quarta-feira, 28 de maio de 2014

COPA, GREVES E PROTESTOS.

A Copa está chegando, a bola vai rolar, mas infelizmente a expectativa sobre o que poderá ocorrer de manifestações e greves é a pior possível.

Não se trata de pessimismo nosso ou de terrorismo antecipado, mas é a tendência diante do que já vem acontecendo no País.

O evento é uma grande vitrine para que sindicatos e associações aproveitem e mostrem a cara e suas reivindicações.
Já expusemos aqui nossa opinião sobre o Brasil aceitar fazer a Copa em 2006/2007 através do então presidente Lula.
Não era o momento.

Lula empolgado pela alta popularidade resolveu assumir a cartada e bateu no peito para gritar em alto e bom som:  A COPA DE 2014 VAI SER NO BRASIL !

E aí todos nós fomos coniventes com a "loucura" de Lula, pois não houve naquela oportunidade movimento forte para que ele desistisse da empreitada.
A maioria aplaudiu e incentivou sediar o Mundial.

Quando "caiu a ficha" e vimos que sediar a Copa era uma grande "furada" já era tarde.

E agora é tarde.

A Copa vai acontecer, é claro, mesmo com todos os incidentes que deverão pintar em dias de jogos, com as greves, protestos e manifestações.
Corre-se até o risco de os jogos começarem sem a presença de torcedores nos estádios, se a acessibilidade for comprometida pelas greves.

Por outro lado, pelo lado social e politico, triste é constatar que se não houvesse a Copa aqui no País, será que estaríamos tão mobilizados em reivindicações justas por parte dos diversos segmentos trabalhistas nacionais??

Será que as classes sociais estariam se mobilizando diante das injustiças salariais??

Precisamos refletir sobre tudo isso.

E o pior de tudo é saber que se não estivéssemos realizando a Copa, a crise nas áreas de saúde, educação e cultura continuaria, e não teria solução.
Toda a verba gasta na construção dos estádios jamais seria destinada para o bem social, pois é o nosso histórico político, infelizmente.

E se a Copa tem um viés positivo com a sua realização em nosso País é o de acordar o povo para todos os problemas que temos vivenciado.

Mas corremos o risco de a Copa acabar no dia 13 de julho e tudo voltar à calmaria de antes.

O jeito é aguardar o desfecho de tudo.








Um comentário:

  1. Jota

    De nada adianta fazer protestos, quebrar agencias bancarias, por fogo em ônibus e passado a Copa quando chegar a eleição votar nos Tiriricas da vida. Estamos em uma nação democrática e cujas eleições possuem resultados livres de quaisquer suspeita de manipulações na contagem dos votos, ou seja, não mudaremos o Brasil na Copa e sim podemos pelo menos melhora-lo nas eleições.
    Abraços

    ResponderExcluir