terça-feira, 3 de junho de 2014

A COPA ESTÁ AÍ

Contagem regressiva para o inicio da Copa.

As seleções estão chegando, se acomodando, logo os turistas chegarão, o povo que gosta de futebol preenchendo os seus álbuns de figurinhas, a Seleção Brasileira treinando, os últimos retoques sendo dados nos estádios e nas obras próximas....

Em suma, a Copa já está aí.

Mais um Mundial, o principal evento futebolístico do planeta.

Por mais resistência que haja com a Copa, aqui no Brasil, e não foi diferente em outros países que a sediaram, a movimentação é forte e o coração dos torcedores bate firme e já descompassado.

Serão bilhões de telespectadores acompanhando os jogos.
Os países que ficaram de fora lamentam o fracasso, afinal queriam estar nessa festa.
Os que estão dentro aceleram suas emoções com a responsabilidade de fazer um bom papel.

São 64 anos da última vez que sediamos uma Copa, embora, é claro, naquele tempo a estrutura fosse outra e a simplicidade dominava a organização.
Em 1950 a FIFA ainda era praticamente amadora como entidade e só se preocupava com bola rolando.
O planeta vinha de uma Guerra Mundial e ainda sob tensão social.

O Brasil ainda não havia sido campeão e jogando em casa entendia que tinha a obrigação de ganhar o caneco.
Todos "exigiam" o título.
Povo, imprensa, políticos - principalmente a classe política.
Um discurso antes da final pelo prefeito do Rio de Janeiro, no Maracanã, apontava para a "obrigação" dos jogadores serem campeões.  O absurdo dos absurdos.

Hoje mudou um pouco.
Percebe-se que muita gente já entende que ser campeão ou não, é contingência do esporte, mesmo jogando em casa.
Quantas seleções atuaram em seu país, sediando o Mundial, e não foram campeãs.
Resultados de competição são técnicos e tem de ser aceitos por todos.

O que preocupa é o saldo de vítimas que poderemos ter como resultado das manifestações e greves que assolarão o País.
Assim como o volume de protestos irá aumentar durante os jogos, aumentará também a ação policial e da Força Nacional.
É claro que torcemos para que todos tenham ponderação nas atitudes, mas pelo que se tem visto haverá confrontos e consequentemente, vítimas.

Uma pena, pois poderíamos ter a Copa em paz e também as manifestações, pois estamos em um regime de democracia e portanto de liberdade de expressão.
Mas as perspectivas, do meu ponto de vista, são as mais negativas possíveis.

Os manifestos se voltaram para atos anárquicos, contrariando os líderes que queriam atos pacíficos e tranquilos.  E com isso, espera-se tumulto durante a Copa.

Mas de qualquer maneira, a bola vai rolar.
Quem é do futebol sempre aguarda com muita ansiedade uma Copa do Mundo.
E ela já está batendo à nossa porta.










Nenhum comentário:

Postar um comentário