segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

VEM AÍ OS ESTADUAIS

Vêm aí os estaduais.

Várias pessoas torcem o nariz para essa competição, entendendo que é perda de tempo, que atrapalha os "grandes", que não leva a nada, e blá blá blá........

Toda opinião deve ser respeitada.

De minha parte, entendo que o Paulistão, por exemplo, que conheço há muito tempo, tem valor próprio, além da rica história.

Movimenta os clubes do interior, dá emprego a muitos profissionais, revela jogadores, desperta o interesse comercial de patrocinadores e consequentemente propicia a presença da televisão, mesmo estando no contexto do calendário nacional relegado a planos mais baixos.

Se formos comparar o Paulistão com Libertadores e Copa do Brasil, por exemplo, é evidente que o estadual fica em nível inferior.   Isso é muito claro e fácil de entender.

Mas se perguntarmos aos dirigentes dos "grandes" se eles abririam mão da grana do Paulistão, a resposta seria unânime: NÃO.
Principalmente pela falência em que a maioria está mergulhada.

Já houve casos de grandes agremiações depreciarem o Paulistão, mas correrem com o chapéu na mão pedindo a antecipação da grana da televisão.     Muitos casos.

Muitos deles faturam mais com o dinheiro da televisão no Paulista do que na própria Libertadores da América.   Comparativos feitos já demonstraram esse fato.

Também pelo que se paga aos clubes é que a Federação inseriu no regulamento o número mínimo de 28 jogadores na inscrição geral, forçando as agremiações a não boicotar jogos escalando formações reservas.

Houve reclamação da televisão e dos patrocinadores quanto aos times grandes escalarem reservas em várias rodadas do Paulistão, depreciando os espetáculos.

E já ficou provado que a existência dos estaduais é importante, pois cerca de 10 ou 12 anos atrás quiseram reviver o Rio-São Paulo em substituição, e não deu certo.  Foi um fracasso.
Rapidamente os principais estaduais voltaram a ser realizados.

Todos devem ser respeitados em posições e opiniões, inclusive os elitistas da bola, mas como caipira que sou bato no peito e defendo o Paulistão.
Principalmente enquanto os números comerciais estiverem favoráveis à realização da competição.
Há interesse dos grandes patrocinadores, há o interesse das televisões, e os campeonatos sobrevivem saudavelmente.

Pode ser discutida a fórmula, o número de participantes e outros detalhes, mas não dá para tirar o valor e os méritos da competição.

Aliás, cada torneio tem o seu valor. 
Cada qual no seu contexto.
Particularmente valorizo a todos eles.
Estaduais, Copa do Brasil, Brasileirão, Libertadores, preenchem o calendário nacional e o interesse do torcedor.













Um comentário:

  1. Jota achei seu comentário sobre os estaduais perfeitos. Mas discordo, quando você diz que o Rio- Sp foi um fracasso. Alias o Rio- Sp teve uma média de público fantástica, quando foi reativado de 97 a 2002. Abraços! Rodrigo- Rio de Janeiro

    ResponderExcluir