quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

LOUREIRO NETO

Por mais que eu compreenda e aceite a MORTE, entendendo que é apenas uma mudança de dimensão, cada vez que um amigo ou colega deixa o corpo físico a tristeza bate.

O falecimento é somente físico, morre a matéria.
Mudamos de dimensão, passamos a viver com a principal essência que é a cósmica ou espiritual, como queiramos denominar.

O fato é que mais um amigo/colega jornalista deixa o nosso convívio.
LOUREIRO NETO.

Loureiro começou no rádio quando eu me iniciei trabalhando na Capital paulista defendendo o prefixo da Gazeta(rádio e tevê).
1976.

Quase todos os domingos eu ia ao Rio de Janeiro para transmitir o "segundo tempo" dos clássicos cariocas.  A rodada em São Paulo começava às 16 horas e os clássicos cariocas às 5 da tarde.
Todo a segunda etapa dos grandes pegas do Rio eu fazia pela Gazeta, tendo ao meu lado o querido e saudoso Luiz Carlos Grey, figura das mais simpáticas e humanas que conheci.

E nessas idas ao Rio me encontrava com os colegas das rádios Tupi, Globo, Continental, Tamoio e as demais que faziam futebol naquela época.

Depois vieram as viagens em campeonatos brasileiros, Libertadores e outros eventos, sempre convivendo com as feras do rádio carioca.

E Loureiro Neto era sempre uma companhia agradável, de bons papos.

Tínhamos um respeito mútuo muito grande.

A diferença de idade entre nós era de 4 anos apenas.  Loureiro morreu com 61 e eu tenho 65.
Falávamos de futebol e da vida.
Trocávamos figurinhas sobre vários assuntos.

Enfim, ele nos deixa e parte para outras boas jornadas.
Na verdade, apenas se adianta na "viagem" que um dia todos faremos.
Poderia ter ficado um pouco mais, achamos nós, mas tudo é ditado pelo Plano Acima, onde as verdades e justificativas estão escritas e precisam ser cumpridas.

Grande abraço, Loureiro!!!

Obrigado, amigo!

Um comentário:

  1. Jota, seu trabalho é essencial para manter essas personalidades vivas em nossas memórias. Meus parabéns pelo post (emocionante) e pelo blog (já estou ficando repetitivo... rs). Abraços. Rodrigo

    ResponderExcluir