quinta-feira, 8 de novembro de 2018

O RÁDIO


Sempre comemorei em setembro os dias do Rádio e do Radialista, mas agora é também em novembro.
Mas tudo bem.

Importante é o VEÍCULO.
A comunicação direta do rádio.
Falou, ouviu na mesma hora.

O mundo se transforma, as gerações vão mudando, mas o rádio é o mesmo na sua missão de informar, orientar, divertir, entreter.

Esse veículo já imperou sozinho na comunicação, até que a televisão surgisse.
Porém nunca perdeu a sua essência e o magnetismo que impõe às pessoas.

É o grande companheiro de muita gente.
É o parceiro, o amigo, o preenchimento de momentos tristes e vazios, além do conteúdo jornalístico e histórico no planeta.

Fazer rádio é uma arte.
Fazer rádio é uma grande responsabilidade.
As palavras têm força e poder.
Muda-se a mente de alguém com as palavras, para melhor ou para pior.

Relembrar tudo o que o rádio já fez na evolução da humanidade é ficar espaços e espaços enumerando seus serviços.

Logo os aparelhinhos receptores de rádio irão desaparecer, é fato.
Mas o rádio nunca morrerá.
A comunicação não morre.

Hoje o conteúdo de rádio é sintonizado em várias plataformas, como celulares, tabletes, Iphones, PCs, aparelhos de TV e por aí vai.

Ele sempre será atraente, mágico, direto nas mensagens.

Comecei em rádio e continuo amando o veículo.

Ele foi o responsável pela minha caminhada profissional e isto já há quase 50 anos.

Me apaixonei por ele cedinho na vida e esse amor jamais morrerá.

Só agradecimentos!!!










Nenhum comentário:

Postar um comentário