domingo, 25 de agosto de 2013

OS CAMPEÕES ESTÃO PARTINDO

Em um curto espaço de tempo o futebol brasileiro perdeu três campeões mundiais.

Integrantes de uma geração fantástica e que colocaram o Brasil no cenário mundial da bola com destaque.

Djalma Santos, De Sordi e Gilmar deixam o Plano Físico com histórias bonitas de conduta pessoal e profissional.

A geração das conquistas sensacionais dos Mundiais de 58 e 62 está partindo para outras esferas, obedecendo à ordem natural da matéria, que é finita pela sua essência.

Das duas memoráveis Copas ( 58 e 62 ) muitos já se foram.
É a implacável passagem do tempo.

Sobre De Sordi e Gilmar tenho duas recordações pessoais.

O ex-lateral, já aposentado, foi fazer um jogo amistoso na minha cidade, Americana, com um grupo de veteranos do XV de Piracicaba enfrentando o Flamengo local.
Eu, ainda garoto, fui assistir, ver de perto o campeão mundial De Sordi.
Ele não era muito alto mas tinha uma belíssima impulsão para cabecear.
E numa subida de cabeça na área do Flamengo, De Sordi teve um choque com o zagueiro Tiãozão e os dois caíram desfalecidos.
Felizmente nada de grave se desenvolveu e eles se recuperaram plenamente.
Mas aquele acontecimento me marcou.

Gilmar foi durante um período supervisor da Seleção Brasileira.
O Brasil foi jogar no Chile e no estádio onde a seleção havia sido campeã em 1962.
Um dia antes da partida amistosa o time treinou no Estádio Nacional em Santiago e atrás de um dos gols acompanhávamos o ensaio.
Nós, da imprensa, e Gilmar dos Santos Neves.
Foi emocionante estar ali ao lado do grande goleiro e relembrando aquela final com a Tchecoslováquia e como os lances se desenrolaram na grande final.
Muito comunicativo e sempre solícito, Gilmar ficou bem à vontade para contar detalhes a nós, jornalistas presentes.
* fui narrar Brasil x Chile naquela oportunidade pela rádio Bandeirantes.

Todos temos ídolos no esporte e os que compuseram as seleções de 58 e 62, especificamente, constam da minha galeria, em especial.

De Sordi e Gilmar escreveram história importante e vitoriosa no futebol.

Merecem ser homenageados eternamente.










Um comentário:

  1. autores de grandes legados deixados por aqui. legados inesquecíveis, eternos; como o universo e nossa própria existência.

    Rodrigo Francis

    ResponderExcluir