segunda-feira, 28 de outubro de 2013

DUAS JORNADAS NA SEMANA.

Volto ao futebol nesta semana.

Quarta narro Atlético Paranaense x Grêmio pela Copa do Brasil, primeiro jogo da semifinal.

O jogo será em Curitiba às 21:50 e ao vivo no Sportv-3.

Lá estarei com Juliano Belletti, Lucas Rocha, Júlio César Santos e grande equipe.

A partida acontecerá no Durival Britto e Silva, a Vila Capanema.


Sábado tenho escala para São Paulo x Portuguesa no Morumbi.
Deverá ser a última partida do Tricolor em seu estádio, já que depois ocorrerá a punição da perda de mandos.

Transmissão do Premiére em Alta Definição e do PFC Internacional.

O comentarista é o amigo Wagner Vilaron e os repórteres ainda não foram escalados.

Boa semana a todos!!!!!!

terça-feira, 22 de outubro de 2013

DOIS JOGOS DA SUPERLIGA

Sigo com minhas escalas de trabalho no vôlei.

Sexta em Osasco, 9 e meia da noite, Superliga Feminina, o time da casa contra Rio do Sul.
Vai passar no canal 38, o Sportv-2.
Estarei com Marco Freitas e Joanna de Assis, mais toda a equipe de geração no local e de retaguarda e finalização no Rio de Janeiro.


Sábado meu destino é São Bernardo do Campo.
Jogo da Superliga Masculina.
Time da casa e Rio de Janeiro, 9 e meia da noite.
Vai começar às 21:30 e com transmissão do Sportv.
Nessa estarei com Nalbert e Anselmo Caparica, mais toda a equipe Globosat.




quinta-feira, 17 de outubro de 2013

JORNADA DUPLA

Para o fim de semana tenho duas escalas no voleibol.

Sexta no ginásio Marcelo Castro Leite, Vila Leopoldina, São Paulo.
Semifinais do Paulista masculino: SESI x São José dos Campos.
Jogo às 7 da noite ao vivo no Sportv.
Comigo os amigos Nalbert - Joanna de Assis - Vitor Coutinho - Idival Marcusso.
O time do SESI ganhou a primeira partida no Vale do Paraíba e se voltar a vencer estará na decisão do campeonato, contra Campinas ou São Bernardo.

Domingo estarei no ginásio José Liberatti, Osasco.
Nove e meia da noite tem Osasco x Campinas, vice-líder e líder, respectivamente.
Paulista feminino.
Vai começar às 21:30 e ao vivo no Sportv-2.
Carlão e Daniel Moreira Dias nessa comigo.




quarta-feira, 16 de outubro de 2013

PELÉ - 73 ANOS

Pelé está para completar 73 anos de idade e lançando um livro com fotos de todos os seus gols como profissional.

Totalmente desnecessário escrever sobre Pelé jogando bola.
Gênio.
Ninguém ensinou Pelé a jogar futebol.
Nasceu com ele.
Está no DNA de Edson Arantes do Nascimento.

Tive uma experiência de aproximadamente 30 dias com Edson, e com Pelé.
Foi na Copa do Mundo de 1986 quando ele fez parte da equipe da TV Bandeirantes.
Convivendo com o Edson/cidadão pude conhecer a sua simplicidade e a sua meiguice ao lidar com as pessoas, fossem elas famosas ou não.

Na convivência de quase 1 mês com os "dois" eu pude constatar algo muito interessante.
Como o Edson Arantes do Nascimento cuidou bem da imagem de Pelé.  Cuidou e ainda cuida.

Na turbulência diária do Centro de Imprensa da Cidade do México e nos deslocamentos para os estádios nas transmissões, Pelé jamais deixou de atender a uma única pessoa.
Ele atrasava a logística da equipe para os programas e viagens, mas atendia a todos com sorriso e total simpatia.

Numa das escalas fomos a Guadalajara ( à bordo do jatinho da TAM do saudoso comandante Rolim ) e ao chegarmos no estacionamento do estádio uma multidão cercou o Rei do Futebol.
Fotos, abraços, tapinhas nas costas, autógrafos.
Pelé não conseguia dar um passo à frente.
Nosso querido coordenador internacional, Teti Alfonso, se desesperava com o fato, olhava para o relógio, mas os mexicanos não deixavam Pelé sair do lugar.

Percebendo os fatos, fui para a posição de transmissão do estádio e me posicionei para o trabalho.
Abri a jornada, o jogo começou e só depois de 10 ou 12 minutos é que o "comentarista Pelé" conseguiu se sentar ao meu lado.
E com o detalhe:  sorriso nos lábios.   Missão cumprida em atender a todos com carinho.

Certo dia uma equipe de televisão da Inglaterra entrevistava o Rei nos estúdios da Band no Centro de Imprensa.  O que era para ser um papo de 20 minutos ou meia hora, acabou se estendendo.
E nada dos ingleses terminarem o papo.
Chegava a hora do programa da Band ser apresentado ao vivo e nada da entrevista terminar.
Deu desespero na nossa produção e os ingleses tiveram que encerrar a matéria às pressas.
Logo depois, Pelé nos deu uma "dura" dizendo que se não tratássemos bem os gringos, a imagem do Brasil ficaria desgastada.
Ele não se preocupava somente com ele, mas a quem ele representava, o País.

Edson ou Pelé, assim como todos nós, imperfeitos, cometeu e ainda comete equívocos, erra muito.
Mas suportar a carga da fama e do sucesso como ele, administrando pressão e cobranças, acho que poucos no Mundo conseguem.

Cometemos muitas vezes o grande equívoco de exigir de Pelé no cotidiano a perfeição que ele apresentou jogando futebol.  Pelé foi perfeito na sua atividade, Edson é imperfeito como ser humano.
Imperfeitos, todos somos.
Basta olhar com olhos críticos para dentro de nós.

Mas a sua aura é qualquer coisa de impressionante.
As pessoas se emocionam perto dele.
É a aura dos grandes ídolos.
Seres dotados de uma energia diferente, refinada, especial.

Hoje Pelé é um "setentão", já cansado da vida, mas que ainda sabe da sua importância para o Mundo.
Sua agenda está sempre lotada.
Seu sorriso, sempre estampado.

E ele é BRASILEIRO.
Esse presente nós ganhamos do Universo.
E as vezes insistimos em desprezar essa joia que nos foi dada.
















terça-feira, 15 de outubro de 2013

MINHA PRIMEIRA DECEPÇÃO NA CARREIRA

Eu começava no rádio e me encantava com o veículo.

Tudo era novidade e maravilhoso.

E o rádio é realmente sensacional.  Adoro o rádio e devo muito a ele quanto à minha carreira.

Mas enquanto tomava os primeiros contatos com a profissão de radialista, pintou uma oportunidade de ir à São Paulo participar de badalado programa de televisão.

Programa de auditório e de gincanas com prêmios em jogo.   Prêmios em dinheiro vivo.

Levamos uma atração da minha região e fomos vitoriosos.
E a grana era muito boa.
* ressalte-se que todo o dinheiro ganho com a atração ficou para o personagem principal, o cidadão que desempenhou no palco e recebeu os votos dos jurados.   Eu apenas o acompanhava e não tinha direito a nenhuma participação financeira.

Detalhe:  "quase" todo o dinheiro do prêmio ficou para o rapaz responsável pela vitória.

Terminada a apresentação veio alguém da produção do programa efetuar o pagamento.
Chegou parabenizando a atração, MAS cutucou dizendo que não venceríamos se não fosse a SUA intervenção juntos aos julgadores, pois a competição estava MUITO EQUILIBRADA.

Foi uma insinuação CLARA de que uma "caixinha" deveria ser paga a ele em forma de retribuição pela AJUDA na votação.

Pintou, então, a minha primeira decepção na profissão.
Como diriam os amigos, uma PICARETAGEM explícita. ( risos ).

Demos a "porcentagem" ao cidadão e voltamos para casa.

** o rapaz que foi a atração e ganhou o prêmio já faleceu.  Quem nos abordou para cobrar o PEDÁGIO continua vivo e trabalhando em televisão.




segunda-feira, 14 de outubro de 2013

ESTÁDIOS, UM PERIGO.

Ontem naquele tumulto em parte das arquibancadas do Morumbi observamos mulheres e crianças, além de idosos, em meio aos vândalos e baderneiros.

Certamente os pais, tios ou avós das crianças que viveram momentos de terror naqueles intermináveis instantes, JAMAIS voltarão a um estádio.
E se voltarem, estarão sendo irresponsáveis.

Ontem o futebol certamente perdeu dezenas de aficionados, torcedores do estádio.

E tudo por culpa dos bagunceiros infiltrados nas torcidas e que continuam impunes e imunes a qualquer sanção policial.  E depois, se pegos, livres de quaisquer sanções judiciais.

Amigos, está muito difícil ( e perigoso ) comparecer aos estádios brasileiros.
Para quem vai assistir e para quem vai à trabalho.

Além de MUITO CARO.

Principalmente nos grandes jogos, nos grandes eventos.

Você é esbulhado no bolso e exposto perigosamente na sua integridade física.

É claro que gostamos de ver os estádios cheios, com muita energia, mas é preciso muita reflexão antes da compra dos ingressos e da determinação em ir ver um jogo de futebol.















sexta-feira, 11 de outubro de 2013

CLÁSSICO NO MORUMBI

A escala saiu e neste domingo estarei no Morumbi.

O clássico São Paulo x Corinthians, além de toda a história, tem nesse Brasileirão-2013 uma importância ainda maior.

As duas equipes não estão bem no campeonato e até correm algum risco de rebaixamento.  Os números assustam seus torcedores e dirigentes.

Os dois clubes não se entendem politicamente já há algum tempo e isto aumenta o clima de irritação e intolerância.

Enfim, é a velha rivalidade e que neste momento fica mais acirrada e perigosa.

De tudo isso tem ainda a irracionalidade de torcedores vezeiros em praticar a imbecilidade da violência e do terror nos arredores do estádio.  Antes e depois da partida.

Mas ficando apenas na abordagem do futebol em si, é um espetáculo que promete turbilhão de emoções.

O jogo terá transmissão da televisão aberta, mas nós estaremos fazendo o trabalho pelo Premiére e PFC Internacional(atendendo à dezenas de países).

Lá estarei com os amigos Wagner Vilaron, Daniel Moreira Dias, André Hernan, mais toda a equipe postada no estádio e na retaguarda(Globosat/Rio).









quarta-feira, 9 de outubro de 2013

BOM SENSO F.C. - REFLEXÕES

É legítima a iniciativa de alguns jogadores brasileiros em reivindicar mudanças no calendário do futebol e outras medidas de participação na administração financeira dos clubes.

O assunto é bastante polêmico.

Os sindicatos dos atletas, por exemplo,  foram marginalizados do movimento e chiam no seu canto.

Uma pretensa redução ou até eliminação dos estaduais esbarraria em um cessar de arrecadação financeira importante para os clubes, que são quem pagam os salários dos atletas.

Acabar com os estaduais atenderia somente aos profissionais dos grandes clubes e implicaria em desemprego de centenas de jogadores que atuam em equipes médias e pequenas.
Seria, então, uma atitude egoística dos jogadores das grandes agremiações.

A televisão, que hoje compõe a maior fatia de renda dos clubes, já tem os contratos firmados com seus patrocinadores, indiretamente os pagadores dessa "conta" chamada futebol.

Uma diminuição de jogos seria benéfica para a saúde física dos jogadores, evidentemente, mas prejudicaria os anunciantes e patrocinadores do futebol pois perderiam tempo de exposição pública de suas marcas.
Isto incorreria, certamente, em reajustes de contratos e consequente diminuição de valores a serem pagos.
Provavelmente os clubes forçariam a redução dos salários dos profissionais, pois estariam recebendo menos dos patrocinadores.

Sem contar que quando as agremiações, por circunstâncias, ficam uma semana sem jogar, de pronto elas arrumam amistosos pois precisam de arrecadação.
Os jogadores não seriam poupados de atuar ao menos três vezes por semana.

Os clubes brasileiros vão fechar esta temporada com aproximadamente 70 jogos realizados, em média. Vários clubes europeus também atingem esses números.

Exemplo: o Palmeiras realizou até agora 58 partidas e fechará 2014 com 68 jogos.
Nada gritante, convenhamos, para uma equipe profissional que por necessidade financeira se envolve com três ou quatro competições no ano.

Ressalte-se que 2014 é um ano atípico para o calendário, pois haverá Copa do Mundo.

Que é preciso mexer no calendário brasileiro do futebol, ninguém discute, mas sem demagogia é necessário entender que "muito menos" do que se joga no País é totalmente inviável financeiramente para os clubes e para se pagar os altíssimos salários dos atletas das grandes camisas.

O envolvimento capitalista nos dias de hoje no futebol é notório.  Os próprios envolvidos quiseram assim, atendendo à demanda financeira para tocar o produto.  Mas querer mexer drasticamente nas regras do jogo é muito perigoso, pois no fundo ninguém abre mão de arrecadar.    Nem os clubes, nem os jogadores, a CBF e a própria televisão.






segunda-feira, 7 de outubro de 2013

PALMEIRAS EM LONDRINA, AO VIVO!!!!

Missão série B nesta terça-feira.
Jogo pelo Premiére-HD e PFC Internacional.

Palmeiras x Figueirense, 7 e meia da noite.

O jogo é em Londrina/PR no estádio do Café.

Lá estarei com os amigos Wagner Vilaron e André Hernan.  Mais dezenas de profissionais no estádio e na retaguarda Globosat/Rio de Janeiro.

Estive pela última vez em Londrina num Pré-Olímpico, em 2000, transmitindo pelo Sportv, com os amigos Raul Plasmann, Roberto Sander, Marcelo Gabrielli e grande equipe.


domingo, 6 de outubro de 2013

13 ANOS SEM "O PODER DA MENSAGEM"

No dia 6 de outubro de 2000 desligava-se das energias do Planeta Terra, José Magnoli.

Batizado como José Magnoli, mas que depois se transformou em HÉLIO RIBEIRO.
Um dos mais talentosos comunicadores que conheci.
Fez do rádio um veículo mais importante ainda.
Inovou, deu valor ao rádio, emocionou com suas mensagens e maravilhoso bom gosto musical.

Às pessoas acima da média, em qualquer atividade, costumamos chamar de GÊNIOS, e Hélio Ribeiro foi um gênio da comunicação.  Do rádio, mais especificamente.

E como todo gênio, temperamental.
Foi incompreendido em vários momentos da sua vida e carreira.
Mas tinha nas veias a criatividade talentosa.

Tive a honra de ser colega de Bandeirantes na sua segunda passagem pelo Morumbi.

Hélio não foi somente o idealizador e o apresentador do PODER DA MENSAGEM, que marcou no rádio brasileiro como um dos mais inteligentes programas da história.
Hélio revelou tantos e tantos profissionais.
Valorizou quem trabalhava e não "aparecia".  Pessoal da área de produção e técnica, por exemplo.

Sua capacidade de criação era tamanha que morou e trabalhou por vários anos nos Estados Unidos.
Tudo o que sabia não podia ficar restrito a um único País.

Hélio fez rádio como ninguém, escreveu livros, idealizou projetos fantásticos, colocou sua voz em filmes, fez amigos e inimigos ( como é da vida ) e o mais importante: construiu uma linda família.

Minhas homenagens a HÉLIO RIBEIRO ( José Magnoli ).

Ele tinha o PODER DA MENSAGEM !!!






quarta-feira, 2 de outubro de 2013

SUPERLIGA SEXTA-FEIRA

Minha escala desta sexta-feira é no vôlei.

9 e meia da noite ao vivo no Sportv-2 tem São Caetano x SESI, primeira rodada da Superliga feminina.

Talmo de Oliveira e Hayrton Cabral duelando nos bancos.

Na quadra jogadoras de qualidade como Fabiana, Dani Lins, Pri Daroit, Ivna, Ju Costa, Bia, Rosamaria, Angela, Domingas.......

Estarei ao lado do campeoníssimo NALBERT nos comentários e com Anselmo Caparica nas reportagens.

O jogo é no ginásio Lauro Gomes em São Caetano do Sul.