sábado, 12 de julho de 2014

DOUTOR OSMAR

Conheci o dr. Osmar de Oliveira pelos idos de 1976 na Gazeta.

O mestre Roberto Petri me apresentou e falou das virtudes do médico que houvera concluído a faculdade de jornalismo e estava se integrando à equipe.

Fiz inúmeras transmissões ao lado dele.  Eu, narrando.  Ele comentando.

Depois viemos a nos reencontrar na Bandeirantes no time de Luciano do Valle.
Nós três participamos da transmissão de abertura dos Jogos Olímpicos de 84 em Los Angeles.

Convivemos depois em muitas viagens pelo Mundo.  E ele já estava defendendo outros prefixos.

Osmar era aquele cidadão que todos gostavam no meio.
Tinha personalidade, era respeitado e atendia a todos os colegas(e familiares) na sua clínica, em seu consultório.
E que ninguém se atrevesse a pagar um centavo pelos seus honorários.

Era eclético.  Transmitia qualquer modalidade com naturalidade, conhecimento, firmeza.

Brilhou profissionalmente por onde passou.

Era humano, atencioso, e só perdia um pouco da sua calma habitual quando o assunto era Corinthians, uma de suas paixões.

Meu último papo com ele foi após uma jornada, na saída do estádio.
Me falou da sua desacelerada nas atividades, dos filhos, esposa e netos.
Teceu elogios ao meu trabalho, o que me deixou muito orgulhoso.

Me lembro também de uma viagem que fizemos ao Nordeste e lá chegando recebeu a informação da morte de um de seus irmãos, tendo que retornar imediatamente sem narrar o jogo que estava escalado.

Projetou vários jornalistas no meio de trabalho.

Mais um cara do bem que deixa o nosso convívio.
Mais um querido amigo.
Deixou lições e exemplos valiosos para quem o rodeou.

Abraço de Luz a ele!!!





Nenhum comentário:

Postar um comentário