quarta-feira, 5 de julho de 2017

SARRIÁ 82

35 anos da eliminação do Brasil na Copa da Espanha.

Uma das maiores decepções do torcedor brasileiro na história.
E foi decepção também para os admiradores do futebol-arte em todo o mundo.

Naquele Mundial eu estava na Espanha trabalhando pela rádio Bandeirantes/SP.
E naquele dia em que Brasil e Itália se enfrentaram acompanhei o jogo no saguão do hotel em Madri juntamente com dezenas de jornalistas estrangeiros.

Quando a Itália fez o terceiro gol ( nos 3 a 2 ) e decidiu a classificação, foi marcante a reação dos colegas estrangeiros.   Parecia que todos eram  brasileiros e fanáticos.
Vibrando a cada lance do time brasileiro na partida, os jornalistas gringos não se conformaram com a derrota canarinho.

Encerrada a partida ouviam-se deles as seguintes colocações:  "acabou a Copa"...."o Mundial não terá mais graça"...."Morreu o futebol-arte".......e por aí muito mais.

Para mim foi a maior constatação de que realmente naquela Copa o Brasil encantou todo o planeta amante do futebol.

Particularmente, encerrada a partida peguei o rumo da famosa Gran Via em Madri e andei, andei, andei, por cerca de 2 horas.
Sem destino.
Ainda sob o impacto da tristeza e da frustração.

Voltando ao hotel o saguão ainda fervia e o assunto não podia ser outro.

Nosso colega comunicador da Bandeirantes, o incrível Ney Costa, tão desiludido ficou que partiu para o aeroporto e embarcou no primeiro voo para o Brasil, ainda sem concluir seu trabalho diário de programa na emissora.

Ruiu todo o encanto de uma cobertura de Copa do Mundo ali naquele momento.

Seguimos o nosso trabalho, é claro, mas o clima de velório imperou na sequencia.

Grandes seleções brasileiras encantaram o mundo, como as de 1958, 1962 e 1970, mas aquela de Telê Santana de 1982 nada ficou devendo em termos de espetáculo, técnica, brilho.

Para muitos, faltou TUDO, faltou o título.
Mas até a eliminação deu demonstração clara do quanto esse esporte é lindo e pode ser praticado com classe e primor.






Um comentário:

  1. Eu era pequeno, mas lembro desse dia! Foi bem doloroso! Chorei bastante - até meu avó derramou umas lágrimas!
    Somos pentacampeões e "tricatastróficos" em Copas: 50, 82 e 14! O que já me deixa com medo da próxima Copa...

    ResponderExcluir