quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

DISCUSSÕES, DIVERGÊNCIAS, LIMITES.....

Algumas pessoas me cobram sobre discutir as coisas do futebol aqui no blog, como a situação dos clubes, lances duvidosos, arbitragens e tudo mais.

Já de algum tempo deixei de fazer isso.

Aprendi que discussões sobre futebol normalmente são tendenciosas e infrutíferas.
Sempre há uma pendência para a paixão, daí surgindo a falta de frieza e isenção na análise.
É mais ou menos como discutir bandeiras religiosas.

Já faz algum tempo também que não assisto a programas de debates.
Respeito quem os faz e a quem gosta, mas não me atraem.
Profissionalmente participei inúmeras vezes deles, mas hoje em dia fujo descaradamente dessas escalas.

Ainda bem que minhas chefias sabem disso e me poupam desse trabalho.

Talvez você já esteja me rotulando de cansado, velho ou coisa parecida.
Pode ser, sim.
Não descarto essa realidade.
E se for, não me envergonho disso e nem me preocupo com a cronologia.

Acho que o tempo vai nos deixando mais exigentes, mais rigorosos nas escolhas, com os olhos e sentidos mais voltados para outras coisas da vida.
E disso eu gosto.

Hoje me preocupo muito mais com a situação política do Brasil e do Mundo, do que com o esporte em si.  Preocupo-me com a saúde pública.   Com a Educação.
E agora, com a falta de água.

Tenho herdeiros e quero um planeta melhor e saudável para eles todos.

O futebol é apaixonante, emocionante, envolvente, mas não é mais prioridade em minha vida, como já o fora.
Devo muito a esse esporte e a todo o esporte, pois construí minha vida pessoal e profissional trabalhando com eles.
Sou eternamente grato a tudo o que me aconteceu na carreira, desde os 20 anos de idade.

Mas como me sinto na obrigação de justificar algumas coisas para as pessoas que me seguem, dou esta explicação pela falta de comentários mais diretos e profundos sobre o futebol aqui neste espaço.

Posso até pedir desculpas, se isto for necessário, mas me reservo o direito de priorizar outros facetas da vida.

Às vezes sou "repreendido" por familiares por deixar de assistir aos grandes eventos do futebol, indo cedo para a cama ou preferindo outro entretenimento, mas é como me sinto nos dias de hoje.

Me mantenho informado, obviamente, pois ainda estou exercendo a profissão e gosto muito dela.

Vou para as transmissões devidamente "armado" de informações pois tenho a obrigação de fazer um trabalho razoável e me dedico 100% quando estou no ar.
Jamais negligenciaria nas minhas funções principais de trabalho.

Mas a coleção de decepções ao longo das jornadas é grande, assim como acontece em outras profissões, com toda a certeza.

Ir a um estádio atualmente é correr um grande risco.
Isto englobando a todos que trabalham num evento futebolístico.
E este é na minha opinião o principal fator pela queda de público nos estádios.

Ousar abrir um assunto nas redes sociais, então, é deflagrar uma guerra imensa e sem barreiras quanto à educação e respeito.

Por isso já deixei o Facebook e também deixarei o Twitter.

Ainda não aprendemos a respeitar a opinião do outro.
Podemos discordar, discutir, mas sempre com respeito e educação.
E isto raramente ocorre nas chamadas redes.
E também em alguns blogs.

Alias, as redes sociais vieram para escancarar o quanto somos desrespeitosos, mal-educados e agressivos.  O quanto somos intolerantes e "donos da verdade".

Como estou numa fase de vida onde felizmente "enxergo" e posso "escolher",  selecionar assuntos, me privo de muitos dissabores e que em nada me acrescentariam interiormente.

Portanto, àqueles que me cobram discussões acaloradas sobre futebol aqui neste espaço, peço sonoras desculpas e sinto não corresponder à expectativa.

É um desabafo e uma explicação aos queridos seguidores.
Poucos, mas de muita qualidade, isto eu afirmo.















14 comentários:

  1. Você sempre é preciso nas suas observações. Compreensível a sua decisão de não se envolver em assuntos que não rendem mais que chateações e dores de cabeça. Mas não deixe de escrever. Há outros assuntos que podem ser abordados, sempre com o teu bom senso e generosidade. É importante mantermos o maior número possível de vozes lúcidas! Um abraço fraterno. Cleiton César.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Cleiton.
      Vamos em frente.
      abraço do jota.

      Excluir
  2. Não por acaso e menos ainda configura injustiça o que disse o dono do Facebook a respeito da má educação dos brasileiros. Ele criará um manual de comportamento na rede, para não ter que fechar a rede no Brasil.

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Grato, Jota.
      Saúde, paz e bem.
      A indicação do texto foi desse bom menino, Antero Neto. (rs)
      Forte abraço!

      Excluir
    2. Menino Antero é BOM!!!! rs
      abraço.

      Excluir
  4. Jota que bela reflexão...Obrigado pelo texto..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Abraço, Elias. Continuo te ouvindo no rádio. Saúde!!!

      Excluir
  5. Se por um lado lamento teres que deixar as redes sociais por tudo isso que colocastes, Jotinha, por outro lado não posso condená-lo em nenhum ponto exposto e em nada reprová-lo até porque às vezes eu mesmo acabo "engolindo sapos" por dizer isso ou aquilo não para prejudicar esse ou tripudiar com aquele, mas apenas emitindo uma consideração opinativa para reflexão. A minha sorte é que a maioria dos que me acompanham são do bem e entendem o que digo ou, se não concordam, procuram conversar numa boa, sendo poucos os que saem da linha. Mas que meio que tenho entregue uns que alguns pontos aqui e ali, digo que tenho.

    ResponderExcluir
  6. Tenho 20 anos e estou cursando jornalismo. Escolhi essa profissão exatamente por causa do futebol e hoje, antes mesmo de me formar, já me encontro na mesma situação que você. Minha visão sobre o jornalismo esportivo mudou muito e decidi que seria melhor me dedicar a causas que, ao meu ver, são mais importantes. Sendo assim, posso assegurar-lhe de que não é só uma questão de idade.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro, parabéns pelo enfoque quanto a direcionar o jornalismo dentro do futebol.
      Você está no caminho certo, assim penso.
      Sucesso pra você!
      abraço.
      jota

      Excluir
  7. GRANDE JOTA. Parabéns pelo texto. Pela sensibilidade e análise tranquila do uso das Redes sociais. O futebol despertou muita gente para a nossa profissão. Mas basta viver um pouco nos bastidores para ficar desiludido. Com as mentiras e tantos ídolos de barro. Admiro muito seu trabalho e comportamento ético. Não é por acaso que você é tão querido. Sou seu fã deste os tempos da Rádio Gazeta.
    Eduardo silva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eduardo, obrigado pela mensagem.
      Concordo com suas colocações, totalmente.
      abraço.
      Fique bem!!
      jota

      Excluir