segunda-feira, 7 de novembro de 2016

A IMPLACÁVEL LEI DO RETORNO.

O destempero mundial nas relações está intenso.

Sempre houve desentendimentos, desta ou daquela natureza entre pessoas, povos e nações, e eles são positivos quando respeitosos, pois levam a conclusões boas para o progresso e em todos os níveis.

Quanta coisa melhorou no planeta depois de discussões, controvérsias, divergências e etc.

Não estou falando de guerras e muito menos de vandalismo, violência e matéria desse gênero.
Falo de embates inteligentes, técnicos e é claro cheios de boas intenções.

Transfiro isso tudo para o esporte, mais especificamente para o futebol.

A capacidade que esse esporte tem de mexer com as pessoas é algo notável.
Não sei qual o percentual, mas há os que entendem que é apenas uma modalidade esportiva e portanto sujeita a vitórias e derrotas.  É do jogo.
E há os que encarnam o futebol como a coisa mais importante de suas vidas.
Grande equívoco nesse caso.

Fico perplexo quando presencio atitudes irracionais em relação ao futebol.
Entendo que são vítimas da paixão, porém penso também que não é difícil discernir sobre o que representa uma partida de futebol em nossas vidas.
NADA.
Absolutamente NADA.

Seu time ganhando ou perdendo em nada irá interferir no seu dia a dia, quanto à responsabilidade de família, estudos, trabalho, saúde e tudo mais.

Gostar do jogo da bola é absolutamente legítimo.
Torcer ou ser apenas simpatizante desse ou daquele clube, também legítimo.
Vibrar com as conquistas, ótimo.
Entristecer nas derrotas, normal.

O que não se concebe é passar dos limites do bom comportamento.
Agredir, incitar, premeditar violência, compor grupos para embates físicos, tudo completamente condenável.

Nada é mais importante do que respeitar o semelhante, em seus gostos, preferências, opções.
Assim como gostamos de ser respeitados em nossas escolhas.

Mas sabemos que o mundo está povoado por mentes desequilibradas.
O planeta passa por transição e esses transeuntes do mal aqui estão por razões maiores que a nossa compreensão.
Nada passa despercebido pelos comandantes do Universo Inteligente.
Se temos dificuldades para encontrar aqui uma Justiça Plena a quem exerce atividades maléficas às comunidades, fica a certeza de que impunidade não tem vez no Plano Acima.
Todos somos responsáveis pelas nossas atitudes.

Nada escapa às "câmeras vigilantes" do Cosmo.
Imprimimos em nossas ações e atitudes a BOA ou a MÁ energia e isso fica impregnado no Universo.
E aí entra a implacável Lei do Retorno.
O que se produz, o que se dá, é o que se recebe.

Seja aqui, neste momento, ou DEPOIS.






Um comentário:

  1. Bom do Jota. Chegamos ao ponto onde torcedores ameaçam uma juiza de direito. Pode isso

    ResponderExcluir