quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

SHOW DO ESPORTE

Neste finzinho de janeiro está fazendo 10 anos da minha saída da Band.

A chegada do empresário Jota Hawilla como arrendatário do esporte na emissora fez com que alguns profissionais deixassem a rede do Morumbi, como Elia Júnior, Simone Mello, Gerson (canhota), Armando Nogueira e eu.

Entrei na Bandeirantes em janeiro de 1980 como narrador da rádio, levado pelos amigos Flávio Adauto e Osvaldo dos Santos(já falecido). Na época, os dois profissionais estavam à frente da equipe da rádio Bandeirantes.

Meu último trabalho pela rádio Gazeta foi exatamente no dia 31 de dezembro de 1979, transmitindo a corrida de São Silvestre e a vitória de José João da Silva, um atleta exemplar, brilhante.

Fiquei na rádio Bandeirantes por três anos e meio, quando passei a atuar na televisão do Morumbi, um pouco antes da chegada de Luciano do Valle e o seu "Show do Esporte".

Luciano chegou da Record e me convidou para fazer parte da sua equipe, quando então deixei de narrar pelo rádio.

É claro que lamentei muito o fim da era-Show do Esporte, um período inesquecível para nós, profissionais, e acho que também para os telespectadores brasileiros. Mas tudo na vida é cíclico, tem fases, e um dia acaba.

Sob o comando de Luciano do Valle e Quico Leal, donos da Luqui, a Band saiu de um profundo buraco financeiro(1983) e transmitiu Copas, Olimpíadas, Panamericanos, Sulamericanos, diversificou modalidades em espaços na televisão e formou dezenas de ótimos profissionais em muitas áreas.

Foi um período de ouro da Band e da televisão brasileira. Todos lucraram com o sucesso do projeto da Luqui Promoções.

Estou felicíssimo no Sportv (já são dez anos de casa), mas tenho saudade da Band e daquela equipe SHOW DO ESPORTE.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

BOM DUELO EM CAMPINAS

Nesta quarta-feira vou a Campinas transmitir Guarani x São Paulo pelo PFC (pay-per-view), às dez da noite.

O amigo jornalista Luiz Ademar estará comentando, enquanto nas reportagens a presença do competente Edison Souza, da EPTV Campinas.

Esse confronto me faz voltar no tempo. Comecinho de 1987, mas a final do Brasileirão de 86. Os dois times proporcionaram um espetáculo que ficou na memória de muita gente. Foi uma decisão eletrizante.

Três a três no tempo normal, empate com gols na prorrogação e depois nos pênaltis a vitória do São Paulo e o título nacional de 1986.

Vazava pelo ladrão o Brinco de Ouro.

Fui convidado pelos amigos da rádio Clube de Americana a transmitir "meio-tempo", já que o irmão Antonio Edson se incumbia de narrar a outra metade da final.

Ficamos em local improvisado abaixo das cabines de rádio, praticamente junto com os torcedores, onde a cada lance de área todos se levantavam, dificultando a nossa visão.

Foi um "senta-levanta" que não parava, pois o jogo foi muito emocionante.

Uma linda página da história do futebol brasileiro, do campeonato nacional e das duas agremiações. Inesquecível.

Nos dias atuais, o Bugre não tem a mesma qualidade de 23 anos atrás, evidentemente, porém começou a temporada com 100% de aproveitamento e poderá dar canseira no Tricolor.

Esse jogo tem uma escrita: há 12 anos que o Guarani não vence o São Paulo. Nesse espaço de tempo aconteceram 20 jogos. É muito tempo.

Tricolor não terá Rogério Ceni (fato raro) pois está machucado, enquanto o Bugre ainda não poderá promover a reestréia de Amoroso, também contundido.

Cerca de 13 a catorze mil pessoas são esperadas no estádio alviverde.

S.O.S VASCO !!!

Leio na Internet que o rombo do Vasco é de R$ 300 milhões aproximadamente, e que um grupo de grandes empresários cruzmaltinos se reúne para tentar minimizar esse astronomico montante.

Em outras palavras, é a herança deixada pelo antigo presidente vascaíno, que sempre bateu no peito e disse que o clube ía "muito bem, obrigado".

O mesmo dirigente que se gabava de não ter patrocínio na camisa do Vasco, esnobando propostas e pretendentes.

O mesmo dirigente que tratava a mídia em São Januário com desrespeito, desdém, tendo muitas vezes proibido a entrada de jornalistas que criticavam a sua administração.

Cansei de ouvir a seguinte colocação: "Eurico é ruim para o futebol, mas é ótimo para o Vasco". Será que ainda hoje essas pessoas repetem a frase, diante do caminhão de dívidas acumuladas?

Que esses empresários e políticos vascaínos sejam bem sucedidos na empreitada de arrumar grana para apagar o incendio. Um incendio premeditado por aqueles que acompanhavam a antiga administração cruzmaltina.

Aliás, esse buraco vascaíno nas suas finanças não é muito diferente do que foi cavado no Corinthians pela equipe de Dualib.

CORREÇÃO

Perdão.

O jogo do Palmeiras pela Libertadores é no Palestra Itália quinta-feira, e não nas alturas de Potosí, Bolívia.

Falha nossa!!!

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

A BOLA VOLTA A ROLAR

Nesta terça-feira começa mais uma rodada do Paulistão.

O Palmeiras volta ao Palestra Itália numa semana de correria logística. Pega o Marília e depois viaja rapidinho para a Bolívia, vai às nuvens e enfrenta o Real Potosí pela Libertadores na quinta-feira. Luxemburgo promete colocar todo mundo pra jogar, pois a temporada está só começando e os jogadores precisam de ritmo.

Ainda na terça tem Santo André x Ponte Preta, no ABC, oito e meia da noite. É o reencontro de Sérgio Guedes com a Macaca, o treinador que levou a alvinegra campineira ao vice-campeonato do Paulistão. Guedes perdeu as duas primeiras no comando do Ramalhão e se tropeçar novamente perderá o cargo.

Na derrota para o São Caetano, o técnico do Santo André esteve reunido por mais de uma hora com os cartolas no próprio estádio Anacleto Campanella e segundo se soube, faltou pouco para perder o cargo.

É VELHO? JOGA FORA

Ontem ao final da Copa São Paulo o técnico do Corinthians Adailton Ladeira fez um comovente desabafo. Dedicou o título ao presidente Andres Sanchez e revelou que quase foi fritado antes da Copinha por algumas pessoas do Parque São Jorge, tachando-o de velho e superado.

Ladeira, 67 anos de idade, há mais de trinta como treinador nas bases dos clubes por onde passou, ganhador de inúmeros títulos e tricampeão da Copa São Paulo, chegou às lágrimas enquanto falava da discriminação que sofreu.




É triste quando ainda tomamos conhecimento dessa crueldade que é a discriminação da idade, em qualquer setor da sociedade. Os mais jovens têm preconceito sobre os mais vividos e não pensam duas vezes antes de tacha-los de velhos e acabados para determinada atividade.

Ainda não aprendemos que é preciso renovar, mas que não é prudente desprezar a sabedoria, a vivência de muitos profissionais, nesta ou naquela empresa.

Sem falar que aqueles que hoje detonam os "idosos", um dia também o serão. E certamente não apreciarão o preconceito e a discriminação que poderão sofrer.

Foi um caso no futebol, mas que serve de reflexão para todas as demais atividades. Que os executivos de hoje pensem bem antes de "jogar fora" a experiência de alguém ainda produtivo e perfeitamente útil à uma instituição.



domingo, 25 de janeiro de 2009

RESCALDO DO DOMINGO

O domingo está terminando, uma nova semana começando e o torcedor brasileiro contabilizando os resultados do futebol.

No Paulistão, Palmeiras + São Paulo + Corinthians fizeram a sua parte e venceram.
** Escrevo antes de começar Noroeste x Santos.

Pelo Carioca a torcida cruzmaltina preocupada, pois o Vasco perdeu logo na primeira rodada e em São Januário para o Americano ( dois a zero ).

Teve goleada do Grêmio diante do Esportivo no sábado, cinco a zero. É o Gauchão em suas primeiras rodadas.

No estadual paranaense o tricolor de Curitiba levou uma pancada do J. Malucelli no sábado. Três a zero.

Vi no Pacaembu a garotada do Corinthians levar mais uma vez a Copa São Paulo diante de um forte time, o Atlético Paranaense. Mais de 30 mil pessoas no estádio, e pagando ingresso.

O meu Rio Branco estreou na série A2 do Paulista ( segunda divisão ) com vitória fora de casa. Meteu dois a um no São Bernardo. Vai pegar agora o Flamengo de Guarulhos em Americana.

E amanhã, segunda-feira, Dunga divulga a lista dos jogadores que vão enfrentar a Itália em fevereiro, jogo amistoso.

A maioria dos Estados brasileiros já tem bola rolando com seus campeonatos locais.
É disso que o povo gosta, diria o amigo Januário de Oliveira, que curte a linda Goiânia já há algum tempo.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

JORNADAS DO SPORTV

Terei três transmissões neste final de semana pelo canal Sportv.

Hoje, sexta-feira, vou a Rio Claro com os amigos Maurício Noriega, Edgar Alencar e Luis Antonio Garmêndia para Atlético-Paranaense x São Paulo, semifinais da Copa São Paulo, seis e meia da tarde.

Sábado o compromisso é em São Caetano do Sul pelo Paulistão, segunda rodada.
O jogo vai começar às seis e meia da tarde e é o duelo do ABC: São Caetano x Santo André. Transmissão do Sportv.

Domingo estarei na final da Copinha, 10 e meia da manhã. À princípio a decisão está marcada para o Pacaembu, mas acho que se ficarem Atlético-PR e Avaí, o jogo deverá ir para o estádio do Nacional, o Nicolau Alayon.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

KAKÁ, MILAN E A LIÇÃO DO "NÃO"

É uma pena que poucas vezes o capitalismo ( o desumano ) receba um sonoro NÃO e se frustre na sua falsa impressão de poder.

O caminhão de dinheiro que os árabes ofereceram ao Milan e Kaká não foi suficiente para convencer as duas partes. Quando a maioria esperava que clube e jogador bateriam o martelo diante de oferta tão tentadora ( para muitos, irresistível ), eis que a negativa veio como uma ducha fria na cabeça das pessoas e entidades.

Serviu para refletir.

Até onde vai a força do dinheiro?

Ainda há pessoas que resistem à tentação do "vil metal", embora saibamos que Kaká já é um garoto materialmente rico e está em condições de recusar propostas tão vultosas como esta dos donos do petróleo. A decisão do jogador se fortalece na medida em que há cidadãos pelo planeta que têm muita grana e que não se saciam com o que têm, sempre querendo mais.

Pego, por exemplo, os casos de pessoas humildes, modestas, pobres até, que devolvem quantias importantes de dinheiro encontradas em locais públicos. Isso é equilíbrio, sabedoria, honestidade, crescimento espiritual, superioridade às tentações da matéria.

Sejam quais forem as razões que levaram o clube italiano e o jogador brasileiro a recusar a proposta dos donos do Manchester City, a atitude serviu de lição para muita gente e contrariou a forte corrente dominante de que dinheiro compra tudo.

Aconteceu no esporte, mas serviu de exemplo indicativo para todos os segmentos sociais.

** Fico imaginando a decepção dos árabes ao receberem o NÃO, e mais do que isso, o choque de perceberem que há outros fortes valores além do dinheiro.




segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

TRANSMISSÕES

Nesta terça-feira volto à cidade de São Carlos e transmito Corinthians x Fluminense pela Copa São Paulo de futebol júnior. O jogo é às 18:30 e ao vivo pelo Sportv. Comigo estarão os amigos Zetti, Marco Aurélio Souza e Luis Antonio Garmêndia, mais o time de produção.

Quarta-feira estarei em Campinas no Brinco de Ouro. Guarani x Portuguesa é a atração, às nove e meia da noite, também pelo Sportv, com Zetti, Marco Aurélio e André Natale.

As pessoas perguntam por que os horários diferentes nas rodadas do Paulistão. É para poder atender aos assinantes que adquirem o pay-per-view. Se todas as partidas acontecessem no mesmo horário, não haveria canais suficientemente disponíveis nas operadoras (Sky e Net).

O torcedor do estádio se sacrifica um pouco, mas os clubes colocam mais dinheiro no caixa com a arrecadação do pay-per-view. Faz parte da contrapartida do profissionalismo.

ESTADUAIS COMEÇANDO

Alguns estaduais já começaram e outros têm início esta semana.

Costumo ver futebol pela sua essencia e não por este ou aquele campeonato estar atrelado a qualquer outro evento. Tipo: um torneio abre vagas para outro campeonato.

É claro que uma motivação aditivada é sempre benéfica, saudável, mas entendo que o espetáculo em si é o bastante para a diversão e o entretenimento do espectador.

Valorizo qualquer jogo de futebol, inclusive os amistosos. Bola rolando é o que vale para o meu gosto.

É claro que respeito opiniões contrárias, mas gosto dos estaduais. A rivalidade entre os torcedores fica mais próxima, mais íntima. Essas rivalidades têm histórico, têm tradição e não podem ser desprezadas pelo modernismo das idéias ou preconceito das elites.

Então, que venham os campeonatos estaduais. Alguns preferem rotular de apenas um aperitivo para a temporada brasileira, mas prefiro dizer que eles são importantes e que abrem a jornada de 2009 com forte apelo popular.

E ainda que os estaduais sejam coadjuvantes no contexto do calendário, reforço que todo grande filme não se faz só de protagonistas. Prescinda de figurantes, operários e pessoal da mão-de-obra para ver se o grande produto sai do papel.

Aqui do meu lado fico na expectativa da largada do Paulistão, um campeonato que acompanho há décadas como espectador e depois como profissional.

Me lembro que não faz muito tempo a Federação Paulista ignorou o estadual e entrou de sola na promoção do Rio-São Paulo, desancando em total fracasso, pois clássico em cima de clássico desgastou o interesse da galera.
Só o choque entre os grandes, os protagonistas, "cansou"a massa.







sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

COPINHA NO MATA-MATA

Continuo minha jornada na cobertura da Copa São Paulo ao lado de dezenas de profissionais, do Sportv e de todas as outras emissoras que acompanham o evento da garotada.

Neste sábado volto a São Carlos e trabalho em Corinthians x Ponte Preta, seis e meia da tarde, pelas oitavas-de-final da competição. Estarei ao lado do campeão do mundo Zetti, Marco Aurélio Souza e Luis Antonio Garmêndia, mais todo o pessoal de coordenação e produção.

Domingo iremos à Rio Claro onde se pegam São Paulo e Grêmio Barueri, seis e meia da tarde, transmissão do Sportv. Comigo, o ex-goleiro Zetti, Marco Aurélio e Rodrigo Garavini.

A Copinha entra na reta de chegada e muitos meninos despontam com um futuro promissor. O Brasil é pródigo em revelar talentos da bola e não está sendo diferente.

Ótimo final de semana pra todos.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

PERDEMOS O GB

Tomei conhecimento da morte de Geraldo Blota pelo site do amigo Edu César, o www.papodebola.com.br .

Sabia da enfermidade de GB e que seu estado era muito delicado.

Outro dia voltando de São Carlos passei pela entrada de Ribeirão Bonito e me lembrei dele. A familia Blota teve suas raízes nessa cidade.

GB sempre que podia dava um pulinho até lá (antigamente conhecida como Água Vermelha) para pescar e curtir a aposentadoria.

Ouvi o GB pela primeira vez na rádio Jovem Pan, inicio da década de 70, formando dupla com o então narrador Joseval Peixoto. Foram eles que introduziram no rádio esportivo a descontração, com brincadeiras saudáveis, bem humoradas, inteligentes, respeitosas.

Quis o destino que eu viesse a ser companheiro de Geraldo Blota na rádio Gazeta à partir de 1976. Tive um relacionamento super amigável com ele.

Explosivo, espirituoso, destemido, Blota marcou pela forte personalidade nas suas atividades. Foi vereador na capital paulista, assessor do irmão deputado Blota Jr. e ocupou diversos cargos públicos em secretarias municipais e estaduais.

Operou no ramo imobiliário, igualmente com sucesso.

Todos têm na retina a célebre imagem do milésimo gol de Pelé e aquele repórter entrando para apanhar o depoimento do Rei nas redes do Maracanã.

Assim era o Gebê. Irrequieto, elétrico, aceso, sempre tomando a iniciativa.

Foi um dos grandes jornalistas esportivos desse País.

Que o amigo tenha uma transição bem assessorada pelos irmãos da espiritualidade. Que novos caminhos sejam abertos a ele, agora em outra dimensão. Ninguém "descansa" quando deixa o corpo físico, mas se liberta para outras vestimentas cósmicas e imensas jornadas de trabalho.

Gebê jamais poderia "descansar", dada à sua característica altruísta e guerreira. Ele já já deverá estar em outras missões espaciais, em outras paragens inteligentes do Universo.

Ficam as minhas homenagens ao já saudoso amigo e os votos de muita força e compreensão aos seus familiares.





quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

PALAVRÕES NO AR

Tenho ouvido colegas da mídia escancarando palavras nada apropriadas para os veículos de comunicação, especialmente no rádio. Dá a impressão que "liberou geral".



Nas rodinhas de amigos, no papo do churrasco, no trabalho, sei lá, tudo bem. Vale a intimidade das pessoas que estão envolvidas. Mas a partir do momento que você usa um microfone, há que se respeitar o universo que está do outro lado.



Nem todos os que ouvem rádio e televisão admitem termos chulos, nada cabíveis em canais de comunicação de massa. Muita gente gosta ou nem dá bola, outras pessoas não aprovam e são agredidas pelo palavreado pesado e descompromissado com a ética.



Penso que deve prevalecer a boa educação quando você se dirige a um universo incontável de pessoas.



Por tudo isso é que a escalação de profissionais para falar aos microfones precisa ser bem criteriosa, algo em desuso nos dias de hoje, lamentavelmente.


Erros de gramática todos estão sujeitos a cometer, no improviso tudo é possível, mas o emprego de palavrões é condenável e precisaria ser coibido pelos diretores de jornalismo das emissoras.

Tenho ouvido cada uma....













RESPEITEMOS O FENOMENO

Adoramos fazer piadas. Nós, brasileiros, somos assim.

Bom humor é necessário, indispensável. É ele que ajuda e muito o Brasil a tocar em frente. Faz bem à saúde, diz a ciência médica. E faz, mesmo.

Entendo que estamos exagerando na dose quanto à recuperação de Ronaldo, o Fenômeno. São muitas as piadinhas, algumas muito bem boladas, mas que chegam a desrespeitar o cidadão Ronaldo Nazário.

O cara está dando um duro danado para entrar em forma e prosseguir a carreira, mas a gente insiste em ridiculariza-lo, o que não é legal.

Até acho que não existe maldade na imensa maioria das gozações, mas percebe-se muitas vezes a irritação do atleta junto à imprensa, exatamente pela carga de brincadeiras produzidas no dia a dia.

É evidente que Ronaldo é uma figura pública e está sujeito a tudo isso, é claro que pisou na bola no comportamento pessoal, mas quem não erra?

Quem de nós não cometeu deslizes em algum momento da vida?

Sabe aquele lance do "atire a primeira pedra?".

Acho que deveríamos maneirar nos "ataques" ao grande jogador, patrimonio brasileiro do esporte. Outros países que tivessem Ronaldo como seu filho, certamente agiriam de forma mais respeitável. Lá fora eles preservam direitinho seus ídolos, em qualquer situação.

E concluo dizendo que Ronaldo é até pacato demais diante de tantas piadas e gozações que sofre. Se o seu temperamento fosse outro, haveria uma grande guerra entre a mídia e o extraordinário atleta.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

CRISTIANO RONALDO E MARTA

Cristiano Ronaldo e Marta levantaram o caneco no prêmio-Fifa.

Dois talentos indiscutíveis.

O que pode ser discutido é o modelo do concurso. Escolher apenas o "melhor" não me parece justo e coerente.

Ocorre que a tendência é sempre escolher os artilheiros ou meias habilidosos. São os que mais chamam a atenção em uma partida de futebol. Goleiros e zagueiros, assim como os volantes, dificilmente são valorizados e consequentemente escolhidos.

Certa está a CBF nos finais de ano ao recolher os votos para todas as posições. Do goleiro ao último atacante. Assim, todos são reconhecidos, todos concorrem.

Como o futebol é o resultado do trabalho de onze seres humanos em campo (afora as comissões técnicas, roupeiros, massagistas, nutricionistas e etc) nada mais justo que TODOS mereçam concorrer.

Por isso torço o nariz para essas eleições de O MELHOR, O MAIOR, e por aí vai.

Num trabalho de equipe, indicar apenas um membro é discriminar outros valores que compõem a matéria geral.



segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

TIMÃOZINHO EM CAMPO

Nesta terca-feira volto a São Carlos para transmitir mais um jogo da Copinha.

Corinthians x Sertãozinho é o jogo.

O estádio Luisão estará lotado e a massa corintiana irá comandar o espetáculo, como já ocorreu nas rodadas da primeira fase.

Vale lembrar que à partir de agora os jogos são eliminatórios, o mata-mata. Caso haja empate no tempo normal, a decisão vai para os penaltis.

Não vi a garotada do Sertãozinho, mas acompanhei a dois jogos do Timãozinho. O técnico alvinegro, Ladeira, teve que montar um time especial para a Copa, em razão do regulamento modificado e envolvendo apenas meninos entre 1990 e 1993.

A verdade é que o Corinthians não foi bem na fase de classificacão da Copinha e ainda perdeu o meia Boquita, que sofreu fratura em osso da face.

Estarão comigo em São Carlos os companheiros Zetti, Marco Aurélio Souza e Luis Antonio Garmêndia.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

COPINHA SEGUE ALUCINANTE

É ilusão ir a um estádio, nos dias de hoje, esperando espetáculos altamente técnicos e de leveza artística. Nem nos badalados e ricos certames europeus a gente vê isso.

Por isso estou gostando muito da Copa São Paulo, onde a garotada nascida entre 1990 e 1993 esbanja saúde e vontade. Não tem bola perdida. É correria, mas com boa dosagem técnica se levarmos em conta a imaturidade desses meninos.

Neste final de semana teremos a apuracão de 32 classificados, dentre os 88 que comecaram a competicão. E na próxima fase a classificacão será em jogos eliminatórios, o mata-mata.

Sábado vou à cidade de São Carlos onde o time local tentará a qualificacão diante do Corinthians. O jogo é às oito e meia da noite com transmissão do Sportv. O alvinegro corintiano jogará pelo empate.

Domingo irei a Araraquara onde o Palmeiras tentará se classificar diante da lendária Ferroviária, e para isso poderá até empatar que ficará com a vaga. O Verdinho jamais levantou essa Copa.

Ótimo final de semana aos amigos e que tenhamos mais bons jogos da Copinha.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

OLHOS NOS OLHOS

Trabalhei com o ex-goleiro Zetti esta semana em transmissões do canal Sportv. Estivemos pelo interior de São Paulo e conversamos muito sobre vários assuntos, especialmente o futebol, é claro.

Zetti é simples, educado, atencioso com os fãs e colegas de trabalho.

Um fato que me chamou a atencão foi o dos autógrafos distribuidos por ele. Em nenhum momento ele deixou de fixar os olhos na pessoa que lhe pedia a assinatura. Em nenhum momento deixou de responder às perguntas dos admiradores.

Infelizmente há personalidades do esporte que autografam sem sequer olhar para quem está a sua frente. A má vontade impera em muita gente "importante"do esporte.

Houve um fato em um restaurante de Rio Preto que foi marcante. Pai e filho pretendiam tirar uma foto com o grande goleiro mas o celular falhava na hora do registro. Zetti pediu permissão aos admiradores para verificar o porque do problema. Mexeu nas configuracões do celular até que a foto fosse possível acontecer. Não queria frustrar pai e filho. E não frustrou.

Zetti entende que o sucesso não dá o direito de ninguém se colocar acima do semelhante em importancia ou coisa que o valha.

O ex-goleiro deu um show de respeito e de boa educacão aos inúmeros admiradores.

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

MAIS COPINHA.....

Sigo minha caminhada na cobertura da Copa SP de futebol júnior pelo Sportv.

Hoje, terca-feira, estarei em São Carlos para Corinthians x Democrata-MG, oito e meia da noite, ao lado de Zetti, Marco Aurélio Souza, Luis Antonio Garmendia e a coordenacão de Willy Baby Gomes.

Amanhã, quarta, vou a São José do Rio Preto transmitir União(MT) x Santos, também às oito e meia da noite, com Zetti e Edgar Alencar.

Folgarei quinta e sexta, mas no sábado volto a São Carlos acompanhando o grupo do Corinthians na rodada final desta primeira fase.

Estou gostando da Copinha. Molecada correndo muito, dedicacão total, disciplina, respeito às arbitragens, com os erros comuns de meninos entre 16 e dezoito anos de idade. Tudo tem que ser compreendido nessa faixa etária.

Os árbitros, também jovens, estão correspondendo. A maioria em início de carreira e portanto sujeitos a falhas e equívocos. Mas com bom nível.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

LARGADA DA COPINHA

Vai comecar a Copa São Paulo de futebol júnior, edicão de número 40.

Comecou em 1969 e logo de cara o título ficou com o Corinthians. Nas duas primeiras Copinhas só jogavam times paulistas, mas a partir de 1971 entraram cariocas e mineiros. Depois os gaúchos e o evento ganhou a proporcão fantástica dos dias de hoje.

São 88 equipes em 22 grupos de quatro times cada. O vencedor de grupo se classifica direto para a segunda fase, abrindo-se então dez vagas pelos critérios técnicos, totalizando 32 equipes para a sequencia do torneio.

À partir deste sábado estarei na estrada com a missão de transmitir a Copinha.

Sábado em Guarulhos (Fluminense x Sertãozinho às duas da tarde), domingo em Hortolandia (Flamengo x União Barbarense às quatro da tarde), segunda em Americana numa rodada dupla desde às 18:30. Na terca-feira irei a São Carlos e na quarta em São José do Rio Preto.

Uma correria que vale a pena. Garotada disposta a mostrar servico e os estádios recebendo públicos numerosos.

ZETTI NO SPORTV

Já trabalhei com tantos ex-jogadores (volei, basquete, futebol, futsal e etc) e aprendi muito com eles todos.

Me lembro de ter atuado com Rivellino, Clodoaldo, Gerson, Zico, Pelé, Mário Sérgio, Tostão, Júnior, Goncalves, Raul Plasmann, Bobô, Zito, Carlos Alberto Torres, Leivinha, Edvar Simões e Hélio Rubens(basquete), Jaqueline e Vera Mossa(volei) e outras personalidades que certamente acabei esquecendo.

Agora em 2009 recebo a informacão que o ex-goleiro Zetti estará nos comentários pelo Sportv, já estreando na próxima quarta-feira em São Carlos e ao meu lado.

Uma honra para mim.

Na última Copa do Mundo ele esteve com a gente nos programas que eram comandados pelo Maurício Noriega dos estúdios em São Paulo.

Acompanhei toda a carreira de Zetti, transmiti jogos e jogos do grande campeão do mundo. Além do brilhante profissional, trata-se de uma grande figura humana.

É daqueles cidadãos que ninguém torce o nariz quando seu nome é citado em alguma roda de papo. Ao contrário, é unanimidade em aprovacão.



quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

SAUDADE DO AMIGO ROBERTO

Está fazendo tres anos da morte física do grande amigo Roberto Leite, José Roberto Rolla Leite, com quem mantive um relacionamento muito bonito, de respeito e solidariedade.

Roberto era narrador dos bons, voz potente, dedicado profissional, uma linda alma.

Trabalhamos juntos na rádio e TV Gazeta de São Paulo. Fez seu nome profissional em Campinas, passando pelos importantes prefixos de rádio da cidade.

Ainda jovem, o querido Bob Milk (como eu o chamava) nos deixou fisicamente num período de final de ano. Pronto para comemorar o novo ano de 2006, Roberto foi acometido de um problema no pâncreas e não resistiu, tendo de partir para outras jornadas cósmicas com a sua vestimenta espiritual, que é a nossa essencia de vida eterna.

Saudade do Roberto.
Minhas homenagens ao grande locutor esportivo que foi, mas principalmente ao grande ser que por aqui passou só esparramando bondade e lealdade.