terça-feira, 9 de abril de 2013

GOSTO DO FUTEBOL BRASILEIRO

Percebo um certo espanto de algumas pessoas quando ficam sabendo que não vejo na íntegra qualquer jogo realizado na Europa.

Dou uma espiada, paro por alguns minutos na frente da televisão - e especialmente por questões profissionais - mas não consigo ficar 90 minutos preso aos jogos lá de fora.

É claro que respeito aqueles que gostam e que até torcem por equipes estrangeiras, inclusive comprando camisas a preços altíssimos, mas particularmente é o tipo de evento que não me comove.

Nesse aspecto sou 100% caseiro, doméstico.
Gosto dos estaduais, dos confrontos brasileiros, do Brasileirão, Copa do Brasil e é claro da Libertadores, mas somente quando há times daqui em campo.
Não paro para ver, por exemplo, Velez x Independiente, ou coisa parecida.

Me desculpem por agir assim, mas precisava fazer essa colocação, pois vira e mexe tem gente querendo saber a minha opinião sobre determinados campeonatos e times, e não me vejo apto a dar palpites, exatamente por não acompanhar detidamente esses eventos.

Quanto a "torcer" por um segundo time ( europeu, no caso ) isto é algo impossível de acontecer comigo.
Nem aqui no Brasil, quando eu torcia arduamente por uma equipe, eu consegui ter simpatia por um "segundo time".

Mantenho-me razoavelmente bem informado sobre o que acontece lá fora, afinal vivemos uma globalização em todos os aspectos, porém não contem comigo para formar na corrente de fãs dos clubes ou seleções da Europa.

Faço esse depoimento sem qualquer arrogância ou discriminação social, política ou geográfica, nada disso.
É apenas uma posição definida em resultado do que sinto, do meu estado de espírito.

Me lembro que transmitia o campeonato italiano na Band na década de 80, empregava todo o meu empenho no trabalho, obviamente, mas o evento em si não me tocava intimamente.  Vibrava muito mais fazendo as transmissões, na época, dos estaduais, campeonatos de aspirantes, do Brasileiro e também da Copa do Brasil.

Aliás, sobre a Copa do Brasil, hoje um sucesso, lembro que somente a Bandeirantes ( através de Luciano do Valle e Quico Leal ) se interessou pela competição à partir de 1989, quando a CBF a lançou.

Fizemos vários jogos com arquibancadas vazias, pois era um torneio que apenas começava e o público ainda não tinha qualquer interesse.

E para fechar o post, vou respeitar a quem me rotular de ter "mau gosto" em não apreciar os badalados campeonatos europeus.
Aceito as possíveis críticas, mas não posso violentar as minhas preferências pessoais.
Não tenho mais idade para mentir e mascarar posições intimas somente para ser simpático ou formar em correntes condicionadas a modismos.
















3 comentários:

  1. Jota

    Vc não está sozinho em sua preferência e em sua linha de pensamento.

    Assino em baixo do que escreveu sem medo de estar equivocado.

    Meu filho, flamenguista, também não acompanha esses jogos que viraram atração em redes de TV que não conseguem adquirir os direitos para focalizar o futebol brasileiro e querem manter a imagem esportiva.

    Como nós, conheço - voce também deve conhecer - centenas de pessoas que não se prestam a ficar o tempo todo a frente da TV assistindo a jogos alienígenas cujos jogadores desconhecem.

    Sou menos radical do que você pois às vezes assisto a um ou outro jogo quase na íntegra em uma decisão ou algum evento sul-americano que envolva adversários do Palmeiras.

    Não creio que o futebol brasileiro, embora decadente a partir de Telê Santana (um dia falaremos sobre isso)seja tão inferior ao Europeu.

    Não creio que o decantado Barcelona ganharia de quatro do Corinthians como ganhou do jovem e inexperiente time do Santos.

    Da mesma forma, também tenho as minhas dúvidas se é um time melhor do que o Atlético Mineiro. Creio que não!

    Anote aí em sua agenda, Jotão.

    Não existe hoje no atual futebol brasileiro nenhum atacante tão eficiente quanto Bernard.

    Não falo do poder de drible habilidade e improviso, embora ele também tenha tudo isso em quantidade apreciável.

    Do ponto de vista coletivo e prático, Bernar está ao nível de Neymar ou de qualquer outro.

    Repito: não estou falando de habilidades individuais, falo de objetividade e de rendimento coletivo.

    Abs e continue nos brindando não apenas com os seus excelentes textos esportivos. Sempre que puder vou postar.

    Como disse certa vez, apesar das turbulâncias, vc não pode parar pois seus textos esportivos ou hermeticos são preciosos(AD)



    ResponderExcluir
  2. Concordo com você, Jota. Aliás, quando um amigo meu mostra ser fanático pelo futebol ou um time europeu chega a me incomodar um pouco (claro, respeitando a vontade dele).

    Às vezes acompanho alguns jogos, mas só por uma questão de curiosidade. E acredito que muitas pessoas compartilham a sua opinião também.

    A propósito, apesar do blog já existir desde 2008, acesso pela primeira vez e estou gostando muito dos textos.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Obrigado, Alcides e Leonardo.
    Continuem por aqui, por favor.
    abraço do jota.

    ResponderExcluir