terça-feira, 30 de junho de 2015

SOLUÇÃO CASEIRA É A SAÍDA ?

Já que a Seleção não está correspondendo há algum tempo, e o torcedor brasileiro vem colecionando resultados ruins, e já que a CBF bate o pé e mantém Dunga, restaria uma alternativa para tentar mudar o futebol do selecionado.

A alternativa seria priorizar nas convocações mais jogadores que atuam em nosso território.

Se os figurões que jogam lá fora, supervalorizados, não estão dando conta do recado, quem sabe uma leva de atletas de clubes brasileiros não coloca a Seleção nos eixos? 

Uma coisa nos parece certa, pior desempenho não ocorrerá.

Mas se depender da CBF isto não irá acontecer.

Ela bate o pé e segue prestigiando o técnico(?) Dunga, além de ter os seus "compromissos comerciais" nas convocações.

Vêm aí as classificatórias para a Copa de 2018 e o cenário é tenebroso para o Brasil.

A crise técnica e tática existe, isso é inegável.

E ao que parece continuaremos de braços cruzados e proporcionando decepções ao torcedor e muitas alegrias aos nossos adversários.

Infelizmente.






quarta-feira, 24 de junho de 2015

DE VOLTA AO BEIRA-RIO

Volto a Porto Alegre no próximo domingo.

Estive na semana passada trabalhando no jogo Grêmio x Palmeiras.
Agora será em Internacional e Santos, pela nona rodada do Brasileirão.

O jogo é domingo às 18:30 no Beira Rio.

Transmissão Sportv, Premiére e PFC Internacional.

Minha última estada na nova arena do Inter foi marcante e triste.

Dia 19 de abril do ano passado para um jogo da abertura do Brasileiro 2014.

E naquele dia aconteceu a morte do grande amigo Luciano do Valle.

Eu estava na cabine horas antes da abertura da jornada ao lado de Belletti, quando chegou a chocante notícia.

Quis checar e liguei para o celular de Luciano.

Caixa postal.

Fui consultado pela direção do canal se tinha condições de narrar a partida, dada à minha estreita amizade com Luciano.

Pensei, refleti e pedi ajuda aos amigos do Alto para que pudesse cumprir a missão de trabalho.

Fui em frente e certamente a narração não deve ter sido "aquelas coisas".

Fiz o que pude.

Embarguei a voz várias vezes ao dar a notícia pelo Sportv e dizer algumas palavras em homenagem ao grande companheiro.

Neste próximo domingo volto ao Beira Rio.

Certamente vou me lembrar daquele 19 de abril de 2014,  com amargor, com saudade do querido amigo, mas também com a certeza de que ele já está bem no Plano onde está, afinal ninguém morre.
Morre a matéria, o corpo físico.
A nossa essência maior é eterna.
E com isso, mestre Luciano respira outra dimensão e já se prepara para outros desafios do Universo.




quinta-feira, 18 de junho de 2015

GRÊMIO x PALMEIRAS, SÁBADO AO VIVO.

Minha escala de transmissão no final de semana me leva a Porto Alegre.

Vão jogar Grêmio e Palmeiras, 9 da noite, na Arena tricolor, pelo Brasileirão.

Oitava rodada.

Ao vivo no Sportv, Premiére e PFC Internacional.

Estarei na jornada com Wagner Vilaron, Marcelo Pires e Alexandre Oliveira.

Duas agremiações que se enfrentam desde 1936, quando o Palmeiras ainda era Palestra Itália.

Até aqui foram 83 jogos no confronto, com vantagem para o Alviverde: 34 vitórias.
Foram 17 vitórias do Grêmio.
32 empates.

Será a estréia do técnico Marcelo Oliveira no Palmeiras.

terça-feira, 16 de junho de 2015

COPA DE 98

Lembrando de Zito na Copa de 1998 atuando como convidado nos comentários, voltei no tempo e comecei a recordar aquela nossa equipe Band, a última sob o comando de Luciano do Valle como diretor/comandante.

No final daquele ano, logo após a Copa, a equipe de esportes da emissora passou por grande reformulação com a chegada da Traffic, de Jota Háwilla, e a maioria dos profissionais acabou deixando a casa.

Nosso time de narradores na França tinha Nivaldo Prieto, Marco Antonio, Silvio Luís e eu, além é claro de Luciano do Valle.

As opiniões ficavam por conta de Juarez Soares, João Zanforlim, Gerson(canhota), Rivellino, Bobô e Zito.

No bar do hotel em que ficamos hospedados, todo final de noite o mestre Armando Nogueira reunia Zózimo(colunista social), Paulo Henrique Amorim, o escritor João Ubaldo Ribeiro e outros convidados especiais para um bate-papo de encerrar o expediente diário.

Também naquela Copa a Band tinha um convênio com a TAM e um jatinho estava à disposição da equipe para jogos fora de Paris, como em Marselha, por exemplo, a sede mais distante da capital.
* isso já tinha acontecido nos Mundiais de 1986, 1990 e 1994.

Muitas viagens eram feitas também de trem ao interior francês para as transmissões.

Numa dessas viagens ferroviárias eu estava com o grande Zito e vendo as pastagens francesas e o gado, ele comentava a situação global e a febre que ocorria no Brasil com a empresa Boi Gordo.
Mestre Zito antecipou que uma hora a Boi Gordo ia quebrar e deixar muita gente na mão.
Não deu outra.
Ano e meio depois, a empresa faliu.

Lembro que no hotel estava também o time da Globo e em todos os apartamentos havia a programação da emissora em tempo real.

Daquele grupo, vários amigos e companheiros já deixaram o Plano Físico, como o mestre Armando, Zózimo, João Ubaldo, Marco Antonio, Luciano do Valle e agora Zito.

Trabalhando nos bastidores, também já partiram os queridos Mário Marcos Girello e Paulo Matiussi.

O tempo vai passando e continuamos a contar histórias e a lembrar de grandes momentos, e de queridos companheiros.
Além da grande saudade dos que já foram para Outras Jornadas.

















segunda-feira, 15 de junho de 2015

ZITO, O GRANDE CAPITÃO !!!

Zito foi o grande jogador que o Mundo conheceu.

José Ely de Miranda foi o cidadão sério, ético e de grande respeito, que também conhecemos.

Tive o privilégio de conviver com ele na Copa do Mundo de 1998 na França.

Convidado pela TV Bandeirantes ( via Luciano do Valle ) ele conviveu com todo o time no dia a dia das transmissões e dos programas naquela Copa.

Fiz várias jornadas com Zito ao meu lado naquele evento.
Viajamos de trem pelo interior francês duas ou três vezes e o papo foi extremamente agradável.
Cara simples, humilde, mas de forte personalidade.

Quantas vezes cheguei à Vila Belmiro, ou saía das transmissões, e encontrei o velho Zito firme e forte para dar sua rica contribuição ao Peixe.

Em diversas oportunidades tive a honra de recebê-lo na cabine de transmissão para um "boa tarde" e um abraço carinhoso.

Ultimamente em jogos na Vila Famosa o velho guerreiro não ocupava mais a sua cadeira cativa à frente da nossa cabine.

A idade chegou e a enfermidade não permitia a sua ida à sua segunda casa, o estádio Urbano Caldeira.

Foi o grande capitão do Santos na década de 60.
Bicampeão mundial com a Seleção nas Copas Suécia(58) e Chile(62).
Bicampeão mundial com o Peixe nos anos 60.

O Santos nunca prescindiu de seus conselhos e atos nos momentos difíceis da agremiação.

Foi jogador, diretor, conselheiro, consultor.  Pau pra toda a obra.

O futebol brasileiro só tem que agradecer a Zito por tudo o que fez e conquistou.

Familiares e amigos já nutrem forte saudade do Velho Capitão!!!






quinta-feira, 11 de junho de 2015

FUTEBOL OU VÔLEI?

À cada dia somos surpreendidos com fatos curiosos e interessantes, e muitas vezes intrigantes. 

Coloquei no twitter - como normalmente faço -que sábado e domingo irei transmitir os amistosos entre Brasil e Japão, vôlei feminino em Campinas.

Gosto de divulgar os eventos, mais pela importância dos espetáculos do que pela minha presença nas escalas.
Importantes são os jogadores, treinadores, as equipes.   Nós, comunicadores, temos participação quase insignificante nos eventos.

Porém, um seguidor da minha assinatura colocou comentário lamentando que eu estivesse numa jornada de vôlei, dando a entender que a minha escala deveria ser no futebol.

Dando a atenção que todos merecem, respondi a ele que gosto muito de transmitir voleibol.

Aí veio a tréplica do amigo e que me surpreendeu.

Disse que ficou decepcionado com o fato de eu gostar de narrar vôlei e que por isso passava a ser "menos fã" do meu trabalho.

Declarou achar que trabalhar numa transmissão de vôlei, para mim, fosse uma apenas uma "obrigação".

Entendo o cidadão, um amante forte do futebol e que não gosta de vôlei, mas se decepcionar comigo por gostar de narrar essa modalidade confesso que me indignou.

O fato de se declarar "menos fã" do meu trabalho em nada me abala - os anos me ensinaram a entender e a aceitar tudo isso.  Mas o fator motivador é que chamou a minha atenção.

Primeiro, sou um profissional da área e dou atenção e dedicação a qualquer transmissão, seja de que modalidade for.

Segundo, o fato de eu gostar de voleibol em nada me deprecia como profissional, e muito menos pessoalmente por me identificar com esse ou aquele esporte.

O que muitos não entendem é que nós, narradores, não somos EXCLUSIVOS do futebol.
Estamos no meio para comunicar em qualquer modalidade que se nos apresente nas escalas.

Mas, enfim, tudo é válido.

Cada um tem seu jeito de viver e de ver as coisas.

Mas confesso as vezes me espantar com alguns fatos, e que me parecem inacreditáveis.

Em tempo:  
Trabalhar em jogos de vôlei é muito prazeroso e SEGURO.  Bem diferente das jornadas nos estádios de futebol, onde o risco de se transformar em vítima da violência e da intemperança é MUITO GRANDE.
Hoje vamos aos ginásios do vôlei com alegria, descontração, com a certeza de um espetáculo bonito e com muita educação e respeito nas arquibancadas.
E isso é fato.














quarta-feira, 10 de junho de 2015

BRASIL x JAPÃO - DESAFIO DO VÔLEI

Minha semana de transmissões se resume ao voleibol.

Haverá uma série de quatro partidas entre as seleções femininas de Brasil e Japão.

Fase de preparação para as meninas brasileiras visando Grand Prix e também os Jogos Pan-Americanos de Toronto.

Estou em duas das partidas.

Sábado às 7 da noite no ginásio do Taquaral em Campinas, ao vivo pelo Sportv-2.

Domingo, 11 da manhã, no mesmo local, mas com jornada no Sportv.

Estarei nessa com Marco Freitas e Alexandre Oliveira, dois especialistas na matéria.




segunda-feira, 8 de junho de 2015

CANTINHO DE SAUDADE

Já são 9 anos da morte física de FIORI GIGLIOTTE.

Era véspera da abertura de mais uma Copa do Mundo e a comunicação esportiva perdia um dos seus maiores talentos.

Caipira do interior - e disso ele muito se orgulhava - Fiori se projetou como um locutor esportivo da maior qualidade.

Voz agradável, limpa, melodiosa, mestre Fiori chegou à São Paulo e ocupou o seu espaço de maneira brilhante.

Ele tinha o dom de emocionar, fosse narrando futebol, fosse falando da vida, do amor e dos sentimentos humanos.

Em quantas e quantas palestras Fiori fez as pessoas derramar lágrimas com as suas mensagens que tocavam o coração e a alma.

Simples de coração, ele jamais deixou de atender a quem quer que o procurasse.

Fiori tinha a maior intimidade com as palavras.
Formava frases perfeitas, criticava com respeito, analisava com ética plena.

E com a bola rolando foi excepcional.
Quantos momentos de ouro do futebol ele narrou.

Fiori, ser humano, nota DEZ.
Amável, cordial, sempre solícito, um gentleman.

Honesto.
Leal nas amizades.
Profissional na essência da acepção.

Ele continua deixando saudade.

Foi companheiro de trabalho, foi um dileto amigo, foi parceiro em vários projetos.

E assim como ele dizia nas suas inesquecíveis cronicas, deixa encrustada a sua passagem pelo planeta no nosso CANTINHO DE SAUDADE.......



















sexta-feira, 5 de junho de 2015

PALMEIRAS EM FLORIANÓPOLIS

Viajo neste domingo logo pela manhã para Florianópolis.

Lá teremos Figueirense x Palmeiras pelo Brasileirão às 7 e meia da noite.

Transmissão de Sportv - Premiére e PFC Internacional.

Estádio Orlando Scarpelli é o palco do jogo.

Estarei na jornada com Wagner Vilaron, Alisson Francisco e Alê Oliveira.

A transmissão vai começar logo após Brasil x México, amistoso em São Paulo.


terça-feira, 2 de junho de 2015

PELÉ E O EDSON

Sempre que fui chamado a opinar sobre declarações de Pelé, deixei clara a minha posição e dela não abro mão.

Na verdade e a bem da justiça, tudo o que for atribuído a Pelé enquanto comentários e suas apostas, deve ser debitado na conta de Edson Arantes do Nascimento.

Sempre entendi assim.

Dizer que Pelé falou isso ou aquilo é referir-se ao extraordinário personagem do futebol e que encantou todo o planeta.   É pretender manchar a marca Pelé.   Aliás, algo impossível de se conseguir.

Quem dá as opiniões é o Edson, cidadão.

Pelé/jogador não merece ser criticado pelo que fala o Edson.    
O primeiro foi o craque inigualável que o Mundo reverencia até hoje.
Edson é falível, como todos nós.

Sustentei certa vez num debate que as críticas às declarações de Edson Arantes do Nascimento, debitadas normalmente ao Pelé, têm até uma ponta de maldade e de preconceito.
Por incrível que pareça, a cor da pele de Edson/Pelé ainda incomoda muita gente.

Um ídolo mundial de cor negra sempre incomodou a muita gente.
Todos sabemos disso.
E continua incomodando.

Pelé foi um artista/mestre na arte de jogar futebol.
Merece e mereceu críticas enquanto jogador.

Não defendo o que diz o Edson.

Defendo e defenderei sempre o mito Pelé.

Nunca vi nada igual com a bola nos pés.

Ninguém o superou até hoje, em minha simples e modesta opinião.

Os equívocos que Edson comete ao articular frases e emitir opinião, o gênio Pelé nunca cometeu quando jogava futebol.

Então, acho justo e conveniente SEPARAR os personagens.

Eu, separo.








FIGUEIRENSE x PALMEIRAS, DOMINGO AO VIVO.

Domingo vou a Florianópolis.

Transmissão do Brasileirão pelo Sportv, Premiére e PFC Internacional.

Figueirense x Palmeiras, sexta rodada, 19:30 horas.

Nossa jornada começará logo depois do amistoso entre Brasil e México, ao vivo pelo Sportv.

Estarei no Orlando Scarpelli com Wagner Vilaron, Alysson Francisco e Alexandre Oliveira, além de muitos profissionais da parte técnica, produção, coordenação e de apoio.

No Sportv para todo o Brasil, menos Sta.Catarina.
No Premiére, inclusive Santa Catarina.
No PFC Internacional para dezenas de países.


MUNDO CONTURBADO. PENSAMENTOS. O TEMPO..........

De maneira geral, o mundo inteiro está sendo passado a limpo.

O ser aqui habitado - o humano - e ainda estando na sua pré-infância mental, comete os mais incríveis absurdos e atormenta aqueles que já cresceram um pouquinho mais, intimamente.

E os que se indignam com as aberrações cometidas também são imperfeitos e precisam entender os erros dos semelhantes, porém contribuindo para ajudá-los a acordar e a aceitar as falhas.
E assim como fazemos com as crianças à nossa volta, surgem as punições, os castigos e tudo mais.

Muitas vezes criticamos a quem comete aberrações e pedimos severas punições, mas acabamos por esquecer de corrigir as nossas falhas, em total equivoco de autoavaliação. 
E muitas vezes também achamos que já somos perfeitos e que não precisamos de corretivos e correções de rota.

Na verdade, somos presunçosos e estamos sempre dispostos a ignorar nossos vícios, mas diariamente dispostos a condenar quem nos rodeia.

Para entender o que está acontecendo é preciso aceitar a progressão de vidas.

Não estamos aqui pela primeira vez.
Estamos vindo de outras jornadas, de tantas jornadas.
E como tal, vamos acumulando progressos e também erros cometidos e que necessitamos quitá-los para dar pequenos passos no crescimento interior.

Ninguém progride sem tropeços, mas principalmente sem que reconheça que errou.

Assim como nas faculdades, buscamos sempre "passar de ano".
Mas para isso é necessário aplicação, resignação, e muito estudo.
Isso também se aplica ao nosso viver presente.

Importante também dizer que o grande e magnífico computador cósmico a tudo registra.
Nada se lhe escapa.

Nossas ações e atitudes produzem efeitos e todos são captados e registrados.

Vamos acumulando bônus, ou não.
Os bônus nos fazem progredir na caminhada, a estagnação nos faz "repetir de ano".

O mundo terreno está turbulento porque os seres que aqui habitam nesta passagem figuram em quadro baixo de progresso moral.   Todos nós.    Uns mais, outros menos.

E o planeta vibra exatamente nessa esfera e dimensão.

Aos que firmemente acreditam em uma existência apenas, fica quase impossível entender o desenrolar dos fatos mundo afora.

Ao longo de nossa existência vamos virando páginas e páginas.
E com elas, acumulando dívidas de consciência, mas também progressos morais.

Não importa qual seja o seu Deus, ou se Ele existe ou não.  
Importante é ser humilde, reconhecer as nossas limitações e aceitar que acima de nós há Inteligências Maiores.    Muto acima de nossas cabeças e mentes.

Não fosse assim e o Universo não seria essa imensidão que é, com sintonia e sincronia.

De toda essa reflexão acho importante aceitar nossa temporária pequenez de conhecimentos e evolução, e tentar raciocinar com humildade ao perceber tudo o que está à nossa volta.

Ainda não entendemos TUDO, mas dá para sentir a grandeza e a grandiosidade acima de nossas frágeis cabeças ( física e mental ).

Endurecer e se fixar apenas no MOMENTO é agir como as crianças turronas e desobedientes, que normalmente ao crescerem admitirão a sabedoria dos pais.

Ainda bem que querendo ou não, a gente cresce.
O tempo nos faz crescer e amadurecer.
Ele, o tempo, é nosso amigo e aliado.

Sejamos aliados do tempo.
Ajudemos na parte que nos toca.
Sem braços cruzados no conforto da ignorância.