segunda-feira, 24 de abril de 2017

QUE MOMENTO TRISTE, BRASIL!

A inversão de valores é tão grande nos dias de hoje que chega a assustar.

Há quem não se espante mais, porém eu ainda fico indignado.

Não sou perfeito - nem pretendo ser - mas há coisas tão óbvias do meu ponto de vista quanto à ética, honestidade e propósitos que precisariam ser minimamente praticadas, respeitadas.

Vivemos dias em que os ladrões continuam a ser endeusados, aclamados, enaltecidos.

Vivemos dias em que comportamentos éticos, decentes, como foi o caso do jogador do São Paulo, Rodrigo Caio, são contestados, repelidos, rotulados das mais absurdas imbecilidades que já ouvimos.

Estamos sendo obrigados a declarar combate a quem levanta bandeiras da baderna, do terrorismo social, da indecência moral, pois isso deveria ser lema de quem é dotado de inteligência e raciocínio.

No caso do País, roubaram tanto, desviaram tanto dinheiro, praticaram tanto o criminoso tráfego de influências, há décadas e décadas, que hoje temos milhões e milhões de chefes de família sem emprego e sem qualquer boa perspectiva.
Quantas empresas quebraram pela roubalheira e pela incompetência administrativa dos governantes brasileiros ao longo do tempo.
E aqui não isento ninguém dessa culpabilidade.
Todos os que sentaram na poltrona presidencial contribuíram negativamente para o caos em que hoje nos encontramos.

Estamos chegando ao cúmulo de generalizar a classe política e empresarial, de tanto que roubaram, quando sabemos que há exceções em tudo na vida.
Mas como pinçar os de boa índole?
Como separar a "coisa" ruim da boa num contexto como o atual?

O cinismo dos políticos e empresários envolvidos nos escândalos é uma afronta a quem vive honestamente, pagando seus tributos e ganhando muito mal ( isto quando não enfrenta o cruel desemprego ).

A batalha de alguns políticos em Brasilia para manter suas regalias jurídicas ante denúncias é imunda.
O desejo deles quebrarem a autoridade e a autonomia do Judiciário é indecente.
A "legalização" do famigerado Caixa-2 para poderem continuar a deitar e rolar nas campanhas é uma imundície.

Nossos políticos pisam em mar de dejetos ( expelidos, produzidos por eles próprios ).

Lama produzida pela indecência de seus próprios comportamentos, seja manipulando, seja se calando, se omitindo.

E o povo também é culpado, em parte, pela irresponsabilidade do seu voto.
Continuamos a reeleger figuras carimbadas da esculhambação e da sujeira dos bastidores.

Chegamos ao cúmulo de querer barrar um trabalho como o da LavaJato, inédito na história do País, alegando que é parcial, político e oportunista.
Enaltecem os ladrões, os corruptos e os manipuladores da política em Brasilia, e condenam quem está querendo LIMPAR o Brasil, sanear efetivamente os sujos bastidores.

Não tenho nem nunca tive admiração ou simpatia por nenhum partido brasileiro.
Sempre tive dois pés atrás quanto aos políticos.
Sou brasileiro e quero o melhor para os meus descendentes.
Às favas as ideologias e os devotos de líderes políticos.

Não idolatro ladrões.    Na verdade tenho pena deles.
Mas tenho mais pena de quem é vítima da ação desses larápios nacionais.















Um comentário:

  1. Falou tudo, mestre!
    A indignação, "pensou eu", ser da grande maioria de pessoas honestas, trabalhadores e com dignidade...o resto, bem, por causa deles é que estamos nessa situação.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir