quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

JANEIRO DE 99

Todo final de janeiro me faz lembrar o ano de 1999.

Um pouco antes da final da Copinha - Copa SP de juniores - recebi o aviso que meu contrato com a TV Bandeirantes não seria renovado ( ele que vencera exatamente em janeiro de 99 ).

O aviso me foi dado pela nova direção do esporte da emissora, através de Lucianinho Calegare, que chegava comandando o time de Jota Háwilla.

Quase 20 anos de Morumbi e é claro que o baque foi bem forte.

Vários companheiros daquela equipe de Luciano do Valle também deixaram a casa nessa transição de gerenciamento do departamento.
Elia Jr, Simone Mello, Armando Nogueira, Gerson.....e eu.

Com 50 anos de idade, naquela oportunidade, e vivendo aqui no Brasil onde até hoje a "idade" é empecilho para se conseguir um emprego, me vi em maus lençóis.

Pensei em tudo o que poderia advir com a nova situação.
Filhos na faculdade, contas do mês, mercado de trabalho bem restrito, mais os cabelos brancos que muitos diretores não gostam, tudo isso me tiraram noites e noites de sono.

Comecei a fazer contatos com amigos de rádio e televisão.
Fui muito bem acolhido por todos, mas as portas estavam fechadas a contratações.

Em resumo, quando estava mais ou menos conformado com o novo quadro de vida, e sem nada conseguir de concreto, eis que 2 meses depois do desligamento da Band um querido amigo em papo informal tomou uma atitude forte.

Sabendo das dificuldades pegou o telefone e ligou para outro querido amigo de um canal fechado de esportes ( o Sportv ).

Ligação de Mauricio Staut para Luizinho Duarte e acendeu-se uma chama de esperança para continuar a trabalhar.

Mesmo sem verba para contratação em definitivo o canal me ofereceu trabalho como freelancer, o qual aceitei prontamente.
Durante pouco mais de 1 ano narrei jogos recebendo cachês individuais de jornada.
O montante não cobria as despesas mensais, mas eu estava trabalhando, fazendo o que gostava e contente pela oportunidade.

Veio depois uma proposta concreta de trabalho para me efetivar no canal, com carteira assinada e tudo.

E no Sportv estou, portanto, há 17 anos.

Quase o mesmo tempo que fiquei na Bandeirantes atuando na rádio e na tevê.

É um pequeno e intimo relato, apenas.

Todo janeiro eu me lembro do sufoco passado naquele inicio de 1999...e da imediata alegria em poder trabalhar no Sportv, a casa que me acolheu com carinho e ternura.











Nenhum comentário:

Postar um comentário