domingo, 4 de dezembro de 2011

UM TRISTE DOMINGO

No dia da decisão do Brasileirão, perdemos um dos maiores jogadores do País.

Mais do que isso, perdemos um cidadão de posições firmes, fortes, pensadas.

Perdemos uma alma em trânsito cá por estas bandas e que agora vai seguir sua caminhada cósmica, pois assim é que funciona.

Morre o físico, segue o espírito, nosso principio inteligente, nossa centelha imortal.

Sócrates encantou em campo, viveu sua vida fora de campo, aquela que achou ser a mais conveniente ou prazerosa, e a qual nada devemos comentar ou criticar.

Formou-se médico, jogou futebol, teve filhos, comunicou, lutou pela democracia brasileira, amou do seu jeito, marcou pela enérgica personalidade.

Uma pessoa autêntica, direta, sem preocupação de dizer o que sentia e se isto iria machucar alguém.

Que novos e bons caminhos sejam abertos a Sócrates, agora à partir de sua passagem.
Ele merece.

Um comentário:

  1. Mudando de assunto..

    Queria deixar meus obrigados a voce pela narração de Independiente x Goiás, voce aparentou está torcendo pelo Brasil, diferente de grande parte da imprensa. Talvez o pior dia da minha vida.

    ResponderExcluir