitragens por conveniência ou algo parecido.  Não tenho parentes que apitam, e nunca tive.  Mas acho que devemos ser justos nas análises.

Afora atos e atitudes levianas de algum apitador, e há levianos por toda a parte, devemos acreditar na honradez das pessoas ( até que se prove o contrário ) e crer que os erros fazem parte das dificuldades em se atuar no futebol.

O árbitro e bandeiras erram, assim como os treinadores, jogadores e jornalistas.

Então, por que creditar somente aos juízes as derrotas?

Temos uma tendência a compor "teorias conspiratórias" no futebol, sabemos disso, mas em agindo assim incorremos em atos injustos com quem é honesto e bem intencionado.

É assim no Brasil, na Itália, na Argentina......

Infelizmente isto não irá mudar no futebol.
Mas vemos em outros esportes.  No tênis, vôlei, por exemplo, há muitos casos em que atletas ajudam às arbitragens a esclarecer pontos discutíveis, mesmo tendo prejuízo nas decisões.

E para encerrar, lembro de um clássico no Morumbi em que o Palmeiras teve um pênalti marcado a seu favor e em cima do meia Alex ( hoje em final de carreira no Coritiba ).
Terminada a partida, Alex entrevistado confessou que "não sofreu o pênalti" e que o Palmeiras havia sido beneficiado.
Foi um espanto.

No dia seguinte, um dirigente do Verdão advertiu o meia pela declaração honesta e justa de que não tinha sofrido o pênalti.

Resumo:  ser honesto ( no futebol ) é passível de bronca e punição.

Pobre cultura desse esporte.








sexta-feira, 17 de outubro de 2014

PALMEIRAS x SANTOS NO PACAEMBU.

Neste domingo vou ao Pacaembu.

De volta às transmissões pelo Premiére e no futebol.

Palmeiras x Santos às 4 da tarde (horário de Verão) no Paulo Machado de Carvalho, valendo pela 29a rodada, a décima do returno.

Nossa transmissão começa 15 minutos antes das 16 horas pelo Premiére.
Mas à partir das 3 da tarde já estaremos participando do programa TÁ NA ÁREA do Sportv.

Estarei nessa jornada de trabalho com William, André Hernan, Tiago Crespo e grande equipe de frente e retaguarda.

À todos um excelente final de semana.

Aproveitem!


quinta-feira, 16 de outubro de 2014

DE FILHA PARA PAI - FAMILIA DO VALLE

A querida Fernanda do Valle lança hoje, quinta-feira, 16 de outubro, o livro "" De: Filha, Para: Pai"" contando a convivência com Luciano do Valle, seu pai.

Será na Livraria da Vila, no Shoping Galleria, Campinas, às 18:30.

Fernanda é escritora e nesse livro conta a sua vida com o pai jornalista esportivo.
Há vários depoimentos de amigos de Luciano enriquecendo a obra.

Ela voltava de uma viagem à Nova York e durante o voo sonhou com o pai.
Acordou e pegou o computador começando a escrever sem parar.
Terminou o livro em 3 semanas.
Tudo fluiu muito fácil.

No próximo domingo fará 6 meses do falecimento de Luciano.

Convivi com ele desde os anos 80.
Em minhas viagens transmitindo Fórmula-1 pela rádio Bandeirantes, várias vezes bati longos e agradáveis papos com Luciano.
Ali começou o nosso relacionamento pessoal, e que à partir de 1983 passou a ser profissional também.

Um livro, portanto, que vale a pena ser lido.
Depoimento de filha, mas também de uma escritora, o que projeta conteúdo muito interessante e rico em qualidade literária.






terça-feira, 14 de outubro de 2014

DE VOLTA

Amigos e amigas.

Depois de acompanhar a seleção feminina de vôlei no Mundial, volto às escalas do futebol já no próximo final de semana.

As meninas deram tudo o que podiam, mas infelizmente tropeçaram num time americano inspiradíssimo e em jogo que valia a classificação para a final.

O Brasil deixou o Mundial com apenas 1 derrota em 13 jogos.  Perdeu quando não podia perder.  Mas trouxe o bronze da Itália.

Vida que vai em frente.
Vem aí a Superliga já à partir do dia 30 deste mês.
Um grande evento.

José Roberto Guimarães e a comissão técnica trabalharam sério, com estudos em profundidade, mas no esporte é assim que às vezes ocorre.
O vôlei feminino do Brasil continua forte e agora visando as Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro.

Fim de semana vou narrar Palmeiras x Santos domingo pelo Premiére.

Boa semana a todos!!!