sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

2017 E A COPINHA COMEÇANDO...

Já deixei na postagem anterior o que penso sobre um Novo Ano.

Mas reforço a esperança de todos nós em uma nova temporada mais leve, suave, cheia de desafios obviamente, mas sempre com dinamismo e muita energia.

Passada a chegada de 2017 já terei uma semana cheia de transmissões.

Vai começar a Copinha, a Taça São Paulo de futebol júnior.
Edição de número 48.
Garotos nascidos entre 1997 e 2001.
120 times na primeira fase.
30 grupos em 30 cidades.

Essa Copinha terá algumas novidades e uma delas é os times poderem fazer até 6 substituições no jogo.

Segunda vou a Araraquara, quarta em São Caetano, sexta-feira em Taubaté, sábado São Carlos e domingo novamente no ABC paulista.

A bola vai rolar para os garotos e para olhos super atentos de treinadores, dirigentes, mídia, empresários e quem ama o futebol.






quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

2017 NÃO VAI NOS DESTRUIR.

A dinâmica da vida não permite que cruzemos os braços.

Vem aí mais uma virada de calendário, vai começar um novo ano e a esperança não pode faltar em todos nós.

Faz tempo que vivemos anos difíceis, os desafios são muitos, as decepções enormes, nos indignamos a todo instante, porém o jogo tem de seguir.

A bola da vida não pode parar de rolar.

Vamos aproveitar as boas energias deste final de temporada, pois nessa época há um desarme de espírito, e fazer a nossa parte direitinho.

Aliás é antigo o ensinamento de que se cada um fizer o seu, o Mundo crescerá em boas ações de compreensão, perdão e solidariedade.

Portanto, amigos e amigas, estufemos o peito e vamos encarar 2017 com energia e empenho.

Que o amor prevaleça, que as tensões sejam passageiras e sem ódio, que compreendamos os erros do semelhante e que corrijamos os nossos.

2017 não irá nos derrubar.
Iremos contruí-lo com alegria, força e determinação.


sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

QUAL O SEU NATAL???

Natal, uma festa cristã, mas que cada um comemora à sua maneira e de acordo com a sua crença.

Mas o Natal serve para que todos deem uma parada nas atividades cotidianas e reflitam, reciclem, façam um balancete do ano.

Essa paralisação das atividades profissionais - para quem pode parar - é saudável.
É necessária.

Aos que rivalizam em termos de religiosidade seria de bom alvitre que repensassem este sentimento.

A liberdade de escolha, de fé, é própria, é individual.
E toda liberdade tem de ser saudada, comemorada, preservada.
Se todos os religiosos acreditam num Ser Superior - que tem diversas denominações, de acordo com a linha religiosa - devemos entender que os caminhos para se chegar a ELE são diversos.

E cada um toma uma trilha.

Portanto, a parada do Natal é boa para todos nós.

Nós nos voltamos mais para a família e passamos a dar mais tempo e atenção à ela.

Limpamos a casa, deletamos tudo o que não serve mais, limpamos a mente e também a higienizamos jogando fora pensamentos ruins e que nos envenenam.

Natal é nascimento, e renascimento.

Um ótimo momento também para reatarmos amizades e fazermos novos relacionamentos.

É, na verdade, uma grande oportunidade que recebemos para consertar muitas coisas em nossas vidas.

Vamos aproveitar !!!

BOM NATAL !!!


quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

OSASCO x BAURU, AO VIVO.

Trabalhei ontem em Campinas na Superliga masculina.

O Cruzeiro derrotou Campinas por 3 a 0 e fechou o primeiro turno invicto.

Hoje, quinta, vou narrar Osasco x Bauru no ginásio José Liberatti.

Vale o segundo lugar.

O jogo vai começar às 19:30 e terá o Sportv ao vivo.

Estarei com Marco Freitas nos comentários e Alexandre Oliveira nas reportagens.


segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

GIGANTES DO VÔLEI

Nesta quarta-feira tem um grande jogo pela SUPERLIGA masculina em Campinas.

19:30 começa o jogo Campinas x Cruzeiro, duelo de gigantes.
Só craques em quadra.

Sportv ao vivo.

Cruzeiro supercampeão, líder e invicto na competição.
Campinas, vice-líder.

Ginásio do Parque Taquaral.

Estarei com Carlão nos comentários e Alessandro Jodar nas reportagens.
Geração da EPTV-Campinas e a grande retaguarda/Rio/Globosat.


quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

SUPERLIGA AO VIVO

Vamos seguindo com as transmissões na Superliga.

Neste sábado estarei com São Bernardo x Campinas pela décima rodada da competição, a penúltima do primeiro turno.

O jogo vai começar às 11 horas da manhã e terá transmissão ao vivo do Sportv-2.

Estarei nessa com Carlão comentando e Jason Mathias nas reportagens.

Campinas está com 7 vitórias e duas derrotas e entre os primeiros na classificação.
São Bernardo é o oitavo colocado com 3 vitórias e seis derrotas.

Bom final de semana pra todos.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

CLÁSSICO DO VÔLEI.

Parou o futebol brasileiro para as férias mas segue a Superliga de vôlei

Nesta terça-feira vou transmitir pelo Sportv o clássico feminino do vôlei, Osasco x Rio de Janeiro.

É às 21:30 no ginásio José Liberatti, válido pela nona rodada da Superliga, ainda no primeiro turno.

Rio, do técnico Bernardinho, liderando a competição.
Osasco em terceiro lugar, mas invicto em casa.

Estarei na jornada com Nalbert e Fabíola Andrade, além de dezenas de profissionais no local e retaguarda/Rio.

Também o PFC Internacional vai mostrar esse grande jogo.




sábado, 10 de dezembro de 2016

A BOLA PARA DE ROLAR.

A bola oficial do futebol brasileiro para de rolar neste domingo começo da noite.

Tivemos os estaduais, os regionais, o Brasileiro em todas as suas séries, Copa do Brasil...

Já conhecemos todos os campeões e neste domingo saberemos o quadro completo dos times na Libertadores de 2017, além dos classificados para a Sul-Americana.
Conheceremos também quem fará companhia a Figueirense, América Mineiro e Santa Cruz na série B do ano que vem.

De acordo com a tabela de premiação em dinheiro da CBF aos primeiros colocados do Brasileiro, Santos e Flamengo disputam uma grana extra de aproximadamente 3,5 milhões de reais.
Essa é a diferença do prêmio do vice-campeão para o terceiro colocado.

Enfim, vai se encerrar a temporada onde muitas análises podem ser feitas, dependendo do foco de visão no aspecto técnico e de resultados.

Porém a queda do avião da Chapecoense jogou um manto negro sobre todo o ano de 2016.
Deixou o futebol mundial de luto.
Nada pior poderia ter acontecido.
Baixou o astral de todos.
Derrubou ânimos, arrasou corações.

Vai demorar para digerirmos essa dor, mas a vida impõe a sempre invocada Volta por Cima, pois o Mundo não pode parar de girar.

Continuaremos chorando e amargando a saudade de todos os que se foram, mas procuraremos dar o melhor de cada um para manter acesa a chama da vida e do esporte.

Nunca tivemos razão tão forte para engrossar o tradicional FELIZ ANO NOVO agora na passagem de ano.
2017 não poderá ser pior que 2016.    E não será.








sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

PROFESSOR RENATO GAÚCHO.

O futebol tem seus desafios a quem o estuda e pesquisa.

O caso de Renato Gaúcho, um confesso alienado a táticas e estudos, campeão da Copa do Brasil, é um exemplo intrigante, emblemático.
Chegou, arrumou o time gremista e o colocou no pódio.

Ficou quase 2 anos sem emprego, frequentando as praias cariocas e recebendo críticas por não ter se preocupado em ir à Europa estudar o futebol e tal.

Chega ao Grêmio e leva o tricolor ao título e à Libertadores.

Já tivemos inúmeros exemplos de treinadores que jamais pegaram um livro de técnica e táticas nas mãos e foram grandes vencedores.

Já tivemos ex-jogadores consagrados - e temos - que foram um fracasso como treinadores. Assim como treinadores de muitos estudos e que não obtiveram exito condizente.

Nada contra quem se preocupa em pesquisar, estudar, fazer estágios em clubes sérios e organizados, é claro que não, mas alguns exemplos de técnicos exitosos e sem qualquer "diploma" desafiam teses e conceitos.

Talvez até algum levantamento prove que uma minoria seja vitoriosa não tendo se preocupado em se aprofundar em livros e estágios.  Pode ser.  Mas não podemos deixar de abordar a questão e os fatos.

Há também justificativas sobre o tema, uma das quais é que às vezes o grupo se ajeita por si só, independentemente de quem o comande.
Há quem defenda a Copa do Brasil como um torneio e não um campeonato de pontos corridos, e onde no mata-mata algumas equipes se agigantam, se diferenciam.

Seja o que for, o assunto é interessante de se discutir.

O que penso, também, é que o futebol se diferencia de outras atividades.
Não podemos nos esquecer também que além de tudo o que envolve esse esporte, ele é um JOGO.
E num JOGO há imprevistos que derrubam teorias, há talentos individuais em determinados momentos que decidem, há improvisos, erros e falhas individuais, equívocos de arbitragem, além de todas as nuances peculiares dessa modalidade apaixonante.
O imponderável também entra em campo.

A história registra fatos dessa natureza, ou seja, técnicos que se consagraram em títulos e que mal sabiam escrever ou ler.
Assim como muitos jogadores.

É algo para refletirmos, evidentemente.

Ah esse negócio chamado FUTEBOL...









quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

ULTIMA RODADA. ULTIMA JORNADA.

Na última rodada do Brasileirão a escala me coloca em Curitiba.

Atlético x Flamengo às 17 horas na belíssima Arena da Baixada.

Premiére ao vivo.

Furacão para sacramentar vaga na Libertadores e o Mengão pra acabar como vice-campeão e é claro já na competição sul-americana de 2017, fase de grupos.

Estarei nessa jornada com Carlos Eduardo Lino comentando e nas reportagens Anderson Luís e Guido Nunes.

Uma rodada pra fechar o campeonato e onde além de algumas definições importantes teremos também as homenagens às vítimas do voo para Medellin.

Todos as 71 vítimas serão lembradas, homenageadas e eternamente fixadas em nossos corações.

Não poderia terminar de forma mais melancólica o Brasileirão e a temporada, mas os desígnios do Universo estamos muito longe de entender.




sábado, 3 de dezembro de 2016

A CHAPE NÃO MORREU.

Ufa, que semana!

A dor continua, o nó na garganta sufoca, os prejuízos sentimentais são enormes e irreparáveis, dá vontade de esquecer o futebol, desprezar todos os compromissos, MAS não é assim e o que a responsabilidade impõe.

O grande exemplo vem de Chapecó, que arrasada no seu íntimo avisa a todos que a Chape não acabou e que irá dar a volta por cima.

Da dor que muitas vezes surgem forças que ignorávamos existir.
A vida e suas atividades não podem morrer diante das dificuldades, de espinhos que rasgam a nossa carne e a nossa alma.
Temos a grande responsabilidade de recuperar o que foi "destruído".

Quantas nações ressuscitaram depois de guerras devastadoras.
Quantas famílias ressurgiram depois de clã dizimada por doenças, catástrofes e consequentes perdas.

A Chapecoense não morreu.
Nem vai morrer.
Foi e será o grande exemplo de dignidade, perseverança, trabalho e fé.

Ninguém pode se entregar diante do que ocorreu.
Não é se entregando que agradecemos ao Universo pela energia vital que nos dá.
Enquanto tivermos força e saúde não temos o direito de cruzar os braços e ficar chorando pelos cantos.

Que ergamos a cabeça, todos nós.

Segue a vida de Chapecó, da Chapecoense e do futebol brasileiro.

Jogar a toalha?
JAMAIS.






sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

O INTER NAO MERECE

Os corpos das vítimas do acidente ainda não foram sepultados ou cremados, e nos bastidores do pobre futebol já pululam artimanhas para tirar vantagem da situação.

Sinceramente - e não me gabo disso - eu já esperava por algo parecido.

Conhecendo ao longo de décadas como agem alguns dirigentes do futebol, seja de clubes ou federações e confederação, era questão de tempo para que aberrações surgissem.

É claro que estou me referindo ao Internacional, gloriosa agremiação de tantas glórias e de tradição rica em desportividade social.

Um eterno dirigente colorado primeiro fez declaração totalmente infeliz sobre a tragédia da Chapecoense, e depois se retratou pedindo desculpas.
Depois o atual presidente dando entrevista pífia pedindo para o campeonato acabar aqui.

E depois os jogadores, comandados pelo Alex, reforçando o "desejo" do Inter de não jogar a última rodada.

Essa posição oportunista de dirigentes e jogadores mancha a história maravilhosa da agremiação gaúcha.
O Internacional não merece tal posição dessa gente.

Fica difícil não crer que tais atitudes de dirigentes e jogadores visam anular o rebaixamento.
Em outras palavras seria a ressurreição do "tapetão" no futebol brasileiro e em nome de uma tragédia como a que ocorreu com a Chapecoense.

Como alguém pode afirmar que daqui há 10 dias não terá condições psicológicas para entrar em campo e jogar?
Somente a Chapecoense tem esse direito, assim como o Galo, seu adversário na rodada final.

Que bola fora dessa gente que hoje comanda e joga pelo Internacional.

O Internacional é gigante e repito, não merece tais atitudes de seus representantes - dentro e fora de campo.

A maior demonstração de solidariedade e carinho à Chapecoense é SEGUIR A VIDA, pois essa é a ordem que se impõe, cada um em sua atividade.

Chorar as perdas continuaremos a chorar.  Procurar ajudar a quem ficou é ato de amor.  
Lembrar sempre dos heróis da agremiação catarinense é imperioso.

Mas tocar os projetos em nossas vidas, e na própria Chapecoense, é a maior homenagem que podemos prestar à grande família desse clube.

E um apelo final:  não usem uma entidade vitoriosa e histórica como o Inter para oportunismo de baixo nível.
Não façam isso.
Reflitam e voltem atrás.