sexta-feira, 31 de outubro de 2014

BASILICA DE APARECIDA, CENTRO DE ENERGIA E FÉ.

Estive nesta semana em Aparecida fazendo transmissão da Superliga masculina.

O ginásio fica no complexo da Basílica de Nossa Senhora Aparecida.
Na verdade, é um misto de ginásio e recinto de palestras, que abriga mais de 6 mil pessoas.
Muito bonito, bem cuidado e que foi um bom palco para a partida entre São José e Cruzeiro pela Superliga.

O time do S.José deve mandar outros jogos da competição em Aparecida.
* São José dos Campos é a cidade da equipe campeã da Superliga-B e que subiu para a elite do vôlei.

Havia mais de 30 anos que eu não visitava a Basílica.
Nos anos 80, quando lá estive, obras de ampliação aconteciam no Santuário.

E em plena sexta-feira, e como sempre ocorre, centenas de pessoas assistiam às missas e visitavam as dependências da Basílica.

Aparecida é a capital do catolicismo brasileiro.
Local de fé e de esperança para muita gente.
Um centro de energia espiritual fantástico.

A cidade cresceu muito no aspecto turístico, com muitos hotéis, pousadas, restaurantes.

Aliás, tenho comigo que independentemente da bandeira religiosa das pessoas, todo templo merece ser reverenciado.   É um ponto da espiritualidade onde legiões de amparadores operam, atendendo aos necessitados, sem qualquer preocupação com o rótulo da religião.

Vale a fé!

Vale o "acreditar" !!!

terça-feira, 28 de outubro de 2014

VOU DE VÔLEI

Semana que vou de vôlei.

Quinta em Aparecida do Norte e sábado em Campinas.

Primeira rodada da Superliga.
Em Aparecida teremos São José x Cruzeiro às 9 da noite com transmissão ao vivo pelo SPORTV.
A partida acontecerá no ginásio da Basílica, capacidade para mais de 6 mil pessoas, reunindo os campeões da temporada passada:  Cruzeiro ganhou a Superliga e o S.José foi o campeão da Superliga-B.

Estarei na jornada com Carlão, Nalbert, Fabíola Andrade e grande equipe no local e retaguarda Globosat.

Sábado estarei no ginásio do Taquaral em Campinas.
Mais um jogo da Superliga.
Campinas x Taubaté, 9 e meia da noite, ao vivo no Sportv-2.
Jogo que promete ser gigante.
Duas fortes equipes.
O Taubaté o time emergente do vôlei nacional.

Estarei nessa com Nalbert nos comentários.




segunda-feira, 27 de outubro de 2014

PAIXÃO E DESCONTROLE.

Presenciei dois fatos sábado no Pacaembu quando de Palmeiras x Corinthians que me impressionaram.

Primeiro, a morte de um torcedor palmeirense após o gol do alviverde.  Tomado pela emoção ele teve um infarto, foi atendido prontamente, encaminhado a um hospital próximo, mas veio a falecer.
Algum problema físico já existente somado à emoção do futebol acabou por tirar a vida dessa pessoa, lamentavelmente.

Terminada a partida, um torcedor ficou à frente das tribunas do Pacaembu gritando muito forte, muito alto, desafiando imprensa e dirigentes, colocando para fora um rancor incomensurável.   Isso durou cerca de 5 minutos.
E preocupou muita gente, pois o cidadão dava sinais de que a qualquer momento teria algum colapso, dada à intensidade da sua raiva e do seu desabafo.
Faltou pouco para que tivéssemos mais um caso grave de saúde no estádio.

É claro que entendemos o envolvimento radical de muitas pessoas com o futebol.   Essa modalidade esportiva leva a isso.  Há quem priorize o seu time e suas emoções em detrimento de outras coisas muito mais importantes na vida.   E muitas vezes se dá mal.

É livre gostar e se dedicar ao futebol e a algum clubes.  É legítimo.  
Mas tudo na vida tem de obedecer a limites.
À partir do momento que uma paixão exacerbada interfira no "pessoal" de alguém, ou de sua família, ou em suas atividades profissionais, é perigoso e passível de revisão nos conceitos.

Quantas amizades são desfeitas por causa de discussões banais a respeito de um jogo de futebol.
Quantas famílias se desintegram em razão de atitudes impensadas e tendo o futebol no recheio do problema.
É necessário refletir profundamente sobre a questão.

O esporte profissional existe, a competição é do contexto, as controvérsias fazem parte do produto, mas jamais podem interferir no comportamento pessoal em conexão com os acontecimentos sociais, principalmente familiares.

Com o futebol cada vez mais profissionalizado e onde os atletas e treinadores giram com seus empregos de maneira rápida e constante, com nenhum deles tendo apelo emocional à esta ou aquela agremiação, é bom o torcedor refletir se vale a pena um envolvimento tão forte a ponto de colocar em risco a própria saúde.

Gostar de futebol é legítimo, torcer é do jogo, mas sem passar "do ponto" da racionalidade.
Não é inteligente prejudicar a saúde e a harmonia no lar por causa desse esporte.

Aquele cidadão que ficou vociferando após o clássico à frente das tribunas do Pacaembu, colocando claramente a sua saúde física em risco pois poderia sofrer algum acidente cardíaco dado ao grau de alteração emocional, demonstrou o quanto é preciso um policiamento íntimo sobre a questão.
Com certeza chegou em casa ainda irritado, nervoso, alterado, e não deu o carinho e a atenção que os familiares merecem.

É bom refletir........




domingo, 26 de outubro de 2014

MORRE UM CRAQUE DO JORNALISMO

Recebo a notícia da morte do brilhante jornalista Michel Lawrence.

Lutou bravamente pela recuperação da saúde, voltou ao trabalho na TV Cultura recentemente mas sofreu uma queda e fratura em um dos braços.
Novamente internado foi vítima de uma infecção hospitalar e não resistiu.

Michel nos deixa aos 76 anos de idade.
Fundou a revista PLACAR nos anos 70.
Passou pelas principais emissoras de televisão brasileiras.
Dono de um texto espetacular.
Humano ao chefiar equipes.
Um gentleman das redações por onde passou.

Tive a honra de trabalhar com ele na Bandeirantes.

Quantos depoimentos já obtive de pessoas que trabalharam com ele, ressaltando sua maestria profissional e seu lado humano todo especial de líder nato.

Escreveu história rica do jornalismo esportivo brasileiro.

Grandes reportagens fez pela PLACAR.
Era respeitado pelos técnicos e jogadores da época.
Um exemplo disso?    Edson Arantes do Nascimento, Pelé.
Roberto Rivellino sempre exaltou o profissionalismo de Michel.
E tantos outros respeitavam o grande mestre.

Bruno Lawrence, um de seus filhos, é repórter da TV Globo e com quem também tive o prazer de trabalhar pelo Sportv.

O jornalismo esportivo do Brasil deve muito a Michel.
Profissionais que hoje são adultos na área foram cria dele.

Faça a passagem em paz, querido amigo.
Com a consciência limpa do dever cumprido.

OBRIGADO pelas lições de vida e de trabalho !!!!

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

PALMEIRAS x CORINTHIANS, SÁBADO AO VIVO.

A escala de trabalho me coloca no Pacaembu neste sábado.

Tem clássico paulista na rodada do Brasileiro.
Palmeiras x Corinthians.
Vai começar às 16:20 (horário de verão).
Rodada 31.
A antiga rivalidade em campo.

O jogo terá a transmissão do Premiére-HD e também do PFC Internacional.

Estarei na jornada com Wagner Vilaron, Fabíola Andrade e Felipe Brisolla.
Geração no estádio da equipe Globosat.

Participaremos do programa TÁ NA ÁREA, do Sportv, à partir das 15 horas.


quarta-feira, 22 de outubro de 2014

O PRAZER DA PAZ NOS GINÁSIOS

Vão começar as escalas da Superliga.

Além da qualidade técnica do vôlei brasileiro, e já faz tempo, narrar esse esporte é muito prazeroso.

A Superliga é bem organizada e os jogos muito atraentes.

Destaque também para o clima nos ginásios.  Melhor, impossível.
Público que participa ativamente e que se respeita.
Mesmo sem ter a intensa rivalidade do futebol, obviamente, as torcidas sabem dos seus limites e se comportam dignamente.

Só tenho lembrança de pequeno tumulto em um ginásio, em jogo de vôlei, anos atrás em Suzano, quando os envolvidos pertenciam à uma organizada do futebol e que se infiltraram no ginásio para destilar seus baixos instintos.

Predominam as famílias nas partidas de vôlei.

A Superliga tem início neste final de semana e minha primeira escala é dia 30/10 em São José dos Campos.    O time da casa vai pegar o Cruzeiro.

Muito bom.



segunda-feira, 20 de outubro de 2014

URNAS E A OBRIGATORIEDADE.

Como o tempo vai nos mudando.  E é claro, para melhor ou para pior.

Isto não deve ocorrer com todas as pessoas, obviamente, mas comigo muita coisa se modificou em interesse e posições sociais e políticas.

Amigos e amigas, não parei uma única vez para assistir à propaganda política neste ano.
Cansei dos mesmos discursos, das mesmas promessas e principalmente das trocas de farpas pessoais, relegando o País e seus problemas a um segundo plano.

Não votei no primeiro turno pois estava fora do Brasil.
Mas domingo terei de comparecer à urna.
O tempo também me deixou arredio a tudo o que é obrigatório.
Ora, se vivemos em democracia, por que sou obrigado a isto ou àquilo?

Na democracia há direitos e obrigações, é claro.
Mas decidir se vou às urnas votar ou não, tem de ser algo meu, íntimo.
Basta nos tempos da ditadura quando tocar uma música em meu programa de rádio precisava passar por um crivo de censura.
Havia uma lista das músicas "proibidas" de execução nas emissoras.
Isto e muito mais....

Portanto, respeito profundamente as pessoas que amam a disputa eleitoral e que se engajam diretamente nas discussões, mas não é a minha praia.

Perdi a confiança na imensa maioria dos homens públicos - e aqui confesso errar em radicalizar, pois deve haver gente séria nesse meio.
Acho que perdi a confiança no "sistema" que predomina, sufocando as pessoas de bem e que chegam aos governos com a melhor das intenções.

Achei que deveria expor a minha posição, até como uma maneira de "discutir" o momento político que atravessamos.  
Se não ando nada entusiasmado com as eleições, deixo claro que cada um deve bater no peito e desfechar o que deseja fazer.

Vou à minha secção eleitoral domingo por força da lei.
Nada do que aí está corresponde aos meus conceitos.
E estou aberto às críticas e condenações pela posição que assumo.

Ser obrigado a votar, num País democrático, é um desrespeito à liberdade de expressão do cidadão.

Penso sim no meu País e no que será herdado pelos meus filhos e netos, mas precisamos evoluir no processo democrático.  

O melhor legado para as gerações é libertar as pessoas de amarras, resquícios da ditadura militar.

E que os homens públicos reflitam sobre a sua responsabilidade perante toda a sociedade.

Quem tem um mandato político e não o honra com dignidade e atitudes profícuas, comete crime de lesa confiança popular.
E carregarão nas costas esse peso do mau desempenho social e político.








REFLEXÕES, REFLEXÕES..........

Estive na Itália por quase 1 mês, à trabalho, e é claro que prestei muita atenção nos programas esportivos das tevês locais.

A paixão pelo futebol, sabemos disso, muitas vezes acaba cegando as pessoas.

Lá também a choradeira por erros de arbitragem é bem grande.
Joga-se tudo nas costas da arbitragem quando o time do coração perde.

Não importa se o time jogou mal e seus atletas erraram demais ( e normalmente erram mais que os juízes ).
Para os torcedores apaixonados vale sim que o árbitro errou "naquele lance" e que por isso a equipe perdeu o jogo.

Digo que não defendo as arbitragens por conveniência ou algo parecido.  Não tenho parentes que apitam, e nunca tive.  Mas acho que devemos ser justos nas análises.

Afora atos e atitudes levianas de algum apitador, e há levianos por toda a parte, devemos acreditar na honradez das pessoas ( até que se prove o contrário ) e crer que os erros fazem parte das dificuldades em se atuar no futebol.

O árbitro e bandeiras erram, assim como os treinadores, jogadores e jornalistas.

Então, por que creditar somente aos juízes as derrotas?

Temos uma tendência a compor "teorias conspiratórias" no futebol, sabemos disso, mas em agindo assim incorremos em atos injustos com quem é honesto e bem intencionado.

É assim no Brasil, na Itália, na Argentina......

Infelizmente isto não irá mudar no futebol.
Mas vemos em outros esportes.  No tênis, vôlei, por exemplo, há muitos casos em que atletas ajudam às arbitragens a esclarecer pontos discutíveis, mesmo tendo prejuízo nas decisões.

E para encerrar, lembro de um clássico no Morumbi em que o Palmeiras teve um pênalti marcado a seu favor e em cima do meia Alex ( hoje em final de carreira no Coritiba ).
Terminada a partida, Alex entrevistado confessou que "não sofreu o pênalti" e que o Palmeiras havia sido beneficiado.
Foi um espanto.

No dia seguinte, um dirigente do Verdão advertiu o meia pela declaração honesta e justa de que não tinha sofrido o pênalti.

Resumo:  ser honesto ( no futebol ) é passível de bronca e punição.

Pobre cultura desse esporte.








sexta-feira, 17 de outubro de 2014

PALMEIRAS x SANTOS NO PACAEMBU.

Neste domingo vou ao Pacaembu.

De volta às transmissões pelo Premiére e no futebol.

Palmeiras x Santos às 4 da tarde (horário de Verão) no Paulo Machado de Carvalho, valendo pela 29a rodada, a décima do returno.

Nossa transmissão começa 15 minutos antes das 16 horas pelo Premiére.
Mas à partir das 3 da tarde já estaremos participando do programa TÁ NA ÁREA do Sportv.

Estarei nessa jornada de trabalho com William, André Hernan, Tiago Crespo e grande equipe de frente e retaguarda.

À todos um excelente final de semana.

Aproveitem!


quinta-feira, 16 de outubro de 2014

DE FILHA PARA PAI - FAMILIA DO VALLE

A querida Fernanda do Valle lança hoje, quinta-feira, 16 de outubro, o livro "" De: Filha, Para: Pai"" contando a convivência com Luciano do Valle, seu pai.

Será na Livraria da Vila, no Shoping Galleria, Campinas, às 18:30.

Fernanda é escritora e nesse livro conta a sua vida com o pai jornalista esportivo.
Há vários depoimentos de amigos de Luciano enriquecendo a obra.

Ela voltava de uma viagem à Nova York e durante o voo sonhou com o pai.
Acordou e pegou o computador começando a escrever sem parar.
Terminou o livro em 3 semanas.
Tudo fluiu muito fácil.

No próximo domingo fará 6 meses do falecimento de Luciano.

Convivi com ele desde os anos 80.
Em minhas viagens transmitindo Fórmula-1 pela rádio Bandeirantes, várias vezes bati longos e agradáveis papos com Luciano.
Ali começou o nosso relacionamento pessoal, e que à partir de 1983 passou a ser profissional também.

Um livro, portanto, que vale a pena ser lido.
Depoimento de filha, mas também de uma escritora, o que projeta conteúdo muito interessante e rico em qualidade literária.






terça-feira, 14 de outubro de 2014

DE VOLTA

Amigos e amigas.

Depois de acompanhar a seleção feminina de vôlei no Mundial, volto às escalas do futebol já no próximo final de semana.

As meninas deram tudo o que podiam, mas infelizmente tropeçaram num time americano inspiradíssimo e em jogo que valia a classificação para a final.

O Brasil deixou o Mundial com apenas 1 derrota em 13 jogos.  Perdeu quando não podia perder.  Mas trouxe o bronze da Itália.

Vida que vai em frente.
Vem aí a Superliga já à partir do dia 30 deste mês.
Um grande evento.

José Roberto Guimarães e a comissão técnica trabalharam sério, com estudos em profundidade, mas no esporte é assim que às vezes ocorre.
O vôlei feminino do Brasil continua forte e agora visando as Olimpíadas de 2016 no Rio de Janeiro.

Fim de semana vou narrar Palmeiras x Santos domingo pelo Premiére.

Boa semana a todos!!!