quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

14 ANOS DE SPORTV

Março chegando e vou completar 14 anos no Sportv/Premiére.

Saí da Band em janeiro de 1999 e em março ingressei no Sportv, auxiliado por dois amigos queridos: Mauricio Staut e Luiz Duarte.
Um ligou pro outro e o processo se agilizou.
Um pouco antes do Sportv uma outra emissora não quis me contratar pelo fato de na época eu já ter 50 anos de idade, uma filosofia da empresa e que tive de respeitar.

Como não havia verba para contratações naquela oportunidade, a direção do Sportv me propôs um cachê à cada transmissão feita. E isso ocorreu por quase dois anos.
Mas depois veio a contratação e até os dias de hoje trabalho no canal, onde me sinto muito bem.

Por mais que sejamos experientes numa determinada profissão devemos estar abertos a aprender e corrigir posturas que com o tempo nos habituamos a elas.

Hoje trabalhando com pessoas mais jovens acabo por me motivar à cada dia com a impetuosidade e a fome de projetos desses colegas.
A televisão é uma máquina maluca pois à cada momento é preciso criar, oferecer coisas novas ao telespectador.  E isso exige muito de seus profissionais.  Há uma cobrança enorme por parte da direção, evidentemente, mas também de quem nos assiste e que se manifestam intensamente através das redes sociais.

Mas com tudo isso, trabalhar com o esporte é algo muito gratificante.
Temos grande responsabilidade na comunicação, pois estamos lidando com a sensibilidade de muita gente e com os cuidados de não desvirtuar relacionamentos e posições sociais.
Temos também o papel da didática do esporte, especialmente nas modalidades pouco populares.

Particularmente prefiro ser rotulado de "politicamente correto" a entrar na onda do "vale tudo" e direta ou indiretamente interferir nas jovens mentes que nos assistem.
Nada de lições de moral, é claro, mas sempre pautando pelo respeito ao próximo e à vida.
Coisas ditas num veículo tão poderoso como a televisão influenciam mentes ainda imaturas.

O papel do comunicador é sempre delicado, seja em qualquer das mídias.
Por isso o perigo de se abrir microfones a pessoas que não estão preparadas para lidar com o social.
Falar ao público é um exercício incessante de equilíbrio, sensatez e de muito cuidado com as palavras e na abordagem de assuntos comunitários.

É evidente que já cometi trocentos erros e ainda cometerei, pois sou falível, mas o policiamento interior é intenso. E jamais me cansarei disso.  Principalmente nos dias de hoje onde a neurose popular é exacerbada por conta de tudo o que acontece no planeta.   Todo cuidado é pouco.

Agradeço diariamente pelos quase 44 anos de profissão e dos quais já 14 no Sportv, uma bela casa de trabalho.



















terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

SUPERLIGA - QUARTAS DE FINAL

Estou em missão Superliga.

Ontem transmiti a vitória do SESI sobre o Praia Clube por 3 a 1.
Primeira partida das quartas-de-final.
O segundo jogo acontece em Uberlândia sexta feita.
A série é melhor-de-três.

Hoje, terça, estarei em Osasco.
Osasco x Minas Tênis, primeiro jogo da série.
Começa às 7 da noite com transmissão ao vivo do Sportv.
Estarei nessa com Carlão e Daniel Moreira Dias.

Amanhã, quarta, narro Campinas x Pinheiros.
É outro confronto das quartas-de-final.
O jogo é na Arena do Clube Concórdia e vai começar às 18:30h.
Comigo aos microfones, Nalbert e Daniel Moreira Dias.


segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

EXPLICITA FALTA DE BOA EDUCAÇÃO

Agora com a proliferação das redes sociais e com a interatividade explícita é que detetamos o quanto estamos atrasados em termos de respeito ao próximo.

É claro que não generalizamos, mas infelizmente dá para concluir que a MAIORIA não respeita o próximo e as diferenças que existem entre as pessoas e suas opiniões.

É um festival de má educação.

E nos estádios de futebol não é diferente.
Assusta às vezes o destempero de algumas pessoas, escudadas pelo fato de serem torcedores.
Na verdade essas pessoas colocam para fora seus instintos mais animalescos, irracionais, selvagens.
Se sentem no direito de xingar, cuspir, atirar objetos, como bichos sem dotação de inteligência.

O técnico Tite, sempre educado e respeitoso, foi alvo ontem em Bragança dessas barbaridades que vemos constantemente nos estádios.
Protestos são válidos. É democrático.
Mas a educação e o respeito sempre devem prevalecer.
Faz parte da inteligência humana respeitar o próximo, seja no trabalho ou no lazer.

Não é uma questão de puritanismo, absolutamente.
Mas vemos em estádios pais ao lado de crianças proferindo os palavrões mais pesados que temos conhecimento, além de ameaças a técnicos, árbitro, bandeirinhas e até a imprensa.
Em resumo, um péssimo exemplo aos menores.

Precisaríamos repensar o nosso comportamento social.
Se queremos melhorar o mundo precisamos começar por nós mesmos, melhorando o nosso interior.



SUPERLIGA AO VIVO

Quartas-de-final da Superliga feminina de vôlei.

Nesta segunda narro SESI x Praia Clube pelo Sportv às 18:30h ao vivo do ginásio da Vila Leopoldina.
Primeiro jogo do confronto em série melhor-de-três.
Lá estarei com Carlão e Anselmo Caparica no local da partida.

Terça-feira a batalha é em Osasco.
7 da noite tem Osasco x Minas também pelas 4as de final da Superliga.
Com o Carlão e Daniel Moreira Dias faremos a transmissão do Sportv, ao lado de dezenas de profissionais Globosat.

E na quarta transmitiremos Campinas x Pinheiros.
Ginásio Amil do Clube Concórdia de Campinas.
O jogo é às 7 da noite ao vivo no Sportv.
Nessa partida estarei com Nalbert nos comentários e Daniel M. Dias.


sábado, 23 de fevereiro de 2013

PONTE x SÃO BERNARDO, AO VIVO.

Neste domingo a escala me coloca em Campinas, estádio Moisés Lucarelli.

Ponte x São Bernardo pela nona rodada do Paulistão.
O jogo é às 6 e meia com transmissão ao vivo pelo Sportv.
A Macaca faz um campeonato impecável. Líder e invicta.
Já o time do ABC está mal das pernas. Na zona de rebaixamento.

Lá estarei com Vagner Vilaron, Carlos Cereto e Alexandre Oliveira.
Geração das imagens à cargo da competente EPTV Campinas.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

MAIS UMA VITIMA

Mês passado, janeiro, transmitia um jogo da Copa São Paulo na cidade de Araras e alguns torcedores de uma uniformizada nas arquibancadas detonavam fogos de artifício.

A fumaça se propagou tão intensamente que quase houve a paralisação do jogo.

Aos microfones do Sportv fiz observações críticas à presença de fogos dentro do estádio, argumentando principalmente sobre o ítem-proibição da entrada desses artefatos em espetáculos esportivos.

Reforcei sobre os efeitos tóxicos desses produtos e da periculosidade de alguém se ferir ao ser atingido por fagulhas ou algo semelhante.

Nas redes sociais fui alvo de severas críticas, xingamentos e muito mais, com algumas pessoas alegando que sou velho, ultrapassado e contra a festa do futebol.

Fui duramente atingido, respeitei a posição desses elementos, mas mantive e mantenho a minha posição quanto à questão.

Para se assistir a um espetáculo esportivo não é necessário, nem factível, colocar a vida das pessoas em risco.
Fogos são comprovadamente perigosos e em qualquer circunstância e situação.
Incontáveis são as vítimas de fogos de artifício no planeta e algumas fatais, como ontem no estádio de Oruro.

Lamento pela morte do menino de 14 anos ontem na Bolívia.
Mais uma vítima da irresponsabilidade que campeia nas arquibancadas e sempre partindo de grupos sobejamente conhecidos de todos nós.

Uma pena que as leis não sejam cumpridas e que daqui a pouco tudo caia no esquecimento, até que outras vitimas surjam.





quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

ESCALAS NA PAREDE

Recebo minhas escalas.

Sexta-feira volto à Superliga.
Jogão em Osasco às 9 da noite pelo Sportv.
O time da casa, atual campeão, contra o direto rival, o Rio de Janeiro.
Líder e vice-líder frente a frente.
Muitas medalhas olimpicas em quadra.
No primeiro turno no Maracanãzinho a equipe de Bernardinho ganhou por 3 a 2.
Estarei na missão com o professor Marco Freitas e Joanna de Assis nas reportagens.
Última rodada da primeira fase, quando teremos a definição dos cruzamentos das 4as. de final.

Domingo vou a Campinas.
Jogo do Sportv.
Ponte, líder e invicta, pega o São Bernardo em posição delicada na classificação.
Torcida da Alvinegra empolgadíssima, nem poderia ser diferente, deverá preencher significativamente o estádio Moisés Lucarelli.
Estarei nessa jornada com os amigos Wagner Vilaron, Carlos Cereto, André Hernan e grande equipe.
O jogo vai começar às seis e meia da tarde.


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

VITOR MORAN

Morreu Vitor Moran, ou Emilio Vitorino Moran.

Moran tinha 72 anos de idade, sempre morou em Santos, era viúvo e não teve filhos.

Já de algum tempo vinha lutando com problemas de saúde.

Um dos grandes nomes da comunicação esportiva via rádio.
Fez também televisão em Santos, participando de mesas redondas.
Mas a sua paixão era o rádio.

Brilhante repórter nos tempos da equipe 1040, a Tupi de São Paulo, formando a famosa dupla com Lucas Neto.
Haroldo Fernandes, Alfredo Orlando, Luís Noriega, Marco Antonio(repórter), Manoel Ramos, Wilson de Freitas, Mário Moraes, Ávila Machado e tantos outros naquela equipe fantástica chefiada por Milton Camargo.

Moran ia direto ao assunto nas entrevistas. Não fazia rodeios ao perguntar. Conhecia muito de futebol e portanto tinha autoridade no assunto.

Gostava muito de corrida de cavalos e era um apostador contumaz.
Certa vez a equipe 1040 fez os 13 pontos na Loteria Esportiva e ele foi o mentor das apostas orientando os amigos na feitura dos cartões.

Grande figura humana. Duro nos argumentos mas dócil no tratamento com as pessoas.

Só temos que agradecer por Vitor Moran ter passado pelo rádio e ensinado a muita gente a enorme responsabilidade de empunhar um microfone e não desrespeitar ninguém.

Vá em paz, Moran.
Missão cumprida, amigo.







sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

CORINTHIANS x PALMEIRAS, DOMINGO.

A escala de trabalho me coloca no Pacaembu neste domingo.

Corinthians x Palmeiras pelo Paulistão, oitava rodada.
Duas equipes preocupadas com a Libertadores, mas com a velha rivalidade em campo seja neste ou naquele campeonato.

A transmissão será do Premiére FC.
Estarei nela com os amigos Wagner Vilaron, Alexandre Oliveira, Joanna de Assis e mais dezenas de envolvidos no trabalho, no estádio e na central Globosat/Rio.

O jogo é às 4 da tarde, já sem o horário de verão.

Bom final de semana a todos.


terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

AS SAPATADAS DE TOSTÃO

Tostão, o grande campeão mundial da Seleção de 1970, depois que teve de parar com o futebol optou por sumir da mídia.
Dedicou-se integralmente aos estudos na faculdade de Medicina onde acabou se formando.
Transformou-se em professor universitário e passou a evitar entrevistas que fossem voltadas para o futebol.

No início da década 90 foi convencido por Luciano do Valle a voltar a "falar de futebol" e o convidou a integrar a equipe da tevê Bandeirantes como comentarista.

Bastaram as primeiras participações nos programas da Band e nas transmissões para que todos matassem a saudade do grande campeão e enaltecessem seus bons critérios de análise e observações.

Tostão teve um destaque tão grande na tela da Band que logo depois foi convidado pela Rede Globo.
Luciano do Valle, Kiko Leal e a Band fizeram o possível para não liberá-lo, e acabaram conseguindo mantê-lo no time.
Ele seguiu na equipe do Show do Esporte por algum tempo ainda, inclusive fazendo a Copa de 94 e as Olímpiadas de 1996 em Atlanta.

Mas fiz essa abertura para contar uma pequena curiosidade que houve nesse espaço de tempo em que Tostão esteve com a gente na Band.
Algo engraçado e que aconteceu no interior da Argentina.

Viajei várias vezes com ele para jornadas pelo Brasil e também estivemos juntos no Pré-Olimpico de 1996 em Tandil.

Em Tandil, pequena cidade, com logística limitada, fomos inicialmente para um hotel onde não cabiam as nossas malas. Ou entrávamos nós dois ( eu e ele ) ou as malas.  Nós e as malas no quarto do hotel, nem pensar.

Fizemos ginástica de comunicação e conseguimos um outro hotel no centro da cidade.
Era um pouquinho maior.  Só um pouquinho.  Mas acomodava melhor.

Só que havia um probleminha: os pernilongos pareciam os donos da espelunca.
Nunca vi tantos pernilongos juntos.
Entrávamos no quarto e contavam-se dezenas deles nas paredes e móveis.
Iniciávamos, então, a matança dos voadores.

Tostão, o grande campeão, tinha um sapato de sola de borracha e que se transformou em arma poderosa contra os inoportunos insetos.
Mas na medida em que ele "executava" os bichos nas paredes ficava também a marca da sola do seu sapato.
Cheguei a contar e havia pelo menos umas 30 sapatadas na parede branca do quarto.
E, é claro, não eram sapatadas comuns, eram de um consagrado campeão mundial ( risos ).

Mas o gerente do hotel, na hora de acertarmos as contas, não quis nem saber.
Reclamou das "sapatadas" nas paredes e queria cobrar uma pintura geral no apartamento.
É claro que protestamos pela reivindicação do cidadão e da falha do estabelecimento em "permitir" tantos pernilongos no interior do dito cujo.

Rimos muito depois, evidentemente.

Me tornei um grande amigo de Tostão, doutor da bola e da medicina.










sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

SAUDADE -- 9 ANOS

Fevereiro marca um triste acontecimento na comunicação esportiva.

Foi em fevereiro de 2004 que perdemos um grande narrador e um maravilhoso amigo.

Ele tinha acabado de cumprir mais uma de suas escalas pela Rede Vida em sua cidade natal, Barretos, onde não houve futebol por causa das fortes chuvas.
Era um domingo de manhã.

Aproveitou e foi visitar a mamãe os demais familiares.
Passou o restante do dia com eles na cidade.
Matou saudades.
Despediu-se de todos, na verdade.

Final da tarde, começo da noite, pegou o carro e com o tempo chuvoso foi para a sua casa em Ribeirão Preto.

Ainda me lembro da sua frase final quando encerrou a transmissão da Rede Vida: " Não houve jogo por causa das chuvas e agora vou pra casa descansar."

Horas depois foi vitima de um acidente na rodovia que liga Barretos a Ribeirão Preto.
Chovia no momento da colisão com outro carro que vinha de Ribeirão.
Ele e o condutor do outro veículo perderam a vida alí, no asfalto molhado da estrada.

Marco Antonio Mattos foi embora cedo.
Tinha muito o que nos brindar ainda com sua voz forte, marcante e seu talento extraordinário.

Além de ter sido brilhante no rádio à partir da década 60 onde formou em times fantásticos comandados pelo mito Pedro Luís Paoliello, foi depois levado para a televisão pelo seu amigo Luciano do Valle.
Tive o privilégio de trabalhar com Marco na Band por muitos anos.
Éramos diletos amigos.
Conversávamos, trocávamos idéias sobre o trabalho e familia.
Cara sério, honesto, cumpridor de todas as suas obrigações profissionais.

Tornou-se "a voz do vôlei" pela Band ao lado do professor Paulo Russo.
Viajou muito com a seleção brasileira pelo mundo acompanhando a Liga Mundial e os principais torneios da modalidade.
Fez Panamericanos, Olimpíadas, Mundiais e tantos outros eventos.

Inovou nas transmissões do voleibol.  Enfatizava apelidos, criava outros, deixou as jornadas mais leves, agradáveis e até engraçadas.

O rádio e a televisão precisam sempre reverenciar MARCO ANTONIO MATTOS.





segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

NOVAS ESCALAS

Minhas novas escalas para a semana.
Houve modificações.

Terça narro Superliga em Campinas às 10 da noite.
Campinas x Pinheiros pelo Sportv.
Estarei nessa com Nalbert e Anselmo Caparica.

Quarta terei Guarani x São Caetano pelo Premiére.
Sete e meia da noite.
Comigo, Muller e Anselmo Caparica.

Sábado no Pacaembu com Corinthians x São Caetano pelo Premiére.
Com Vagner Vilaron e Pedro Motta.
O jogo será às 16:20h.



sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

XV E PALMEIRAS, AO VIVO!

Domingo estarei no estádio Barão da Serra Negra.
Faz tempo que não volto ao velho estádio piracicabano, que já viveu grandes jornadas ao longo de décadas.

Neste domingo o Sportv mostrará Quinze de Novembro e Palmeiras, sete e meia da noite, ao vivo para todo o Brasil.

Como a torcida do Palmeiras é muito grande no interior paulista, fica a certeza de um grande público.
Diretoria quinzista espera por volta de 12 mil pessoas.
Modestamente acredito em 7 ou oito mil.

Palmeiras reabilitado com Barcos e Valdivia em campo.
O time alvinegro que vem de duas derrotas fora de Piracicaba.

O jogo promete ser bom.

Lá estarei com os amigos Mauricio Noriega, Carlos Cereto e André Hernan, tendo na retaguarda de coordenação os competentes Raphael Rezende e Eduardo Melido, além de dezenas de profissionais envolvidos na geração e reprodução das imagens.

Teremos 15 câmeras distribuídas pelo estádio.