terça-feira, 31 de janeiro de 2012

13 ANOS DE CASA

Está fazendo 13 anos que deixei a TV Bandeirantes.

Foi num finalzinho de janeiro, quando a direção de esportes da Band estava sendo entregue a novas mãos.

Luciano do Valle continuaria na emissora, mas não seria mais o comandante da equipe.

Chegava a empresa Traffic, de Jota Hawilla, com sua equipe, projetos e filosofia.

Eu, Elia Júnior, Simone Mello e outros, estávamos fora dos planos da Traffic e tivemos nossos contratos encerrados.

Deixei a Band após 19 anos, entre rádio e televisão, uma casa muito querida.

É claro que levei um baque emocional, senti muito, mas me apeguei no carinho da familia e de amigos para tocar o barco.

Dois meses depois eu estava no canal Sportv. Um novo desafio.

Completo 13 anos de Sportv.
Feliz e orgulhoso da empresa onde trabalho.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

DUAS ESCALAS

Nesta terça-feira narro Superliga Feminina pelo Sportv.

O jogo é entre o Sesi/SP e o Rio de Janeiro. Vai começar às 9 da noite.

À partir das 19:45 participaremos do programa TÁ NA ÁREA.

Lá estarei com Marco Freitas e Alexandre Oliveira aos microfones.
Na coordenação, Ailton Amalfi e Juliana Mattos.
Uma grande equipe de geração e produção.


Na quarta vou a Bragança Paulista.
É jogo do Paulistão.
Bragantino x Portuguesa, 19:30h.
Ao vivo no Sportv.
Estaremos no programa TÁ NA ÁREA desde as seis da tarde.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

COMEFOGO AO VIVO NO SPORTV

Neste sábado trabalho em Ribeirão Preto.

Botafogo x Comercial, sete e meia da noite, ao vivo no Sportv.
Uma das mais fortes rivalidades locais do País.
Não se enfrentam pela primeira divisão do Paulista há 25 anos.
É o ComeFogo, batizado assim em 1954 pelo jornalista Lúcio Mendes.

O Leão do Norte (Comercial) completou 100 anos em outubro último.
A Pantera (Botafogo) é de 1918.

Emerson Leão jogou no Comercial antes de ser contratado pelo Palmeiras, e depois de passagem pelo EC São José.
Na época de Pelé, o Bafinho tinha um zagueiro vigoroso chamado Piter, elogiado pelo próprio Rei pela eficiência na marcação.
Na década de 60 e parte dos anos 70 o Comercial teve ótimas formações.

Já o Botafogo, a Pantera Tricolor, viveu o nascimento futebolístico de Sócrates, sua maior estrela, sem dúvida.
Eurico, Tiri, Raí, Zuino, Paulo César, tantos e tantos outros nomes desfilaram e brilharam com a camisa tricolor.

Enfim, um clássico de luxo na rodada do Paulistão.

A velha rivalidade no estádio Santa Cruz neste sábado.

Lá estarei com os amigos Muller, Ivan Andrade e Geraldo Neto nos microfones, além dos coordenadores Juliana Mattos(Rio) e Idival Marcusso(SP) e grande equipe de geração e produção.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

QUARTA EM PRUDENTE

Quarta-feira estarei em Presidente Prudente.

Sete e meia da noite, ao vivo pelo Sportv, Oeste x São Paulo, segunda rodada do Paulistão.

O time de Itápolis foi vetado para enfrentar os "grandes" em casa, por isso vai ao estádio Eduardo José Farah pegar o Tricolor.

Lá estarei com Vagner Vilaron, Rildo Herrera e Joanna de Assis, mais uma grande equipe de geração e apoio.

São Paulo estreou goleando o Botafogo, o Oeste perdeu em Campinas para o Bugre, de virada.

domingo, 22 de janeiro de 2012

BRAGANTINO X PALMEIRAS, HOJE.

Hoje, domingo, vou a Bragança Paulista.

São 100 km de Americana até a Terra da Linguiça.

Um pedacinho da Anhanguera, depois a rodovia D.Pedro e posteriormente um trecho de 25 km até Bragança.

Bragantino x Palmeiras é o jogo, cinco da tarde.
Transmissão do Premiére FC.
À partir das quatro horas estaremos à disposição do programa TÁ NA ÁREA do Sportv.

Comigo, Edemar Anuseck, André Hernan e grande equipe de geração, produção, coordenação.

sábado, 21 de janeiro de 2012

HOJE NO PACAEMBU

Hoje, sábado, vou ao Pacaembu transmitir Corinthians x Mirassol.

Abertura do Paulistão.

Transmissão do Premiére e PFC Internacional, cinco da tarde, horário Brasilia.

Lá estarei com Marcos Caetano e Alexandre Oliveira e toda a equipe técnica.

Serão 19 rodadas e as oito melhores equipes vão para as quartas-de-final.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

SUPERLIGA AO VIVO

Hoje, sexta, volto das férias para transmitir a Superliga Masculina.

Nove da noite no Sportv tem Sesi x Vôlei Futuro pela décima rodada do primeiro turno da competição.
O atual campeão, Sesi, pega o vice-líder, a equipe de Araçatuba.

O jogo é no ginásio da Vila Leopoldina em São Paulo.

Lá estarei com o ex-jogador e campeoníssimo Carlão Gouveia, e Alexandre Oliveira nas reportagens.
Estevão Nunes e Colin Vieira na coordenação.
E uma grande equipe envolvida na jornada.

É jogo top do vôlei brasileiro.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

PRIMEIRAS ESCALAS

Amigos e amigas.

Sairam minhas primeiras escalas de 2012.

Sexta-feira vou narrar Superliga Masculina entre SESI e Vôlei Futuro, nove da noite, ao vivo pelo Sportv-2.

Sábado faço Corinthians x Mirassol pelo Premiére, cinco da tarde, ao vivo do Pacaembu.

Domingo estarei em Bragantino x Palmeiras, 5 da tarde, vivo no Premiére, direto de Bragança Paulista.

E na segunda-feira vou ao Rio de Janeiro participar da gravação do programa CAMAROTE, no Premiére, com a presença de Sérgio Carnielli, homem-forte da Ponte Preta.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

COPA PELÉ. GUERRA. PAULO ISIDORO DESISTIU.

No dia 16 de janeiro de 1991 começava a Guerra do Golfo.

No dia 16 de janeiro de 1991 estávamos dentro de um avião no aeroporto de Guarulhos aguardando as portas se fecharem para uma viagem a Miami.

Conosco, toda a delegação da seleção brasileira de Masters ( comandada por Luciano do Valle ) que iria disputar a Copa Pelé nos Estados Unidos.

Quando ainda acomodávamos os pertences nos bagageiros, eis que surge a noticia da guerra.
Ficamos espantados, evidentemente, e aí começou a especulação se haveria o evento em Miami, se seguiriamos a viagem ou não.

Papo daqui, papo dali, eis que passa correndo pelo corredor do avião o jogador Paulo Isidoro, integrante da delegação.
Levando sua bagagem de mão, o atleta ficou em desespero com a noticia da guerra e desistiu da viagem.
Deu no pé.

Os demais foram tranquilizados pela comissão técnica da seleção, e logo depois o avião decolou.

Chegamos a Miami com aquele tumulto natural no aeroporto ante o fato da guerra ter sido deflagrada, alfândega ainda mais rigorosa, especulações, um caos.

Em resumo, a Copa Pelé aconteceu e foi um sucesso junto aos brasileiros residentes e turistas da cidade.
Sem Paulo Isidoro.

Isso tudo há 21 anos atrás.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

OS ESTADUAIS DEVEM CONTINUAR ?

Vão começar os campeonatos estaduais e a inevitável polêmica.

A polêmica é se eles devem continuar existindo, ou não.

Eles existem desde muito antes do Brasileirão e foram pioneiros em mexer com a sensibilidade do torcedor.
Grande parte dos brasileiros tem um carinho muito especial pelos estaduais.
Os estaduais têm história bonita no contexto.

É claro que muita coisa mudou e que devemos acompanhar a evolução dos tempos.
Hoje os estaduais não têm o mesmo apelo comercial e de marketing do Brasileirão.
Tudo isso é claro e perfeitamente compreensível.
Nos dias de hoje, em São Paulo como exemplo, o campeonato estadual se resume há três meses, se tanto.
Ele está espremido no inicio do calendário.

Os grandes clubes paulistas não têm do que reclamar, pois as cotas de participação ainda são bem atraentes.
A televisão tem retorno de audiência e produz receita para as agremiações através de boas cotas vendidas.
O Paulistão dá retorno financeiro à televisão, aos clubes, o que é muito claro, pois se fosse diferente já teria saido da grade de programação há muito tempo.

Há pessoas que defendem a extinção do Paulistão, assim como dos demais regionais, o que me parece posição extremista, radical, até discriminatória.
Para uma calendário nacional não é necessário acabar com os estaduais, que mexem com a rivalidade doméstica e dão muitos empregos.

No caso do Paulistão, repito, há ainda o forte argumento de que é um evento que dá resultados financeiros. Há clubes que não recebem da Libertadores o que ganham no campeonato paulista. Comprovadamente.

Mas eu me apego mesmo ao interesse do torcedor.
A massa tem um carinho especial pelos estaduais.
E se não mais comparece aos estádios como gostaríamos, é porque vários fatores contribuem para tal, sem a necessidade de aqui enumerá-los.

E que não venham com a alegação "discutível" de que o estadual tem nível técnico fraco ou coisa que o valha.
Avaliar se o evento é fraco tecnicamente é questão de ponto de vista ou de atitude politica de má vontade quanto à validade do produto. E vice-versa.
Meu vizinho pode achar um jogo fraco do ponto de vista técnico, e eu gostar.
As avaliações não me influenciam, pois sei como normalmente as pessoas atribuem notas aos espetáculos. Nem sempre a análise é fria ou competente.

Não dá para comparar, também, o fato de o Brasil ter os estaduais e os europeus não.
Isso é velho e batido.
Todos sabemos o porquê da Europa não ter os regionais.
Não é da história e nem da geografia deles.
Discutir esse aspecto me parece perda de tempo.

Mas vêm aí os estaduais.
Que ainda resistem ao tempo e às pressões.
E como hoje tudo gira em torno da resposta que a televisão tem, eles continuam comerciais, rentáveis, cabíveis na grade de programação.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

COMO É DIFICIL PARAR

Como é dificil parar.
Em qualquer atividade.

No futebol o problema se acentua, pois o artista da bola sai do noticiário, cai no lugar-comum de ser mais um cidadão, mais um contribuinte ( no País dos impostos ).

Neste momento a gente acompanha, como exemplo, dois jogadores que ainda buscam um clube: Túlio Maravilha e Rivaldo.

Túlio com a meta de chegar aos mil gols, Rivaldo não querendo abandonar as chuteiras, os gramados.

Rogério Ceni vai para o cumprimento do contrato que tem com o tricolor até dezemnbro deste ano. Mas é outro que em breve deverá parar.

Marcos jogou a toalha. Foi decidido neste inicio de 2012. Mas relutava também.

Enfim, trata-se de uma decisão dificil, devemos reconhecer.
É abandonar a rotina dos treinos, viagens, concentrações, entrevistas e tudo mais, além dos ótimos salários que hoje são pagos.

Mas o corpo cobra.
As dores aparecem ( mais para uns do que para outros ).
As cobranças aumentam para quem já passou dos 30.
Um amontoado de itens.

Vale lembrar Romário, o quanto brigou com o tempo e com o físico, até encerrar a gloriosa carreira.

É a roda da vida, das profissões.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

ESTÁDIOS INTERDITADOS

Começo de ano e o fato se repete.

Vários estádios paulistas interditados e ameaçados de não estarem OK para o estadual.

Os clubes normalmente se esquecem de detalhes burocráticos, como a revalidação de documentos importantes junto ao Corpo de Bombeiros e Policia Militar, obras que deveriam ser feitas e são "esquecidas", enfim, uma série de coisas.

E aí vem aquela correria dos dirigentes.

Mesmo confiando na seriedade dos órgãos competentes, a correria para deixar tudo em ordem, como pequenas obras, acaba deixando o torcedor desconfiado sobre a segurança dos estádios.

Será que ele estará adentrando uma praça esportiva que lhe oferecerá total segurança?

99% dos nossos estádios são antigos, com precária manutenção, pouco oferecendo de conforto aos frequentadores, o que aumenta a desconfiança quanto à segurança de suas estruturas.

Uma verdade é que hoje vivemos uma outra realidade e a maioria dos estádios brasileiros precisaria ser administrada por empresas particulares.
Os clubes não têm suporte financeiro para a manutenção diária das praças.

E aqueles que pertencem a municipios, estados ou União, dependem de verbas e boa vontade politica, resultando em abandono total.

Os estádios que servirão à Copa do Mundo modernizarão o modelo brasileiro, mas na verdade representam quase nada da realidade nacional.
Vamos continuar com 99 por cento dos estádios em péssimas condições.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

FOI BEM O CORINTHIANS

Registro de um ato pouco comum no futebol.

A nota oficial do Corinthians parabenizando o goleiro Marcos e a Sociedade Esportva Palmeiras é algo digno de aplauso.

Muitos poderão dizer que foi algo protocolar, ou algo do gênero, mas no mundo do futebol onde as rivalidades são cada vez mais acentuadas, e violentas, essa atitude dos dirigentes do Corinthians é muito importante.
Além de dar o exemplo de que adversários não são inimigos.

Assim as torcidas organizadas entendessem isto.

Parabéns à diretoria corintiana.

Marcos merecia esse reconhecimento. E recebeu.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

MARCOS SIMPATIA - ADEUS

O futebol acaba de receber a noticia, que era esperada há algum tempo.

Goleiro Marcos anuncia a aposentadoria.

Um cara simples de alma linda.
Um goleiro completo, perfeito, campeão do mundo.

Dentro de sua simplicidade muitas vezes foi criticado pela expontaneidade ao deixar o gramado derrotado. Ele falava com o coração quando o assunto era uma derrota do Palmeiras, seu clube amado.
Era o coração machucado do garoto palmeirense de Oriente(SP) que desabafava.

Mas uma coisa todos sabiam, e sabem, ele jamais foi maldoso em suas declarações. Nunca suas palavras foram eivadas de maldade a qualquer companheiro de grupo.

Marcos sempre rendeu ótimas entrevistas, com seu bom humor, boas tiradas, autenticidade.

Jamais ficamos sabendo de algum atendimento desleixado a qualquer torcedor do Verdão.
Um idolo, como ele, não tem o direito de desprezar qualquer amante do futebol que lhe peça um segundo de atenção e carinho.

Assim como tantos outros ótimos goleiros que o Palmeiras teve em sua rica história, Marcos se supera exatamente pelo seu comportamento fora de campo.

Eu o chamaria de Marcos Simpatia.
Um exemplo forte de como um atleta deve conduzir a carreira, jogando ou convivendo no dia-a-dia com as outras pessoas.

Escrevo tudo isso com o registro de que nunca troquei uma palavra com ele.
Minha admiração pelo Marcos é gratuita, um reconhecimento por alguém de caráter e muito respeitoso no trato com o semelhante.

Parabéns, Marcão!

E nos faça um grande favor: não abandone o futebol completamente.
Sua Luz precisa continuar a iluminar os corredores obscuros desse esporte.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

EU GOSTO DA COPINHA

Ainda estou em periodo de férias.

Começo a dar umas espiadinhas nos canais que têm futebol.
Futebol internacional paro pouco, pois não tenho nenhuma identificação com os clubes europeus, embora profissionalmente eu precise estar informado.

Fiquei mais tempo nos jogos da Copa São Paulo.
Gosto de ver a garotada em ação, meninos cheios de brilho nos olhos, sonhando com chances de ouro, dando tudo de si.

Pode-se discutir o nível técnico da Copinha, pois há times fracos, mas o evento é muito atraente, pelo menos para mim.

O foco maior é sem dúvida para as equipes sub-18 dos grandes clubes brasileiros, onde tanto se contesta e se cobra. Temos valores surgindo à todo instante. É da nossa natureza futebolística, embora a gente saiba que nas categorias menores ainda existam treinadores com a mentalidade tática da retranca. Uma pena.

Mas, repito, eu gosto de ver a Copa SP.
Durante muito tempo trabalhei nela, transmitindo.
Lembro-me de ter narrado a conquista do Marilia, 1979, com o técnico Valter Zaparolli, em decisão que aconteceu no Canindé.
Fiz a transmissão pela Rádio Gazeta de SP.

E depois, durante anos e anos, continuei trabalhando no evento.

Pena que os critérios técnicos para os convites aos clubes sejam nos dias de hoje desprezados. Prevalece o aspecto politico. Mas de qualquer maneira, o torcedor se liga na Copinha e assiste.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

CARLOS VALADARES

Surpreendido pela noticia da morte física do amigo CARLOS VALADARES, quero deixar aqui neste espaço a minha homenagem a ele.

Convivi em diversas jornadas, em viagens, com o querido Bocão, como o chamávamos carinhosamente.
Sempre alegre, divertido, de ótimo astral.
Além, evidentemente, do profissional competente que era.

Não faz muito tempo, através do Facebook, tivemos um bom papo e ele me dizia de seus problemas de saúde, mas que pareciam contornados.

Infelizmente nos primeiros momentos de 2012 o querido Luiz Carlos Valadares se desligou do corpo físico, para outras importantes jornadas.

Quanta gente acompanhou e admirou a sua energia, sua competência e vivacidade nas transmissões pelos mais importantes prefixos do país.

Fica aqui o meu respeito por ele e pela sua bela passagem pelo Planeta.

E meu muito obrigado por privar da sua amizade, que tanto me fazia bem.