segunda-feira, 31 de outubro de 2016

20 ANOS DA TRAGÉDIA.

20 anos do acidente com o Fokker-100 da TAM em São Paulo.

Eu estava em Uberlândia naquele dia cedo aguardando um voo para a capital paulista, depois de ter feito uma transmissão na cidade mineira pela Band.

O amigo Juares Soares antecipou o voo e foi mais cedo pra casa.

Chegou em Congonhas antes da fatídica decolagem do Fokker com destino ao Rio de Janeiro.
* com ele viajou um médico famoso de Uberlândia que iria ao Rio participar de um importante Congresso naquele dia.

O médico estava no voo que decolou e logo depois sofreu a queda.

Alguns amigos da TV Globo estavam em Congonhas naquele dia cedo e pegariam um avião logo depois do fatídico voo rumo ao Rio.

Um dos acidentes mais graves da aviação.

Quantas vidas foram ceifadas.

Soube recentemente que o brilhante levantador William, do vôlei Cruzeiro, perdeu o pai naquele acidente.

Nosso mestre da narração esportiva, Flávio Araújo, tinha um de seus filhos no voo da TAM.

Alguns colegas e amigos de rádio e televisão sofreram um trauma muito grande com a tragédia e por um bom tempo evitaram viajar de avião.

Já se foram 20 anos e a dor das famílias é incurável.
Os moradores nos arredores de Congonhas jamais esqueceram e vivem constantemente em suspense nos pousos e decolagens das aeronaves.

Nunca é tarde para que preces sejam emitidas a todas as vítimas.
Muitas delas ainda necessitando dessa energia.
Duas décadas, que para nós aqui na Terra é um tempo razoável, pouco ou nada representam na esfera da espiritualidade.
O tempo daqui não é o mesmo de lá.

Vibremos positivamente por todos eles.

Cada um com sua fé e religião.









domingo, 30 de outubro de 2016

VOLTA AO TRABALHO

Volto às transmissões Sportv/Premiére e PFC Internacional nesta semana que começa.

Na sexta-feira estarei em Osasco com a Superliga de vôlei.
Jogo da segunda rodada entre Osasco e Pinheiros.
Será ao vivo no Sportv-2 às 21:30 no ginásio José Liberatti.

Estarei com Carlão nos comentários e Alexandre Oliveira nas reportagens.

Domingo, dia 6, vou de futebol.
Palmeiras x Internacional, 5 da tarde, pelo Premiére.
Com Mauricio Noriega comentando e as reportagens de Alessandro Jodar e Filipe Cury.

Uma excelente semana a todos.


quinta-feira, 27 de outubro de 2016

O SUCESSO DO SHOW DO ESPORTE

O projeto Show do Esporte comandado por Luciano do Valle acabou há pelo menos 18 anos e impressiona até nos dias de hoje o quanto ele foi marcante, importante.

Quantas pessoas quando me encontram ainda se referem àqueles tempos de Bandeirantes e com um saudosismo notável e é claro, prazeroso a nós que integramos aquela equipe.

Luciano, Quico, Paulo Roberto e todo o time da Promoação, depois Luqui, foram brilhantes na montagem do projeto e mais ainda na execução de todo o programa.

O saudoso amigo vinha da TV Record, depois de ter saído da Globo ao final de 1982, com tudo na mente e nas planilhas.

Apostava no vôlei brasileiro, futebol feminino, boxe, sinuca, basquete, tênis, automobilismo, futebol internacional(campeonato italiano, por exemplo), e principalmente em preencher todo o domingo do brasileiro com atrações especiais.

Visava os Jogos Olímpicos de Los Angeles-84 e bancou o evento através de sua empresa para que a Bandeirantes pudesse mostrar.  Por extensão ganhava também os direitos de transmissão da Copa do Mundo do México 1986.

Queria, e conseguiu, preencher o domingo inteiro do telespectador brasileiro com eventos, entrevistas, sorteios de prêmios, numa interatividade espetacular.

E fez mais.

Resgatou dezenas de profissionais da área de jornalismo e de outras áreas para o projeto, que estavam desempregados ou em outros veículos e mal remunerados.

Pinçou ex-atletas de muitos esportes para integrarem a equipe nos programas e transmissões.
Deu oportunidade a muitos deles e nem sempre foi correspondido com lealdade.
Mas mesmo levando algumas rasteiras nunca deixou de preservar o aspecto profissional honrando todos os contratos.

Por acreditar na seriedade do amigo Luciano e equipe, deixei o rádio e agarrei a oportunidade sem pestanejar.
Fui com ele até o final, dezembro de 1998.

Foram anos e anos de cobertura em inúmeras modalidades.

E muito mais que o relacionamento profissional nos tornamos leais amigos, parceiros, confidentes, irmãos de alma.

Não me canso de lembrar e de homenagear Luciano do Valle, falecido em abril de 2014.

E ele estava tão certo em apostar no sucesso do Show do Esporte que o programa ainda está vivo na mente de milhões de brasileiros telespectadores quase 20 anos depois.








terça-feira, 25 de outubro de 2016

OBRIGADO, GRANDE CAPITÃO!

Carlos Alberto Torres.

Jogou muita bola, teve carreira de treinador no País e fora dele, e vinha participando do canal Sportv com sua larga experiência.

Dotado de forte personalidade, muitas vezes incomodava as pessoas com suas colocações diretas e contundentes.
Porém sempre atuou com lealdade e respeito a quem criticasse.

Eu o admirei como jogador de futebol, torci pelo seu sucesso como técnico e o respeitava muito como colega de emissora.

O capitão de 70 merece todas as homenagens neste momento. E sempre.

Na nossa ignorância do que seja a vida sempre lamentamos as perdas e principalmente quando os amigos, parentes e conhecidos se vão muito cedo.

Torres tinha 72 anos de idade e gostaríamos que continuasse entre nós.

Mas só quem sabe dos desígnios do Universo é o próprio Universo.

Carlos Alberto Torres escreveu uma linda história no futebol brasileiro e mundial.

Deixa a família, amigos, colegas de trabalho e admiradores.

Só podemos dizer:  OBRIGADO, GRANDE CAPITÃO!











segunda-feira, 24 de outubro de 2016

AS ARBITRAGENS

Volto ao assunto.

Está dando nojo a onda de reclamações pelas arbitragens no Brasil.
Joga-se tudo nas costas dos árbitros.

Valoriza-se em demasia o erro do árbitro para justificar derrotas e tropeços.

Os cartolas, treinadores, jogadores, todos estão agindo oportunisticamente e na maioria das vezes injustamente com os apitadores.

A pressão em cima dos árbitros está cruel, desumana.

Os apitadores, que já não têm um bom nível de preparo, entram em campo com um elefante nas costas por tudo o que se falou e se escreveu no pré-jogo.

Invocam-se conspirações, idoneidade dos árbitros, esquemas para favorecer esse ou aquele, uma enxurrada de bobagens que não tem tamanho.

São os jogadores visando mais ludibriar os árbitros do que jogar bola, são os técnicos à beira do campo atuando como torcedores fanáticos, os dirigentes nas tribunas dando declarações tendenciosas e levianas, além dos diversos ângulos da televisão para esclarecer os lances.

Duvido que se trouxéssemos apitadores europeus para os nossos jogos eles obteriam sucesso.
No passado a Federação Paulista trouxe juízes alemães, italianos, argentinos, e todos se deram mal.
* me lembro de um apitador alemão certa vez em Presidente Prudente que se recusava a voltar para o segundo tempo, espantado com a malandragem e a pressão externa, com a total falta de respeito a ele.

E se deram mal pela malandragem do futebol brasileiro através dos jogadores, treinadores e dirigentes.

É dificílimo apitar aqui no Brasil.

E levianamente os dirigentes omitem qualquer comentário sobre erros de arbitragem em que foram favorecidos, preocupando-se apenas em ressaltar as falhas que os prejudicaram.
Isso não é esportividade.
É oportunismo e que não contribui para que o esporte seja limpo, saudável, honesto.

Os árbitros erram, como todos os envolvidos numa partida de futebol erram.
E como os juízes também são humanos, por que somente atribuir a eles as falhas cometidas?

O zagueiro falha, o goleiro engole um franco, o atacante perde gols feitos, o treinador escala e substitui mal, por que o árbitro não pode errar?

Em suma, até que se prove má-fé dos apitadores, sempre defenderei o direito de eles errarem.

E sempre condenarei atletas, treinadores e dirigentes que covardemente jogarem nas costas dos juízes as suas próprias falhas, seja jogando, treinando ou dirigindo.

É preciso humanizar a arbitragem brasileira.
E todos colaborarem, em suas atividades individuais.

* acrescento que profissionalizar os árbitros não irá melhorar as suas atuações, se o comportamento dos envolvidos no jogo não mudar.  Basta ver os jogos europeus onde os apitadores têm o respeito que merecem.  As reclamações existem, mas com respeito à autoridade máxima do evento, que é do árbitro.

Sei que estou jogando água na chuva, mas fico indignado com o mau comportamento dos nossos atletas e treinadores, sempre amparados pelos cartolas dos clubes.

Em tempo:  não tenho nenhuma ligação e nem procuração das arbitragens para defendê-las, apenas analiso pelo lado humano e honesto da questão.

Sei também que o comportamento estérico das pessoas quanto às arbitragens é fruto do fanatismo, mas também é reflexo do que ocorre no País, onde tudo é suspeito.









domingo, 23 de outubro de 2016

O REI DO FUTEBOL

76 anos de Edson Arantes do Nascimento.
Mais ou menos 60 anos de Pelé.

Do Edson nada a dizer pois é algo pessoal.
De Pelé, MUITO A ESCREVER.

Ele foi fantástico e isso é indiscutível.

Gênio do futebol.

O menino apareceu na Vila Belmiro e de pronto encantou a todos.

Sua chegada à Seleção foi rapidíssima.
E o Brasil agradece, porque não tivesse ido ele à Copa da Suécia em 1958 a história seria bem diferente e talvez não muito gloriosa para o nosso futebol.

Na época falava-se que Pelé era muito novo, imaturo e que tremeria diante dos adversários.

Mas o nascido em Três Corações estava muito além do que se imaginava, já era adulto para as peripécias do futebol.
Entrou no Mundial de 58 e arrasou, encantou o Planeta.

Pelé nasceu para jogar bola.
Todos os atributos foram colocados nele para a prática do futebol.
Preparo físico, talento, improviso, personalidade, muita técnica.

Falar de Pelé jogando bola não é ser do time dos saudosistas e valorizar em demasia o passado.
Falar de Pelé é ser justo com a história que ele escreveu com a bola nos pés, na cabeça, no peito.

Orgulho do Brasil.

Até hoje, e sempre, lembrado como o Rei do Futebol.


terça-feira, 18 de outubro de 2016

PAUSA

Pausa nas minhas transmissões até o final de outubro.

Volto em novembro aos canais Sportv/Premiere e PFC Internacional.


sexta-feira, 14 de outubro de 2016

CORREÇÃO

Uma correção no horário de Corinthians x América domingo em Itaquera.

O jogo vai começar às 18:30 no horário de verão.

Desculpem a falha.

TIMÃO x COELHO, DOMINGO.

Escala de domingo em Itaquera.

Corinthians x América Mineiro, 5 da tarde ( já no horário de verão ) pelo Brasileiro.

Transmissão do Premiére.

Lá estarei com William Machado e Tiago Maranhão.

Rodada 31.

Bom final de semana a todos.

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

PALMEIRAS x CRUZEIRO, EM ARARAQUARA.

Quinta-feira vou até Araraquara transmitir Palmeiras x Cruzeiro pelo Brasileirão.
Rodada 30.

Arena da Fonte Luminosa.

O jogo está marcado para as 19:30 e terá transmissão do Premiére.

Estarei na jornada com os amigos Juliano Belletti, Filipe Cury e Gláucia Santiago.
Na coordenação, Vitor Coutinho e Alê Zaparoli.

É um jogo clássico do nosso futebol.

O encontro do líder do campeonato com a Raposa, que vive momento delicado na competição.

* o jogo é em Araraquara pelo fato do Palmeiras não poder utilizar a sua Arena em virtude de um show.


quinta-feira, 6 de outubro de 2016

O LÍDER E O LANTERNA.

Domingo estarei em Londrina.

América Mineiro x Palmeiras, pelo Brasileiro, às 5 da tarde.

Transmissão do Premiére FC.

Comentários de Sérgio Xavier, reportagens de Anderson Luiz e Thiago Crespo.

Encontro do líder com o lanterna do campeonato.


terça-feira, 4 de outubro de 2016

DESRESPEITO CÍVICO

Temos visto nos estádios paulistas um grande desrespeito cívico.

Quando o Hino Nacional é apresentado antes dos jogos, algumas torcidas substituem a letra por gritos do hino do clube.

Isso parece nada, porém é um retrato do que estamos vivendo atualmente no País.
Estamos desrespeitando os nossos símbolos, a nossa Bandeira.

Não estamos respeitando a Nação, o País.

Não podemos confundir a ação nefasta dos políticos com a importância maior do País.
O Brasil é onde vivemos.  É onde vivem nossos parentes e amigos.  É onde ainda virão nossos descendentes, futuros habitantes dessa terra.

Devemos sempre criticar e protestar junto aos governantes e legisladores, mas JAMAIS colocar o Brasil nesse pacote pesado e sujo.

Respeitar os símbolos da Pátria é ter respeito e declarar amor a ela.

Faço a colocação crítica mas faço a ressalva necessária:  não são todos os presentes nos estádios que cometem esse desatino cívico.
O desrespeito parte sempre do local destinado às torcidas organizadas.

Triste e lamentável mais esse episódio que temos de registrar.







segunda-feira, 3 de outubro de 2016

A MISSÃO DE QUARTA.

Quarta estou escalado para Sport x São Paulo no Recife.

Rodada 29 do Brasileirão.

Duas equipes que não podem vacilar no campeonato dada à má colocação na tabela.

Ilha do Retiro, 21:45 e ao vivo pelo Sportv e Premiére.

No Sportv, menos Pernambuco, e no Premiére para todo o Brasil, inclusive PE.

Lá estarei com Wagner Vilaron, Sabrina Rocha, Fabíola Andrade e grande equipe no local e na retaguarda.

Uma excelente semana pra todos!!!