sábado, 3 de dezembro de 2016

A CHAPE NÃO MORREU.

Ufa, que semana!

A dor continua, o nó na garganta sufoca, os prejuízos sentimentais são enormes e irreparáveis, dá vontade de esquecer o futebol, desprezar todos os compromissos, MAS não é assim e o que a responsabilidade impõe.

O grande exemplo vem de Chapecó, que arrasada no seu íntimo avisa a todos que a Chape não acabou e que irá dar a volta por cima.

Da dor que muitas vezes surgem forças que ignorávamos existir.
A vida e suas atividades não podem morrer diante das dificuldades, de espinhos que rasgam a nossa carne e a nossa alma.
Temos a grande responsabilidade de recuperar o que foi "destruído".

Quantas nações ressuscitaram depois de guerras devastadoras.
Quantas famílias ressurgiram depois de clã dizimada por doenças, catástrofes e consequentes perdas.

A Chapecoense não morreu.
Nem vai morrer.
Foi e será o grande exemplo de dignidade, perseverança, trabalho e fé.

Ninguém pode se entregar diante do que ocorreu.
Não é se entregando que agradecemos ao Universo pela energia vital que nos dá.
Enquanto tivermos força e saúde não temos o direito de cruzar os braços e ficar chorando pelos cantos.

Que ergamos a cabeça, todos nós.

Segue a vida de Chapecó, da Chapecoense e do futebol brasileiro.

Jogar a toalha?
JAMAIS.






2 comentários:

  1. Boa Noite Jota.
    Comentei isso hoje!
    Lógico que muitos membros que faziam a Chapecoense ser o que é, se foram, mas ficaram outros que sabem a filosofia do clube. Responsabilidade fiscal, modelo de administração como um clube empresa, etc.
    A chapecoense sobreviverá, tenho certeza!
    O que é preciso ficar atento, é com as famílias! Num primeiro momento, todos estarão ao lado.
    Quero ver daqui a 6 meses.
    O que espero é que a própria família chapecoense não os abandone.
    Do amigo Marcos Musachi.

    ResponderExcluir
  2. Nossa que texto legal !
    Vc disse exatamente o que penso sobre esse assunto !
    Incrível a sensibilidade e lucidez de suas palavras

    ResponderExcluir