terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

AS SAPATADAS DE TOSTÃO

Tostão, o grande campeão mundial da Seleção de 1970, depois que teve de parar com o futebol optou por sumir da mídia.
Dedicou-se integralmente aos estudos na faculdade de Medicina onde acabou se formando.
Transformou-se em professor universitário e passou a evitar entrevistas que fossem voltadas para o futebol.

No início da década 90 foi convencido por Luciano do Valle a voltar a "falar de futebol" e o convidou a integrar a equipe da tevê Bandeirantes como comentarista.

Bastaram as primeiras participações nos programas da Band e nas transmissões para que todos matassem a saudade do grande campeão e enaltecessem seus bons critérios de análise e observações.

Tostão teve um destaque tão grande na tela da Band que logo depois foi convidado pela Rede Globo.
Luciano do Valle, Kiko Leal e a Band fizeram o possível para não liberá-lo, e acabaram conseguindo mantê-lo no time.
Ele seguiu na equipe do Show do Esporte por algum tempo ainda, inclusive fazendo a Copa de 94 e as Olímpiadas de 1996 em Atlanta.

Mas fiz essa abertura para contar uma pequena curiosidade que houve nesse espaço de tempo em que Tostão esteve com a gente na Band.
Algo engraçado e que aconteceu no interior da Argentina.

Viajei várias vezes com ele para jornadas pelo Brasil e também estivemos juntos no Pré-Olimpico de 1996 em Tandil.

Em Tandil, pequena cidade, com logística limitada, fomos inicialmente para um hotel onde não cabiam as nossas malas. Ou entrávamos nós dois ( eu e ele ) ou as malas.  Nós e as malas no quarto do hotel, nem pensar.

Fizemos ginástica de comunicação e conseguimos um outro hotel no centro da cidade.
Era um pouquinho maior.  Só um pouquinho.  Mas acomodava melhor.

Só que havia um probleminha: os pernilongos pareciam os donos da espelunca.
Nunca vi tantos pernilongos juntos.
Entrávamos no quarto e contavam-se dezenas deles nas paredes e móveis.
Iniciávamos, então, a matança dos voadores.

Tostão, o grande campeão, tinha um sapato de sola de borracha e que se transformou em arma poderosa contra os inoportunos insetos.
Mas na medida em que ele "executava" os bichos nas paredes ficava também a marca da sola do seu sapato.
Cheguei a contar e havia pelo menos umas 30 sapatadas na parede branca do quarto.
E, é claro, não eram sapatadas comuns, eram de um consagrado campeão mundial ( risos ).

Mas o gerente do hotel, na hora de acertarmos as contas, não quis nem saber.
Reclamou das "sapatadas" nas paredes e queria cobrar uma pintura geral no apartamento.
É claro que protestamos pela reivindicação do cidadão e da falha do estabelecimento em "permitir" tantos pernilongos no interior do dito cujo.

Rimos muito depois, evidentemente.

Me tornei um grande amigo de Tostão, doutor da bola e da medicina.










5 comentários:

  1. Fala Jota! Tudo bem?

    E a família?
    Quanto tempo, hein?
    Aqui vamos todos bem!
    Muito legal essas histórias, serve pra mostrar como é dura a vida de jornalistas e que nem tudo é 5 estrelas, não?

    Abração!

    P.S.: Nas férias de fim de ano encontrei com o Lino no cinema aqui num shopping no RJ e perguntei por vc e ele me disse que vc estava de férias edando um tempo no facebook.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Edu. Vc sumiu.
    BOm saber que está tudo bem com você e familia.
    Lino é um querido amigo e irmão.

    bom final de semana!!
    abraço do jota.

    ResponderExcluir
  3. Pois é Jota, trabalho agora no centro do Rio e minha rotina mudou bastante devido à distância do trabalho e casa. Dormindo cedo todos os dias... rsrs.
    Além disso nos fim de semana a atenção é toda pras crianças. Aliás a baixinha tá uma espoleta e já vai fazer 3 anos em Abril. O mais velho tá um garotão fortão! hehe. A patroa é que reclama, pq não sobra um tempo só pra gente, se bem que nesse carnaval deu pra curtir um cineminha a dois.

    Teu e-mail continua o mesmo? E qdo volta pro facebook?

    Quando é que vens ao Rio pra podermos botar o papo em dia?

    Abs

    ResponderExcluir
  4. É a vida nos impondo obstáculos, Edu. Mas o importante é estarmos saudáveis para ir cumprindo as nossas missões.
    Parabéns pela linda família.
    Meu email é o mesmo, disponha amigo.
    Indo ao Rio a gente se comunica.

    abraço.
    jota

    ResponderExcluir
  5. E Tostão, não disse uma palavra sobre a morte do Luciano do Valle, uma pena....

    ResponderExcluir