segunda-feira, 18 de março de 2013

GAZETA AM -- 70 ANOS

Neste mês de março a Gazeta/AM de São Paulo comemora 70 anos.

O jornalista Cásper Líbero foi quem criou a Gazeta, uma casa em que tive o imenso prazer de trabalhar por quase 4 anos.

Incentivado pelo meu querido e saudoso irmão Pedro Luís, um dos maiores incentivadores da minha carreira, além de severo crítico do meu trabalho, participei de um concurso para locutores em 1976.
Roberto Petri foi quem me recebeu na Gazeta e com quem fui ao Morumbi para fazer os testes, com mais alguns concorrentes.

Aprovado pelo Petri mas reprovado por Milton Peruzzi ( chefe da equipe na época ) voltei para a Brasil de Campinas e continuei minha jornada.
Duas semanas depois recebi um telefonema de Galvão Bueno, que havia sido aprovado num dos concursos da Gazeta e já estava atuando, me INTIMANDO a fazer um posto de informação em Campinas num jogo do Guarani.
Galvão me disse que juntamente com o Petri estavam cacifando a minha escala, mesmo a contragosto do chefe Peruzzi.  E que eles apostavam no meu trabalho.
Argumentei que era algo arriscado, pois ficara sabendo que Peruzzi nem sabia dessa minha escala no jogo de Campinas, onde naquele domingo a Gazeta iria ter seis postos de informação nos estádios.
Galvão reiterou que eu ESTAVA ESCALADO e que nem poderia pensar em dizer não.

Pedi licença à Brasil de Campinas e fui fazer o posto no Brinco onde jogariam Guarani e São Bento.

Em resumo, Peruzzi estava no comando da jornada no Pacaembu e para me testar cedeu uns 3 minutos de narração do jogo de Campinas.  Respirei fundo e dei o máximo no tempo que tinha para demonstrar alguma competência e ser contratado.

Terminada a jornada recebi a informação de que deveria ir ao prédio da Fundação Cásper Líbero na segunda-feira e acertar os detalhes da contratação.
Fui, defini tudo com Peruzzi e na mesma noite participei da Mesa Redonda da TV Gazeta onde fui apresentado como novo integrante da equipe.

Conto esse meu ingresso na casa de Cásper Líbero para ilustrar a homenagem que presto aqui neste espaço à querida Gazeta/AM pelos 70 anos de existência.  Lá fiz amigos, amadureci profissionalmente e foi a porta de entrada para a capital.

Foi na Gazeta que tive também as primeiras experiências em televisão, participando da Mesa Redonda e fazendo alguns teipes de jogos do campeonato paulista, além de transmissões da corrida de São Silvestre.
Na tevê Gazeta substitui esporadicamente o grande amigo Peirão de Castro nas jornadas de domingo à noite da Luta Livre.
A casa de Cásper Líbero foi uma escola para mim e para muitos outros colegas jornalistas.

Parabéns a todos os que fizeram parte das emissoras Gazeta nesses 70 anos de vida.

Parabéns querida Gazeta!!!!
* em tempo, recebi um gostoso convite para a festa de aniversário da emissora, mas infelizmente não pude comparecer.  Mas gostaria muito de estar visitando novamente aquele espaço que marcou a minha vida.















Nenhum comentário:

Postar um comentário