quinta-feira, 11 de junho de 2015

FUTEBOL OU VÔLEI?

À cada dia somos surpreendidos com fatos curiosos e interessantes, e muitas vezes intrigantes. 

Coloquei no twitter - como normalmente faço -que sábado e domingo irei transmitir os amistosos entre Brasil e Japão, vôlei feminino em Campinas.

Gosto de divulgar os eventos, mais pela importância dos espetáculos do que pela minha presença nas escalas.
Importantes são os jogadores, treinadores, as equipes.   Nós, comunicadores, temos participação quase insignificante nos eventos.

Porém, um seguidor da minha assinatura colocou comentário lamentando que eu estivesse numa jornada de vôlei, dando a entender que a minha escala deveria ser no futebol.

Dando a atenção que todos merecem, respondi a ele que gosto muito de transmitir voleibol.

Aí veio a tréplica do amigo e que me surpreendeu.

Disse que ficou decepcionado com o fato de eu gostar de narrar vôlei e que por isso passava a ser "menos fã" do meu trabalho.

Declarou achar que trabalhar numa transmissão de vôlei, para mim, fosse uma apenas uma "obrigação".

Entendo o cidadão, um amante forte do futebol e que não gosta de vôlei, mas se decepcionar comigo por gostar de narrar essa modalidade confesso que me indignou.

O fato de se declarar "menos fã" do meu trabalho em nada me abala - os anos me ensinaram a entender e a aceitar tudo isso.  Mas o fator motivador é que chamou a minha atenção.

Primeiro, sou um profissional da área e dou atenção e dedicação a qualquer transmissão, seja de que modalidade for.

Segundo, o fato de eu gostar de voleibol em nada me deprecia como profissional, e muito menos pessoalmente por me identificar com esse ou aquele esporte.

O que muitos não entendem é que nós, narradores, não somos EXCLUSIVOS do futebol.
Estamos no meio para comunicar em qualquer modalidade que se nos apresente nas escalas.

Mas, enfim, tudo é válido.

Cada um tem seu jeito de viver e de ver as coisas.

Mas confesso as vezes me espantar com alguns fatos, e que me parecem inacreditáveis.

Em tempo:  
Trabalhar em jogos de vôlei é muito prazeroso e SEGURO.  Bem diferente das jornadas nos estádios de futebol, onde o risco de se transformar em vítima da violência e da intemperança é MUITO GRANDE.
Hoje vamos aos ginásios do vôlei com alegria, descontração, com a certeza de um espetáculo bonito e com muita educação e respeito nas arquibancadas.
E isso é fato.














6 comentários:

  1. Infelizmente Jota Junior meu amigo, não dá pra agradar à todos. Lamento a desconsideração que ele teve. Você Jota Junior é um dos mais completos narradores da televisão brasileira, independente da modalidade.

    ResponderExcluir
  2. Amigo Edemar, elogio vindo de você é pra colocar no quadro.
    Saudades dos nossos papos.
    Forte abraço!
    Saúde e Paz!

    jota júnior.

    ResponderExcluir
  3. Jota, você já cobriu além do vôlei, basquete, a Indy (pré-cisão e IRL). Por acaso chegou a cobrir Fórmula 1 por rádio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raider, transmiti sim F1 pelo rádio. Anos 80, 81 e 82 pela Bandeirantes/SP. Revezava com Oscar Ulisses nas transmissões, ao lado de Edgar Mello Filho nos comentários. abraço.

      jota

      Excluir
  4. Eu gosto muito de futebol, mas amo ainda mais o vôlei e gosto do seu jeito de narrar, dá emoção as partidas. Parabéns e não se importe com comentários escrotos.

    ResponderExcluir
  5. Nossa que bobagem ! Realmente algumas pessoas parecem tirar alguns argumentos não sei de onde e isso demostra uma pobreza enorme de ideias . Nosso volei é vitima de muito preconceito , até mesmo para os praticantes ( digo isso porque gosto de jogar volei na praia ) . Mesmo com todo o sucesso do esporte no país , algumas pessoas ainda tecem comentários do tipo " futebol é esporte para homens e volêi coisa de mulher ou gay ". Algo inacreditável de imaginar que existem pessoas que pensem assim . Nosso vôlei ja deu muito orgulho para nosso país , e se formos contar somente os últimos anos , ele da um banho de conquistas sobre o futebol . Fomos campeões olimpicos , mundias , liga mundial , grand prix , inumeras conquistas com o volei de praia. Tanto no feminino quanto masculino , a geração de Bernardinho e de Jose Roberto Guimaraes encheu o pais com conquistas ....e para muitos somos considerados atualmente o pais do volei , superando adversarios como EUA , Russia e Italia . Seria de uma infelicidade muito grande ignorar e menosprezar esses fatos . Realmente alguns brasileiros parecem não ser racionais em sua ideias..... e ainda preferem supervalorizar o futebol da CBF , completamente comercial e sem nenhuma emoção . No volei nao temos jogadores ganhando 500 mil por mes , e talvez isso faça com que o jogador tenha mais vontade de vestir a camisa da seleção . O volei nos deu idolos , como recentemente : Giba , Dante , Emmanuel , Sheilla , Fofao , Murilo , etc , etc .....mas que infelizmente não recebem a atenção devida da papulação , que prefere supervalorizar qq outro jogador que joga em um time europeu , que nunca ganhou nada na seleção . Digo isso , mas deixo claro que também gosto muito do futebol . Mas também gosto do volei e não vejo problema algum em gostar dos 2 . E em relação à você Jota , digo que comigo ocorreu exatamente o contrário . Foi assistindo suas narrações no volei , que passei a prestar mais atenção no seu trabalho . Depois passei a te acompanhar nos jogos de futebol e me tornei um fã de suas narrações . Um estilo bem diferente da maioria dos narradores do Brasil , um estilo clássico que me agradou muito . Fico satisfeito quando vc narra os jogos do meu time . Parabéns pelo seu trabalho

    ResponderExcluir