terça-feira, 3 de maio de 2016

VEM AÍ AS OLIMPÍADAS

Há 3 meses dos Jogos Olímpicos e o clima de expectativa bem que podia ser diferente.

O grande evento do esporte vem ao Brasil pela primeira vez e a turbulência nacional inquieta o meio olímpico.

Inquieta a todos nós brasileiros e ao mundo do esporte.

É verdade que nas edições olímpicas anteriores também houve apreensão, seja por questões de segurança ou de tumulto social nas cidades anfitriãs.

O mundo está sob forte tensão e ninguém está isento de preocupações em eventos do esporte.

Na atualidade duvido que algum local escolhido esteja totalmente imune a riscos em quaisquer competições esportivas que se organize.

O Rio de Janeiro conta os dias para a abertura dos Jogos, mesmo que os problemas do cotidiano sejam bem conhecidos, constantes e de difícil solução.

Mas o esporte tem algum poder de anestesiar momentaneamente os problemas sociais e por pelo menos algumas semanas aliviar as tensões.

Se levantarmos Copas e Olimpíadas que já vivemos que se iniciaram sob grande tensão, dificilmente alguma delas será excluída dos medos e temores dos povos.   Mas quando as competições começam parece que uma aura de paz e confraternização se instaura sobre todos.

Afora as discussões normais e necessárias sobre os gastos com a organização de grandes eventos - Copas, Mundiais, Pan-Americanos, Jogos Olímpicos - o esporte tem um papel social extraordinário e precisa ter seu espaço valorizado e bem cuidado.

Por tudo isso é que os meios de comunicação investem fortemente na cobertura, sempre com o apoio comercial/publicitário de grandes empresas, e com respostas magníficas de audiência.

Gostaríamos que o Brasil abrigasse as Olimpíadas com a economia crescendo, baixos índices de desemprego, bons salários, políticos e governantes honestos e competentes, obras construídas sem desvios e propinas, paz social, mas como tudo isso é apenas um sonho, vamos viver os Jogos apenas com os olhos do esporte.














Nenhum comentário:

Postar um comentário