quinta-feira, 29 de setembro de 2011

SELEÇÃO É SELEÇÃO. TEIXEIRA É TEIXEIRA.

Sobre a vitória do Brasil diante dos argentinos, deixo a análise para cada um dos amigos.

O que intriga é a má vontade de parte da mídia com a nossa Seleção ou uma confusão que precisa ser pensada, refletida.

Quando eram amistosos contra seleções fracas, houve críticas, muitas críticas.
Agora que estamos enfrentando Alemanha, Argentina e etc., leio que são amistosos "caça-níqueis", expressão antiga e que se perpetuou para definir jogos sem qualquer importância.
* E Brasil x Argentina JAMAIS será um confronto sem importância, estejam em campo jogadores de nível A, B ou C.

As pesadas criticas a jogadores e ao treinador são mais por conta da figura de Ricardo Teixeira, do que propriamente aos profissionais da bola e suas performances.
Não é justo.

Mas entendo essas posições, pois os companheiros estão confundindo SELEÇÃO com Ricardo Teixeira.
Seleção Brasileira é futebol, competição, disputas, paixão do povo.
Teixeira é outro departamento.

Quanto ao "capitalismo" que hoje envolve os compromissos da Seleção, com empresa contratada para agendar os amistosos, cachês e outros interesses, isto não pode ser misturado às necessidades da equipe visando futuros compromissos oficiais.

Hoje o capitalismo impera em todos os setores, felizmente ou infelizmente. E aqui teriamos um tema para dias e dias de discussões e observações.

Ontem a presença de público no Mangueirão, e mesmo nos treinamentos, aniquilou qualquer rotulagem de "amistoso caça-niqueis" o confronto Brasil x Argentina.

Fosse realmente um jogo sem apelo e a torcida paraense não teria lotado o estádio e a televisão não teria registrado os altos índices de audiência.

Repito, parte da imprensa confunde Seleção com Ricardo Teixeira.
Seleção é bola rolando, torcedor envolvido, perspectivas para competições oficiais importantes.

Há uma confusão nesse sentido, assim entendo.

O mau-humor de alguns analistas é incoerente, exatamente pela tese que aqui coloco, qual seja a de igualar os compromissos da Seleção - para mim, todos importantes e necessários - com as ações de Ricardo Teixeira à frente da CBF.

Não é justo com o time de futebol que levemos os problemas do presidente da entidade para as atividades da equipe que nos representa internacionalmente.

As atividades da Seleção não podem sofrer as mesmas flechadas direcionadas para Ricardo Teixeira. Ele merece, a Seleção não.

Nossos jogadores e o treinador, mais comissão técnica, merecem carinho, apoio e admiração, conquanto as críticas normais e naturais de seus desempenhos, evidentemente.

4 comentários:

  1. Vce tem razão Jota, mas infelizmente a seleção paece-me que já faz algum tempo que perdeu a identidade com o povo, essa que é a verdade.

    ResponderExcluir
  2. Voce tem razão Jota ,ma sinfelizmente já algum tempo a seleção não empolga e o povo, hoje em dia dá mais importância aos clubes.mas voce etsá certo.Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Voce está certo, mas é difícil de separar essas coisas.

    ResponderExcluir
  4. Vou tentar mandar de novo o Comentário que andava eu fazendo aqui!até é estranho os problemas!
    Digo que não estavamos na década de 80 aonde se tratava mais de futebol e que não era negócio.
    E hoje muita coisa mudou e hj não dá pra deixar e separar as coisas e ainda mais porque o Teixeira contrata um treinador que dá mancha pra empresários e muito mais interesses que sabemos que temos aqui e sem contar nas denúncias que sempre tem.
    Não dá mais pra separar,e vc Jota que até já narrou em emissoras diferentes ou você vê as notícias e outros e todos nós vimos sabemos disso bem.
    Abraço
    Igor
    É q não lembro das coisas que postei,aí to tentando resumir o q escrevi antes.
    Meu blog de esportes: http://igoresportes.blogspot.com/ e no twitter @blogdoigor05

    ResponderExcluir