quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

PALMEIRAS x CAPIVARIANO.

Escala do final de semana.

Palmeiras x Capivariano, 18:30, ao vivo pelo Premiére e PFC Internacional.

7a. rodada do Paulistão.

Estarei nessa com Juliano Belletti e Anselmo Caparica.


segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

LINENSE x CORINTHIANS, QUARTA AO VIVO.

Quarta-feira vou à cidade de Lins na região Centro-Oeste do estado de São Paulo.
Está há 430 km da capital paulista e conta com aproximadamente 80 mil habitantes.

No estádio Gilberto Siqueira Lopes será jogada uma partida da segunda rodada do Paulistão: Linense x Corinthians.

Vai começar às 19:30 e terá transmissão do Sportv.

Os compromissos da Libertadores fizeram com que o Corinthians ficasse devendo dois jogos do estadual: este contra o Linense e outro com a Portuguesa e que acontecerá dia 24 de março.

Diretoria do Elefante espera 12 mil pessoas no estádio.
Em 2013 pelo Paulistão num Linense x Corinthians o borderô registrou 13.069 pessoas.

Estarei na jornada de trabalho com Wagner Vilaron - William Machado - Anselmo Caparica - Felipe Brisolla aos microfones.

Na coordenação, Estevão Nunes, Bruno Felberg e Eduardo Melido.

Uma boa semana a todos!!!


sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

CAMPINAS x CRUZEIRO PELA SUPERLIGA

Neste sábado a escala me coloca em Campinas.

Nove e meia da noite o Sportv transmite Superliga, penúltima rodada da primeira fase.

Campinas(3o. colocado) versus Cruzeiro ( o líder ).

Ginásio do Taquaral.

Lá estarei com o comentarista Marco Freitas e Joanna de Assis nas reportagens.

Coordenação dos trabalhos de Juliana Mattos e Estevão Nunes.

Vôlei de alto nível.




quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

DISCUSSÕES, DIVERGÊNCIAS, LIMITES.....

Algumas pessoas me cobram sobre discutir as coisas do futebol aqui no blog, como a situação dos clubes, lances duvidosos, arbitragens e tudo mais.

Já de algum tempo deixei de fazer isso.

Aprendi que discussões sobre futebol normalmente são tendenciosas e infrutíferas.
Sempre há uma pendência para a paixão, daí surgindo a falta de frieza e isenção na análise.
É mais ou menos como discutir bandeiras religiosas.

Já faz algum tempo também que não assisto a programas de debates.
Respeito quem os faz e a quem gosta, mas não me atraem.
Profissionalmente participei inúmeras vezes deles, mas hoje em dia fujo descaradamente dessas escalas.

Ainda bem que minhas chefias sabem disso e me poupam desse trabalho.

Talvez você já esteja me rotulando de cansado, velho ou coisa parecida.
Pode ser, sim.
Não descarto essa realidade.
E se for, não me envergonho disso e nem me preocupo com a cronologia.

Acho que o tempo vai nos deixando mais exigentes, mais rigorosos nas escolhas, com os olhos e sentidos mais voltados para outras coisas da vida.
E disso eu gosto.

Hoje me preocupo muito mais com a situação política do Brasil e do Mundo, do que com o esporte em si.  Preocupo-me com a saúde pública.   Com a Educação.
E agora, com a falta de água.

Tenho herdeiros e quero um planeta melhor e saudável para eles todos.

O futebol é apaixonante, emocionante, envolvente, mas não é mais prioridade em minha vida, como já o fora.
Devo muito a esse esporte e a todo o esporte, pois construí minha vida pessoal e profissional trabalhando com eles.
Sou eternamente grato a tudo o que me aconteceu na carreira, desde os 20 anos de idade.

Mas como me sinto na obrigação de justificar algumas coisas para as pessoas que me seguem, dou esta explicação pela falta de comentários mais diretos e profundos sobre o futebol aqui neste espaço.

Posso até pedir desculpas, se isto for necessário, mas me reservo o direito de priorizar outros facetas da vida.

Às vezes sou "repreendido" por familiares por deixar de assistir aos grandes eventos do futebol, indo cedo para a cama ou preferindo outro entretenimento, mas é como me sinto nos dias de hoje.

Me mantenho informado, obviamente, pois ainda estou exercendo a profissão e gosto muito dela.

Vou para as transmissões devidamente "armado" de informações pois tenho a obrigação de fazer um trabalho razoável e me dedico 100% quando estou no ar.
Jamais negligenciaria nas minhas funções principais de trabalho.

Mas a coleção de decepções ao longo das jornadas é grande, assim como acontece em outras profissões, com toda a certeza.

Ir a um estádio atualmente é correr um grande risco.
Isto englobando a todos que trabalham num evento futebolístico.
E este é na minha opinião o principal fator pela queda de público nos estádios.

Ousar abrir um assunto nas redes sociais, então, é deflagrar uma guerra imensa e sem barreiras quanto à educação e respeito.

Por isso já deixei o Facebook e também deixarei o Twitter.

Ainda não aprendemos a respeitar a opinião do outro.
Podemos discordar, discutir, mas sempre com respeito e educação.
E isto raramente ocorre nas chamadas redes.
E também em alguns blogs.

Alias, as redes sociais vieram para escancarar o quanto somos desrespeitosos, mal-educados e agressivos.  O quanto somos intolerantes e "donos da verdade".

Como estou numa fase de vida onde felizmente "enxergo" e posso "escolher",  selecionar assuntos, me privo de muitos dissabores e que em nada me acrescentariam interiormente.

Portanto, àqueles que me cobram discussões acaloradas sobre futebol aqui neste espaço, peço sonoras desculpas e sinto não corresponder à expectativa.

É um desabafo e uma explicação aos queridos seguidores.
Poucos, mas de muita qualidade, isto eu afirmo.















quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

SEM RANCORES E MÁGOAS

Daqui a dois meses fará 1 ano da morte de Luciano do Valle.

Sei que sou suspeito para comentar tudo o que vivi na Band ao seu comando, pois sempre o admirei e era seu amigo, mas naquela época fui testemunha de alguns fatos notáveis dele.

Vários profissionais que se encontravam desempregados ou em má situação na empresa que estavam, foram levados para a Band no projeto Show do Esporte.

E com um detalhe que intrigava à muita gente: esses desempregados tinham sido desafetos de Luciano em outros momentos.
Pessoas que tentaram prejudicá-lo em outras emissoras, ou que o trataram mal, foram contratados por ele.

Na redação o burburinho era corrente de pessoas inconformadas com o que acontecia e com aquela pergunta: "Mas esses caras não tentaram prejudicá-lo ? "

Mas Luciano era assim.
Priorizava o profissionalismo de cada um e preferia arquivar acontecimentos passados.

E o mesmo aconteceu quando decidiu dar espaço a ex-jogadores nos comentários, porém de maneira diferente.
Deu oportunidade a vários ex-atletas - alguns até em situação financeira difícil na época - e tempos depois recebeu como troco, críticas e deboches.
Fui testemunha disso.

Deixando claro que quanto aos ex-jogadores, apenas alguns agiram assim.
Outros foram leais e muito agradecidos a Luciano pela oportunidade.
Igualmente ocorreu com outros profissionais da área jornalística, que reconheceram gratidão pela contratação e vestiram a camisa do projeto.

Conto isso para expor mais uma das facetas positivas dele.

Dia 19 de abril fará 1 ano da sua partida do Mundo Físico.













terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

SUPERLIGA NO SÁBADO

Minha escala da semana é sábado na Superliga masculina.

Penúltima rodada da primeira fase.

Campinas x Cruzeiro, 21:30, no ginásio do Taquaral, ao vivo Sportv e PFC Internacional.

O time mineiro já é o primeiro colocado e irá enfrentar o oitavo na próxima fase.

Já Campinas está disputando posição com Taubaté e SESI.

Cruzeiro acaba de jogar a final do Sul-Americano na Argentina ficando com o segundo lugar.
EPCN argentino foi o campeão.

Sábado será desenvolvida a 21a. rodada da Superliga masculina.

Oito equipes passam de fase e haverá o cruzamento: primeiro x oitavo; segundo x sétimo; terceiro x sexto; quarto contra o quinto colocado.


sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

SÁBADO DE CARNAVAL

Neste sábado de Carnaval tenho escala de trabalho.

O jogo é Bragantino x São Paulo, em Bragança, válido pela quinta rodada do Paulistão.

Vai começar às 18:30 e com transmissão Sportv.

O Massa Bruta venceu na primeira rodada e depois conheceu três derrotas seguidas.

Já o Tricolor do Morumbi está invicto, líder de grupo, entretanto mais preocupado com a estréia na Libertadores dia 18 diante do Corinthians em Itaquera.

Estarei na jornada com William Machado, Thiago Crespo e Felipe Diniz.

Geração de imagens com a EPTV/Campinas e na coordenação da transmissão os amigos Paulinho Predella e Eduardo Melido.


quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

11 ANOS SEM O MARCÃO

Sempre quando chega fevereiro bate a lembrança da partida de um grande amigo e de um grande profissional da comunicação.

Quando ele atuava no rádio eu já era seu fã.

Tempos depois tive a grande honra de trabalhar com ele na mesma equipe, no time da TV Bandeirantes e no projeto SHOW DO ESPORTE.

Em diversas oportunidades contei a ele da minha admiração pelo seu trabalho no rádio e o quanto eu o admirava.
Simples e modesto, ria e dizia que eu estava exagerando e o deixando sem graça.

Levou toda a experiência do rádio e por grandes equipes onde passou, para a televisão.

Ainda lembro do dia em que Luciano do Valle me disse que o convidaria para integrar a nossa equipe na Band.  Ele também era admirado pelo Luciano.

Foi em 1985 que esse querido amigo se juntou a nós lá pelos lados do Morumbi.

Na Copa do México em 1986 dividimos um apartamento na capital mexicana e aí pude conviver e conhecer mais da sua personalidade e da sua extrema fidalguia.

Fizemos outras coberturas internacionais juntos.

Transformou-se depois no grande narrador do vôlei pela Band.
Inovou, apelidou vários jogadores, criou jargões espetaculares.
Voz bonita, forte, além de tiradas inteligentes e que cativaram o grande público desse esporte, marcaram sua passagem pelo Canal do Esporte, a Band sob o comando de Luciano do Valle.

Estou me referindo a MARCO ANTONIO, evidentemente.
Marco Antonio Mattos.
O Marcão.

Foi vítima de um acidente de carro num domingo chuvoso perto de Ribeirão Preto - onde morava - logo depois de uma transmissão pela Rede Vida em sua cidade natal, Barretos.

Transmissão aliás que só teve a abertura para justificar o adiamento de uma partida da série A/2 do Paulista, por causa das fortes chuvas na região.

Marco fez a justificativa ao vivo na Rede Vida, foi visitar a mamãe e familiares na cidade ( Barretos ) e no final da tarde pegou a estrada para voltar pra casa (Ribeirão Preto).

Foi em fevereiro de 2004.

Continua fazendo falta pela sua competência profissional, e muito mais pelo ser humano que foi.

Marco Antonio merece todas as nossas homenagens.













terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

PRÓXIMAS ESCALAS

Tenho duas escalas de transmissão pela frente.

Quinta-feira vou a Moisés Lucarelli.

Ponte x Marília é o jogo.
Vai começar às 9 da noite e ao vivo pelo SPORTV.

A Macaca só tropeçou na primeira rodada jogando em casa e perdendo para a Lusa, mas depois se reabilitou derrotando o Palmeiras e empatando em Ribeirão Preto com o Bota.

O Marília?  
Três jogos, três derrotas.   Caiu o técnico.    Salários em atraso.  
Começo de campeonato preocupante para a torcida mariliense.

Sábado irei a Bragança Paulista.
Bragantino vai receber o São Paulo.
O jogo é às 18:30 e ao vivo no Sportv.

O Braga vem de duas derrotas seguidas.
Já o Tricolor tem aproveitamento total no campeonato: 3 jogos, todos com vitórias.

Final de semana com o inicio do Carnaval, mas com boa rolando pelo Paulistão.










segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

DE QUEM É A CULPA ?

A respeito dos incidentes no clássico Palmeiras x Corinthians e as dezenas de mortes em um jogo de futebol no Egito no final de semana, tenho uma posição.

Muito acima da responsabilidade das autoridades, que devem cuidar da segurança da população, destaco os excessos das pessoas que causam os tumultos e as mortes.

Sou da opinião que se colocarmos um policial para cada cidadão no planeta, ainda assim haverá a prática da violência e da burla das leis, dada a intensa onda de desequilíbrio que assola a humanidade.

A violência deve ser atribuída diretamente a quem promove a violência.

Culpar exclusivamente as associações, como a polícia no caso, é injusto.
Culpar exclusivamente as autoridades promotoras dos espetáculos é injusto igualmente.

É claro que sempre há alguma culpa em quem promove os espetáculos, por negligência ou falta de organização ou omissão em detalhes de segurança, MAS bato na tecla que o maior culpado é aquele que PROMOVE a violência diretamente se envolvendo em tumultos e atos de vandalismo.

A polícia somente intervêm quando necessário e quando requisitada.

Não é ela que pratica a violência nesses tumultos do futebol.  E se ela se excede às vezes é para repelir os violentos e intimidar os grupos beligerantes.

* detalhe.  Não sou policial e nem tenho parentes e amigos policiais.  Nem tenho procuração para defender a policia.   Apenas quero ser justo nas análises.

Reitero que a violência no futebol pelas organizadas é responsabilidade EXCLUSIVA dessas facções, pois afinal são sempre elas que aparecem nesses lamentáveis tumultos.

Se todos se comportassem com disciplina e educação nesses espetáculos nem precisaríamos da presença do policiamento.    Isso é óbvio, mas acentua que o vandalismo parte de quem é vândalo, de quem é mau elemento.

Quem é do bem jamais provoca a intervenção da Polícia.

E se hoje existe a violência as causas são diversas e é um tema para sociólogos, psicólogos e profissionais especializados.   Jamais botar a culpa na Polícia ou em qualquer deslize nos itens de segurança para um espetáculo público.

Quem sabe se comportar jamais irá precisar de advertência ou de correção policial, seja no cotidiano, seja em jogos de futebol.

Então, que a justiça seja feita nesses casos.  Os errados são os imbecis que perturbam a ordem pública. Os bandidos são os únicos culpados.

E que eles sejam duramente combatidos,
Pela Polícia e pela Justiça.

















sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

SUL-AMERICANO DE VÔLEI

Nesta sexta estarei em Osasco.

Sul-Americano feminino de vôlei.

Às 9 da noite transmissão de Rio de Janeiro x Villa Dora(Argentina) pelo Sportv.

Domingo volto a Osasco para a final do torneio, que vale vaga no Mundial de maio em Zurique, Suíça.

A decisão está marcada para domingo as 13:30horas e também ao vivo pelo Sportv.

Nas duas jornadas estarei com Jorge Vinicius, Marco Freitas, Fabíola Andrade, Joanna de Assis.
Mais os coordenadores Estevão Nunes, Amanda e Manoela Ache.




terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

BORGHI JR.

Comecei no rádio, esse veículo fantástico e apaixonante.

Lá atrás no tempo, a grande maioria das cidades só tinha uma emissora de rádio ( AM naturalmente ) e os locutores eram ídolos.

E quem se destacasse nas rádios locais logo era apontado para ir trabalhar nos grandes centros, isto é, nas capitais.

E quem trabalhava no interior sonhava em ocupar um microfone "grande", de maior abrangência, evidentemente.

No meu caso, a meta era ser narrador de uma rádio Bandeirantes, Panamericana, Tupi, Record, na época.

Como eu ouvia mais a Bandeirantes, o Escrete do Rádio, eu sonhava em um dia trabalhar lá.

Pude realizar o sonho, ingressando no Morumbi em janeiro de 1980.

E dos ídolos que eu ouvia - e foram muitos - o narrador Borghi Jr. era um deles.

Borghi durante muitos anos formou no timaço de comunicadores da Bandeirantes e certamente quando iniciou a carreira em Monte Alto/SP ele também mirava chegar à emissora da família Saad.

Viajei muitas e muitas vezes pela Gazeta tendo o companheiro e amigo Borghi Jr pela Bandeirantes ao meu lado.

Nosso relacionamento foi sempre cordial, de muito respeito.

Paralelamente à atividade de grande narrador, Borghi era empresário e especializou-se em marcas e patentes.
Trabalhou muito nessa área e era referência no setor.

Para a minha surpresa li no site do amigo Edú César ( PAPO DE BOLA ) que Borghi faleceu há poucos dias atrás.

Faço questão de enaltecer homenagens a quem ajudou a escrever a história do rádio aqui neste espaço.

Borghi Jr foi extremamente competente na comunicação esportiva e um ser humano responsável e amigo de todos.

Tinha 83 anos de idade.

Dante Borghi Júnior, seu nome de batismo.

Fica a minha homenagem e a minha solidariedade à família do já saudoso amigo.







segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

A MORTE DE DALMO

Outro dia fizemos a homenagem a NENECA, goleiro campeão brasileiro de 1978 pelo Guarani.

Agora quem nos deixa é DALMO GASPAR, lateral esquerdo do Santos na década de 60 e bicampeão mundial pelo Peixe.

Nascido em Jundiaí, Dalmo jogava nos juvenis do Paulista local, passou pelo São Paulo, jogou no Guarani de Campinas e brilhou no Santos FC.

Era um lateral técnico, da época em que um jogador dessa posição era praticamente proibido de atacar.  Lateral marcava o ponta, e só.
Mas Dalmo sabia descer para o ataque com precisão sem se descuidar do setor lá atrás.

Havia exceções, é claro, como o saudoso Djalma Santos, que ia a todo instante fazer apoio ao ataque.
Ferrari, lateral que atuou pelo Guarani e depois pelo Palmeiras, era rápido, veloz, ia à frente e voltava com muita frequência e eficiência.  Um dos maiores que vi atuar naquele setor.
E muitos outros....

Dalmo era sereno, tranquilo, tinha ótimo domínio de bola e dificilmente errava um passe.
Batia bem pênaltis, uma de suas especialidades.
Foi ele quem cobrou a penalidade máxima na decisão do Mundial de 63 contra o Milan no Maracanã.

Dalmo estava doente em Jundiaí há algum tempo.
82 anos de idade.
Hospitalizado, não resistiu.

Foi comentarista de rádio em Jundiaí durante um bom período.

Todas as homenagens devem ser prestadas a ele.
Principalmente pelo Santos FC.





ESCALAS DA SEMANA

Semana começando e quarta-feira vou a Mogi Mirim.

Duas equipes que venceram na primeira rodada: Mogi e Santos.

Segunda rodada do Paulistão.

Marcado para as 22 horas e com transmissão do Premiére.

Lä estarei com os comentários de Renato Leal e reportagens de Daniel Moreira Dias.

À partir de quinta estarei com o Sul-Americano feminino de vôlei.
Os jogos serão em Osasco.
Vale vaga para o Mundial.
Osasco e Rio de Janeiro representando o Brasil nessa.

O torneio começa na quinta e termina no domingo no ginásio José Liberatti.