segunda-feira, 25 de julho de 2016

ARBITRAGEM BRASILEIRA -- ESCLARECIMENTO

Na transmissão de Vitória x Santos pelo Sportv fiz uma observação sobre o comportamento de treinadores e jogadores brasileiros quanto às arbitragens.

Para quem não entendeu, explico.

Enfoquei principalmente a falta de respeito à autoridade do árbitro no Brasil.
Ele é autoridade máxima num jogo de futebol.
Isso é incontestável.

Seja ele bom ou ruim tecnicamente, pouco interessa, o que vale é a sua importância e autoridade que lhe é delegada.

Os treinadores, por exemplo, agem na área técnica durante as partidas como se fossem um torcedor da arquibancada.
Não são ponderados, comportados, equilibrados.
Contestam todas as marcações do juiz e bandeiras.  Todas.
Perturbam o quarto árbitro durante os 90 minutos.

Não contribuem com o espetáculo entendendo que o árbitro irá errar em algum momento, como jogadores e eles, treinadores, também erram.

Falta compreensão por parte deles.

Como comandantes de grupo deveriam ter uma postura mais equilibrada, sensata.

Quanto aos jogadores, invariavelmente procuram confundir as arbitragens falseando lances e tentando cavar faltas.
Invocam descaradamente a "malandragem" cultural brasileira no futebol.
Não é preciso ser "malandro" para ganhar as competições.

O público merece ser respeitado e se treinadores e jogadores contribuírem, as arbitragens vão melhorar pois terão mais tranquilidade e segurança para atuar.

Quanto aos árbitros, não os defendo e me junto às críticas de suas falhas.
Mas invoco o lado humano deles, o mesmo lado humano dos treinadores e atletas, que erram muito nos 90 minutos de partida.

É evidente que não me refiro a dolo, má-fé, nada disso.
Atos premeditados, criminosos, sempre merecerão punições.

Parto do principio de que eles, os juizes, são bem intencionados, e erram por uma série de razões.
Pressão geral em cima deles, provável falta de competência, malandragem dos jogadores nos lances confundindo as decisões e outras razões.

Some-se também a dificuldade de se arbitrar futebol no Brasil, onde todos querem tumultuar os espetáculos.

E como a maioria gosta de enaltecer o futebol europeu, basta verificar o respeito que treinadores e jogadores têm pelos árbitros por lá.
E é claro que fica mais fácil para os mediadores acertarem e trabalharem com mais tranquilidade.

Espero ter sido claro.





Nenhum comentário:

Postar um comentário