quinta-feira, 14 de abril de 2016

EXCESSO DE GRAÇA

Estive em Santiago(Chile) por 7 dias e acompanhei é claro o que rolava na televisão local.

Me fixei nos programas de esportes por ser a minha área de trabalho.

Parece ser uma onda mundial os programas estarem "muito" descontraídos.

Excessivamente descontraídos.

Apresentadores e debatedores tentando vestir personagens e por aí vai.

Seriedade não quer dizer chatice.
Ainda prefiro os programas mais sensatos, menos circenses.

Poderão dizer que talvez seja por causa da minha idade.  Pode ser.   Mas é do que eu gosto, ou seja, de debates e conteúdos mais discretos, coerentes, mais honestos nos propósitos jornalísticos.

Um dos programas que assisti em Santiago estava insuportável dada à euforia dos participantes e com atropelos nas falas, totalmente incompreensível a quem acompanhava.

Sei também que tal modelo de programação é o que dá mais audiência, sei disso, portanto respeito a quem dá pontos aos canais, porém me permito desfalcar esse ibope.

Programas humorísticos eu aprecio, mas feito por profissionais do humor.

Defendo leveza nos programas, isto sim, mas com limites nas jocosas brincadeiras e nos "desafios" entre os debatedores.

Mas há gostos e gostos.

E todos devemos respeitar a todos eles.


Um comentário:

  1. Cara, penso a mesma coisa. Eu não estou acompnhando mais a maioria dos programas esportivos da TV e do rádio por causa disso. Sou gaúcho de Porto Alegre e sempre escutava à noite o "Show dos Esportes". Ele era muito bom quando era apresentado pelo Pedro Ernesto Denardin, narrador da Rádio Gaúcha, mas depois que o Pedro saiu do comando do ´programa, virou uma galhofa pura. Não consigo mais escutar. Não acompanho mais a maioria dos programas esportivos de rádio e televisão por causa disso. Acompanho as notícias pelos jornais ou pela internet. É uma pena que isso esteja acontecendo.

    ResponderExcluir