quarta-feira, 25 de novembro de 2015

""UM TELESPECTADOR MUITO ESPECIAL""

De vez em quando recebo mensagens de pessoas com alguma deficiência visual e que relatam o quanto nós, narradores, as ajudamos nas transmissões.

Alguns optam por ouvir o rádio, mas os que preferem o som da tevê dizem precisar e muito do narrador identificar os atletas para acompanhar a partida.

É através do locutor que eles "localizam" onde está a jogada, a bola, desde que obviamente o narrador faça esse trabalho ilustrativo.
Quando nós, narradores, nos perdemos em informações excessivas ou em comentários aleatórios, os irmãos deficientes perdem totalmente a noção do que está ocorrendo em campo.

Já de algum tempo tenho essa informação e sempre me preocupo com isso.

É interessante contar esse fato porque acho que dificilmente alguém em plenas condições físicas se lembre daqueles que não tem a faculdade da visão.

Óbvio também que não podemos focar exclusivamente o trabalho nos deficientes visuais pois há um público imenso vendo as imagens, mas o bom tempero sempre cai bem nas jornadas.

Por essas e outras que fica um toque àqueles que criticam os narradores que somente pontuam os lances e pouco comentam.  Há razões para tal, além de cada profissional ter o seu estilo, o que tem de ser respeitado, evidentemente.

Meus respeitos aos irmãos com alguma deficiência visual e que nos acompanham nas transmissões da televisão.
De minha parte continuarei a pensar em vocês, sempre, nas minhas atividades de narração.




Nenhum comentário:

Postar um comentário