quinta-feira, 29 de novembro de 2012

JOELMIR BETTING - GÊNIO.

Nem bem acabei de homenagear um querido e saudoso amigo ( Ely Coimbra ), eis que chega a notícia de Joelmir Betting.

Nos anos 70 um dileto amigo, Maurício Fábio Pavan, nas viagens para a faculdade, me chamava a atenção para um colunista de jornal que explicava com metáforas e extrema simplicidade um tema difícil, a economia.

Foi a partir desse alerta do amigo Maurício que conheci o jornalista Joelmir e passei a acompanhar o seu trabalho.  E fiquei fã.

Quis o destino que em janeiro de 1980 eu fosse trabalhar na rádio Bandeirantes e ser colega de Betting.

Quantas e quantas vezes encerrei o programa de esportes da Band, por volta de 18:50h e anunciei o comentário de Joelmir Betting, ao vivo, ali nos estúdios principais do Edifício Radiantes.

Ele pintava pelo corredor e já me acenava sorrindo e sempre com alusões às performances do Palmeiras, com vitórias ou derrotas.

Na redação, o brincalhão sutil, as tiradas inteligentes, o mestre na arte de comunicar explicando a intrincada matéria: ECONOMIA.

Joelmir era um homem sereno.  Calmo.  Meticuloso no relacionamento com as pessoas.  Um gentleman.

Chegava-se a apostar, em tom de brincadeira, é claro, se algum dia o Joelmir ficaria nervoso e perderia a calma.
*Jamais isso foi testemunhado nas redações por onde ele passou.

Foi através do mestre Joelmir que conhecemos pelos corredores e redação da Bandeirantes um menino estudioso, curioso, atrevido em saber futebol(risos) e que pintava como futuro jornalista da área.

Estou me referindo, obviamente, a Mauro Betting, seu filho.

Mauro que depois foi meu colega de TV Bandeirantes, além de um amigo muito querido.

Inúmeras vezes me deparei pelos corredores do Parque Antártica com Joelmir e Mauro em grandes e pequenas jornadas da Sociedade Esportiva Palmeiras.
Era visível o nervosismo do mestre Joelmir antes, durante e depois dos jogos do Verdão.

O Palmeiras talvez tenha sido a "matéria" que mais o deixou impaciente, tenso, fora dos eixos.

Enfim, dos gênios a sempre quer mais, pede mais.
Egoístas e possessivos que somos, é claro que gostaríamos de sugar mais da sabedoria e da técnica do gênio Joelmir.
Queríamos mais Joelmir entre nós.
Mas deixemos de ser egoístas e liberemos o mestre para outros voos.
Todo o Universo precisa dele.













3 comentários:

  1. Jota
    Acompamho o Joelmir desde a decada de 70 quando eu era criança nos aureos tempos da Radio Bandeirantes (TV naquela época era luxo)junto com o José Paulo de Andrade e Salomão Esper, com certeza vai fazer falta.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Kléber Antônio Ferreira de Souza2 de dezembro de 2012 14:25

    Nós telespectadores, ouvintes e leitores do Joelmir Beting só nos resta dizer obrigado.

    ResponderExcluir