quarta-feira, 30 de abril de 2014

A SEGUNDA COPA DE LUCIANO PELA BAND !!!

A segunda Copa do Mundo de Luciano do Valle pela Band foi a da Itália em 1990.

Já com o projeto SHOW DO ESPORTE consolidado, a Band foi a esse Mundial muito forte e com altos índices de audiência sendo registrados em vários eventos.

Tivemos em 90 na Itália o programa APITO FINAL, sempre no fim de noite e após às rodadas, não só debatendo o futebol, mas com uma pitada musical especialíssima, pois tinha o grande TOQUINHO tocando e cantando.

Luciano inovou as mesas-redondas e colocou o talento de Toquinho nos debates.
A repercussão junto ao público foi fantástica.

Me lembro que terminando o APITO a gente ia à uma cantina em Roma ( Santo Padre ) e lá aconteciam os jantares de encerramento da jornada diária.

Giovanne Bruno, o grande chefe de cozinha, estava conosco e várias vezes ia preparar o jantar nessa cantina, que abria na madrugada especialmente para o time de Luciano do Valle.

E é claro que durante o jantar o querido Toquinho dava uma canja pra todos nós.

Luciano contratou Zico, o Galinho, para fazer parte do time de analistas do Mundial.
E o entrosamento dele com todos da equipe foi excepcional.
Juares Soares, Roberto Rivellino, Zico, professor Júlio Mazzei, Mário Sérgio, Armando Nogueira, compunham o quadro de comentaristas.

E o mestre Luciano comandando a equipe com serenidade, competência e amizade, marcando mais um tento em sua vitoriosa passagem pela Band.
Os resultados foram ótimos.

Particularmente ainda vivi duas Copas ao seu lado, as de 94 e 98, as quais relatarei em breve.








terça-feira, 29 de abril de 2014

A PRIMEIRA COPA DE LUCIANO PELA BAND

Trabalhei em 4 Copas no time de Luciano do Valle.

Procurarei me lembrar de todas elas e contar aqui neste espaço aos amigos.

Começo pelo Mundial de 1986, no México.

Foi a primeira Copa de Luciano na Bandeirantes.

Foi a minha primeira trabalhando em televisão.   Já havia feito as de 78 e 82, mas pelo rádio.

E a Band só pôde transmitir essa Copa graças à empresa PromoAção ( de Luciano e Quico ) pois a emissora não tinha recursos para bancar a compra dos direitos ( Olimpíadas 84 e Copa 86 ).
Era uma compra casada, como se diz no jargão comercial.

Luciano e Quico fizeram o pagamento dos "direitos" e habilitaram a Band.

Foi também a primeira vez que uma emissora de televisão brasileira levou um avião para o local da Copa e que serviu de transporte para a equipe nas jornadas das transmissões.
A amizade de Luciano e o comandante Rolim Amaro é que propiciou o acerto comercial de marketing e merchandising.

O México, meses antes do Mundial, havia sido vítima de um fortíssimo terremoto e que destruiu uma boa parte da capital.
Muitas vidas se perderam no finalzinho de 1985.

Me lembro que ao redor do hotel em que ficamos os sinais de destruição eram assustadores.

Viajamos para o México respaldados pelo sucesso da cobertura das Olimpíadas de Los Angeles, dois anos antes, com excelentes índices de audiência, boa qualidade de conteúdo segundo os analistas e um grande faturamento comercial.

E uma das grandes jogadas de Luciano na Copa de 86 foi a introdução no time de analistas, juntamente com Juares Soares, o comentarista titular, dos ex-jogadores Rivellino, Clodoaldo e nada mais nada menos que PELÉ.

Além de toda a experiência do professor Júlio Mazzei, consagrado preparador físico e manager do futebol.

Nessa Copa o amigo Luciano do Valle já demonstrava o seu potencial de comandante de grupo, mesclando amizade e disciplina, além de ter diretores competentes e que compunham perfeitamente a filosofia de trabalho.

E sinalizava que a sua caminhada na emissora do Morumbi seria repleta de êxito.

Em breve falarei da Copa de 1990, Itália, a segunda de Luciano do Valle pela Band.







quarta-feira, 23 de abril de 2014

QUEM É O MAIOR DE TODOS ???

Já escrevi sobre o tema, mas volto a ele pois vira e mexe me pedem para apontar "o melhor disso ou daquilo" no esporte.

Não contem comigo para escolher "o maior" nem "o melhor".
Não gosto disso.

E percebo que o ser humano tem uma certa fixação por extremar a opinião e apontar O MELHOR, ou O MAIOR.

Vejam como exemplo nos clubes de futebol, onde com a maior facilidade alguns atletas são imediatamente tachados de "o maior ídolo da história" .....e  etc........

Acaba se desrespeitando outros grandes ídolos que passaram pelas agremiações em outros tempos, o que na minha concepção é injusto.

O tricolor do Morumbi, por exemplo, tem nos dias de hoje o goleiro Rogério Ceni como o grande idolo da galera.
Mas já teve Mauro Ramos de Oliveira, Roberto Dias, Poy, Pedro Rocha, Gerson, Serginho, Zetti, Waldir Peres, Benê, Muller, Careca, Silas, Chicão, Bauer e por aí vai......
* e certamente esqueci de outros grandes nomes da história do São Paulo.

É claro que nessa receita entra decisivamente o gosto pessoal, a simpatia de cada um por esse ou aquele jogador, mas é perigoso cravar UM NOME apenas, em nome da justiça.

Me perguntaram certa vez se Ademir da Guia foi o grande idolo do Palmeiras em todos os tempos?

Respondi que o Divino foi "um dos" maiores nomes na história alviverde.

Como rejeitar nomes como os de Oberdan Cattani, Djalma Santos, Djalma Dias, Luis Pereira, Dudu, Leivinha, César Maluco, Ney, Jorge Mendonça, Waldemar Carabina, Waldemar Fiume, Zequinha, Chinesinho.....

Na área dos jornalistas esportivos, também como exemplo, e sempre respeitando-se os gostos pessoais ( obviamente ), como cravar UM NOME apenas, quando temos e já tivemos dezenas de profissionais de muito talento.

Divago no tema porque me incomoda a questão de se dar prioridade a alguém, elegendo-o como O MAIOR, quando outras dezenas de profissionais também tiveram importância extrema nas atividades dentro ou fora de campo, direta ou indiretamente.

Cada um com seu valor.

Respeito quem crava no extremo, mas me recuso a faze-lo.

Não gosto de ser injusto e não posso se-lo.












terça-feira, 22 de abril de 2014

LUCIANO DO VALLE - ERROS E ACERTOS.

As homenagens ao amigo Luciano do Valle não param.

E não podem parar, porque ele é merecedor de todas as que acontecerem.

Alguém até me perguntou, desafiando, se Luciano era tudo isso mesmo e se ele não tinha defeitos?

Respondi ao amigo que defeitos TODOS TEMOS.  E aos montes.   E provoquei indagando se ele também não tinha defeitos?
*baixando a cabeça - e caindo a ficha - o cidadão admitiu os erros, equívocos e defeitos.

Exponho esse fato para dizer que Luciano era um ser humano e como tal, sujeito a todo o tipo de deslizes.

Errou e muito.  E isso não é demérito, é inerência ao nosso estágio evolutivo aqui neste Planeta.
Aliás, os grandes pensadores, filósofos, religiosos, afirmam que sem o ERRO não há evolução e aprendizagem.
E usando uma citação bíblica: que atire a primeira pedra quem se julga PERFEITO!

Felizes daqueles que erram e reconhecem que erraram, procurando adiante não cometer mais.

Mas entendo que as virtudes é que devam ser exaltadas, desde que elas tenham sido acentuadas, marcantes e superiores aos deslizes na vida.

Luciano, como homem de exposição pública, em função da sua profissão, acertou MUITO.

Assim como ninguém que passa e que passou pelo Planeta Terra, e que ainda passará, irá agradar 100% à todo mundo, o amigo Luciano também mereceu criticas em vários momentos de sua existência.

Mas fico com os elogios, pois no seu íntimo ele era doce, bom, terno, de enorme sensibilidade.

Aliás, sempre vejo as pessoas mais pelo lado humano do que pelo prisma profissional.
Entendo que acima de títulos, diplomas e contas bancárias, o INTIMO, a ÍNDOLE, é que têm mais valor.

Pois o que levamos da nossa existência terrena não são os títulos, conquistas financeiras ou sei lá o que.  Mas o nosso valor interior.    Isso é que vale para o PESSOAL LÁ DE CIMA.

As homenagens irão continuar, a saudade aumentará, o espaço está vazio no jornalismo esportivo do País, a Copa ficará sem a sua voz, mas de minha parte o reconhecimento pelo ser especial com quem convivi, será eterno.






















domingo, 20 de abril de 2014

ATÉ UM DIA, MESTRE!!!

Há pessoas que entram nas nossas vidas e ficam perpetuadas em nossos corações.

Felizmente, tenho muitas na minha história.

Uma das mais importantes e especiais: LUCIANO DO VALLE.

Logo à partir de nossos primeiros contatos pessoais, final dos anos 70 nas viagens de trabalho, identifiquei nele um ser especial, diferente.
E como se diz popularmente, nossos santos bateram.
Começou ali uma amizade muito forte, indestrutível.

Quis o "destino" que além da relação de simpatia e respeito, fossemos trabalhar juntos.

Luciano chegando à Bandeirantes no final de 1983 me convidou a fazer parte do seu time na composição do SHOW DO ESPORTE.
Eu estava trabalhando no rádio Bandeirantes mas havia feito os Jogos Pan-americanos de Caracas daquele ano pela tevê.

E à partir de então passamos a conviver mais diretamente, trabalhando na mesma equipe, a equipe comandada por ele.

Luciano, além do grande comunicador, tinha a virtude de ser extremamente humano.
Tinha mão forte quando necessário nas decisões importantes, mas sempre com um toque de doçura e de respeito ao ser humano.

Quem conheceu Luciano mais intimamente, sabe do que estou falando.

Fiz com ele Copas e Olimpíadas, mas principalmente o grande evento: a celebração da nossa fiel e grande amizade.

Ultimamente tivemos mais contatos.
Até parece que sabíamos que a despedida estava próxima.
Ainda tenho no meu celular o registro de suas mensagens carinhosas sempre antes das minhas transmissões, especialmente do voleibol, que ele tanto amava.

Luciano recentemente havia perdido seu pai e me confidenciava a tristeza pelo ocorrido.
Remexendo papéis e documentos do "seu Rubens" ( seu pai ) viu recortes de jornais sobre sua carreira e que jamais soube disso.
O pai, fã do filho.
O filho, eterno fã do pai.

Morreu Luciano do Valle.
Morreu um pouco da comunicação esportiva brasileira.
Morreu um dos maiores empreendedores do esporte.

Morreu um amigo/irmão.

O carinho e o respeito de um para o outro jamais morrerão.

Até um dia, mestre!





quinta-feira, 17 de abril de 2014

INTER x VITÓRIA, AO VIVO !!!!

Ainda na incerteza se haverá a primeira rodada do Brasileiro - séries A e B - pois as liminares continuam voando por aí, minha escala me manda para Porto Alegre sábado.

O jogo é Inter x Vitória, 18:30 no novo Beira-Rio.

Transmissão pelo Sportv(p/todo o Brasil, menos RS), Premiére(para todos os assinantes) e PFC Internacional(dezenas de países).

O Colorado vem de mais uma conquista do estadual, enquanto o rubro-negro baiano perdeu a decisão para o Bahia.

Em 29 jogos pelo Brasileiro o Vitória só conseguiu derrotar o Internacional uma vez.  Foi há 11 anos ( 2003 ) pelo placar de 1 a 0.

Já o Inter não ganhou do Leão nas últimas 6 vezes que se encontraram, com cinco empates e uma derrota.

A nossa jornada terá início por volta das 5 e meia da tarde.

Estarei com Juliano Belletti nos comentários e as reportagens de Guilherme Canal e Marina Izidro.




quarta-feira, 16 de abril de 2014

SANTOS x MIXTO HOJE NA VILA

Hoje, quarta, vou à Vila Belmiro.

Santos x Mixto de Cuiabá, 10 da noite, Copa do Brasil, valendo passagem para a próxima fase da competição.
No primeiro jogo na Arena Pantanal foi 0 a 0.

Estarei na jornada com os amigos Wagner Vilaron, Fabiola Andrade, Thiago Crespo, Léo Taunay e Juliana Mattos.

A transmissão é do Sportv-3.


segunda-feira, 14 de abril de 2014

A TÉCNICA NO FUTEBOL

Sempre achei muito questionável a análise do "aspecto técnico" de uma partida de futebol.

Já cheguei a ouvir logo após um 5 a 4 que o jogo não agradou "tecnicamente".
Com nove gols anotados será que o torcedor deixou o estádio se preocupando com o aspecto técnico?

Acho também que a análise técnica de um jogo é muito superficial, além de depender bastante da boa vontade de quem avalia.

Vejo jogos internacionais sofríveis onde os comentários são amenos nas críticas e até com alguns elogios.
Hoje em dia é comum apreciar-se mais os campeonatos europeus do que os nossos.

Ainda estamos devendo - e muito - no aspecto organizacional e tudo mais, isso é indiscutível, mas temos grandes jogos, belos espetáculos por aqui.
Repito: falta-nos boa vontade em elogiar partidas e os nossos atletas.

Parece até que algumas pessoas sentem receio de elogiar, pois estariam sendo confundidas como chapa-branca ou puxa-saco das entidades que promovem os campeonatos.

Ouvi certa vez de um colega influente na mídia que se elogiasse o Brasileirão estaria enchendo a bola da CBF.    Vejam o absurdo constatado.

Imprimo esse comentário hoje em cima das decisões dos estaduais pelo Brasil, onde não faltaram emoções.   E com a maioria dos estádios recebendo grande público.

Perguntem a qualquer italiano se aquela conquista da Copa de 1982 não teve graça, só porque o Brasil "tecnicamente" foi superior a Azurra?

Claro que é tudo questão de ponto de vista, no futebol e na vida é assim, mas me apego ao tema de que o torcedor comum quer "jogo jogado", com gols, viradas, correria, empenho dos jogadores, as rivalidades domésticas e etc.

Evidentemente que se tivermos um 5 a 4 com uma qualidade técnica exuberante, ótimo. Mas nem sempre é assim que funciona.

Nem nos tempos de Pelé tínhamos TODOS os jogos maravilhosamente sendo disputados e com técnica perfeita.
Naquele tempo também havia mediocridade, peladas, pernas de pau.
Eu presenciei, vivenciei, sou testemunha.

Nos anos 60, só como exemplo, aqui no Brasil, poucas equipes eram "tecnicamente" extraordinárias.  Contavam-se nos dedos os times brilhantes nesse aspecto, como também ocorre hoje no badalado futebol europeu.
Salvam-se poucos com técnica refinada.

Escrevo o tema, também porque vai começar o Brasileirão e de todos os certames nacionais é o que mais gosto de ver.
Minha intimidade é com os clubes do meu País.
Não consigo me relacionar sentimentalmente com equipes de outras nações.
Me desculpem, mas é a minha maneira de ser.

Respeito todos os gostos, é claro, mas me permitam externar o meu, que é pelo futebol brasileiro e suas competições diversas.

E com o detalhe: sejam os jogos BONS ou não, no aspecto TÉCNICO.

Não sou exigente.













sábado, 12 de abril de 2014

FIM DE SEMANA

Depois de transmitir na sexta-feira o jogo entre Osasco x Sesi pela Superliga feminina, descanso neste fim de semana.

Voltarei às transmissões na quarta-feira pela Copa do Brasil.

Santos x Mixto(Cuiabá) às 10 da noite ao vivo do Sportv-2.
A primeira partida foi 0 a 0.

E, depois, transmitirei Internacional x Vitória, abertura do Brasileirão.
Sábado, dia 19, no Beira-Rio.
Ao vivo pelo Sportv.

Vamos ficar de olho nos acontecimentos deste final de semana com as decisões pelos estaduais e aguardar a entrada da nova semana.







quarta-feira, 9 de abril de 2014

COMENTÁRIOS NO BLOG

Recebo às vezes alguns cutucões sobre o por quê deste espaço (blog) não tecer muitos comentários à respeito do futebol, ou dos esportes em geral, afim de gerar discussões e debates.

Já fiz isso "lá longe"......

Mas confesso que desisti de me aprofundar nas análises em razão das reações truculentas e desrespeitosas com que me deparei várias vezes.

Infelizmente para muita gente o debate tem de ser áspero, belicoso, viril.   E não é assim que eu penso.   Gosto da troca de opiniões, de idéias.   Mas algo do gênero "pouca educação" me deixa triste e me faz abandonar o campo das discussões, ainda que em prejuízo daqueles que sabem argumentar ( e que são muitos, felizmente ).

Agressões por conta de idéias divergentes ocorrem à todo momento nas redes sociais.
E é profundamente lamentável que isto aconteça.
Toda e qualquer discussão é saudável, necessária, desde que seja respeitosa, honesta.

Privo neste espaço as pessoas inteligentes e que sabem debater, exatamente por conta do que estou relatando acima.
Peço desculpas, mas não tenho mais idade para me torturar com absurdos de pessoas em desequilíbrio emocional.

Saber discutir, debater, é para poucos, é a conclusão a que chego.   Infelizmente.
Digo infelizmente, porque o Brasil nunca precisou tanto de debates para sair do caos social e político em que se meteu.

Portanto, pessoal, vou continuar mantendo o blog e seguir colocando nele homenagens a esportistas e amigos que mereçam, além das minhas escalas de trabalho.

Mantenho as escalas neste espaço porque quando parei de divulgá-las houve um apelo de várias pessoas para continuar.  Por isso e em respeito aos telespectadores do canal Sportv manterei a divulgação das transmissões às quais for indicado.

Agradeço pela possível compreensão de todos.






domingo, 6 de abril de 2014

SEMANA DE SUPERLIGA

Semana começando, repercussão dos jogos pelas finais dos estaduais fervendo....

...e de minha parte sigo acompanhando a Superliga.

Nesta terça transmito Campinas x Rio de Janeiro, a grande rivalidade, valendo pela primeira rodada das semifinais da competição.

Primeiro jogo em Campinas, o segundo no Rio e se necessário for, a terceira partida acontecerá novamente em Campinas.

Nesta terça, dia 8, estarei com Nalbert, Joanna de Assis, Marina Izidro e grande equipe à partir das 9 da noite, ao vivo do ginásio do Clube Concórdia.

O jogo vai começar às 21:30.   Ao vivo no Sportv e PFC Internacional.

E na sexta-feira vou a Osasco.
É a outra semifinal entre o time da casa e SESI/SP.
Esta partida também terá transmissão ao vivo do Sportv e começará às 21:30.

Boa semana pra todos!!!!!




quinta-feira, 3 de abril de 2014

SUPERLIGA NESTA SEXTA

Sigo nas jornadas pela Superliga.

Nesta sexta-feira transmito Sesi x Praia Clube(Uberlândia) ao vivo do ginásio Marcelo de Castro Leite, Vila Leopoldina, São Paulo/capital.

É o terceiro jogo da série pelas quartas-de-final.   
Quem vencer irá pegar Osasco nas semifinais.
Osasco tem a melhor campanha, invicto há 28 partidas.

O jogo desta sexta vai começar às 21:30 e com transmissão ao vivo do SPORTV.

Estarei na jornada com Marco Freitas(comentários), Anselmo Caparica(reportagens), Léo Taunay e Manoela Ache(coordenação) e a geração no local da produtora D2.
A retaguarda é Globosat-Rio de Janeiro.

Várias campeãs olímpicas em quadra.    Alto nível.       

Galera do vôlei convidada a assistir.




quarta-feira, 2 de abril de 2014

HISTÓRIAS E REGISTROS

Me lembro quando cheguei para trabalhar no rádio paulistano em 1976.

Tinha mais ou menos 7 anos de carreira, tendo começado em Americana e passado pelo rádio de Limeira e Campinas.

Tímido, assustado com a grandiosidade da grande imprensa, cheguei no prédio da Fundação Cásper Líbero na avenida Paulista e entreguei minha Carteira Profissional ao departamento pessoal da empresa.

A TV Gazeta na época tinha uma Mesa Redonda às segundas-feiras que era um sucesso de audiência.  Comandada por Milton Peruzzi ( chefe da equipe ), tinha Peirão de Castro, Rubens Pecce, Paulo Vitor, Dalmo Pessoa, Geraldo Blota, José Italiano, Roberto Petri, Raul Valle...

Como num teste de fogo, a produção do programa resolveu me colocar entre as feras para que Peruzzi me anunciasse como o novo integrante do time da rádio.

Com a voz trêmula agradeci ao comandante pela oportunidade, à Casa de Cásper Líbero, e ali em julho de 1976 iniciava minha caminhada na imprensa da Capital.

Se até nos dias de hoje não gosto de participar de "mesas redondas" com debates e tudo mais, imaginem tomando assento num programa de grande audiência, chegando à São Paulo, aos 27 anos de idade?    Foi uma tortura.

Minha primeira transmissão foi na Rua Javari num sábado à tarde, Juventus x Ponte Preta.
Ao meu lado comentando estava Galvão Bueno e nas reportagens José Isaias e Gerson Araújo.
* Galvão começou como comentarista a sua carreira na Gazeta.

Conto a história para ressaltar que muitas pessoas da equipe me ajudaram na adaptação, mas como ocorre em todos os lugares ( lamentavelmente ) alguns me ignoravam e rotulavam de mais um "caipira" que chegava.
Enfrentei muitas "caras feias" no dia a dia da redação.

Confesso que por vários meses ( os primeiros, principalmente ) pensei seriamente em voltar para o Interior e para a minha cidade, dada à dificuldade de adaptação ao Grande Centro.

Roberto Petri e Galvão foram os que praticamente "me contrataram" pois as gravações de jogos feitos por mim eram todas reprovadas pelo Peruzzi.   O chefe não gostava do meu estilo de narrativa e tinha todo o direito, evidentemente.

Mas Petri e Galvão insistiram tanto com Milton que acabei tendo a chance.
Venceram o chefe pelo cansaço e também pela necessidade de mais um locutor.

Passou um tempo e Peruzzi deixou a Gazeta.   Tentou montar uma equipe em rádios da Capital para acompanhar exclusivamente o Palmeiras ( time do seu coração ) e me convidou para integrar a equipe.   Mas não pude atende-lo pois estava de saída para a rádio Bandeirantes.

São quase 38 anos da minha ida para a Gazeta.
Em 1980 me transferi para a Bandeirantes(rádio) e à partir de 1983 na TV Band.

Encerrei minha jornada na Band em janeiro de 1999 e em março do mesmo ano fui para o canal Sportv.

Dizem que quando começamos a contar histórias é porque começamos a sentir efetivamente a passagem do tempo.  
Reconheço que é a pura verdade, embora seja muito gostoso relembrar.


Histórias e registros.

















terça-feira, 1 de abril de 2014

SUPERLIGA AO VIVO NA SEXTA

Nesta sexta-feira, dia 4 de abril, vou narrar a definição da vaga de semifinalista pela Superliga feminina de vôlei.

Frente a frente, Sesi/SP e Praia Clube de Uberlândia.

Na fase de classificação, após 26 rodadas, eles fizeram a quarta e quinta melhores campanhas, respectivamente.

O jogo desta sexta vai começar às 21:30 e terá transmissão ao vivo do SPORTV.

Deverá ser uma partida muito equilibrada, pelo nível técnico das duas equipes e pelos números das campanhas:  cada equipe venceu 18 jogos e perdeu dez.   Tudo igual.

Este confronto já teve dois jogos pelas quartas-de-final:  no primeiro deu Sesi e no segundo ganhou o Praia.  

Quem ganhar na sexta vai pegar o invicto e grande favorito ao titulo, Osasco,  nas semifinais.

Ainda não tenho os nomes dos companheiros que estarão na transmissão.