segunda-feira, 2 de maio de 2011

O FUTEBOL E O DESEQUILIBRIO

Vendo o futebol com olhos frios e sempre pensando no "social", a gente fica triste com muitas coisas.

Apesar de entendermos o "sangue quente" das disputas, há profissionais adultos ( e praticamente são todos adultos ) que se comportam como criancinhas no pátio da escola, agindo com irracionalidade, falta de educação e de respeito ao próximo.

Passam péssimos exemplos para quem está se ligando agora no esporte, casos das próprias crianças e jovens.

O bate-boca, por exemplo, de Felipão e Tite no clássico paulista, foi algo deplorável.
Dois adultos, vividos, bem resolvidos financeiramente e agindo com total falta de equilibrio.

Discutir as coisas do futebol, divergir, tudo é perfeito.
Mas passar rancor, ódio, incitar as massas, é perigoso.
Os icones, os lideres, precisam demonstrar controle de ações e bom senso, mesmo nas batalhas verbais e ideológicas, sob pena de contagiar cabeças desprovidas de razão.

O reflexo disso tudo são as brigas antes e após os clássicos, as pessoas baleadas nas ruas por conta do futebol, e tudo mais.
Profundamente lamentável.

Incluo no contexto certos programas de rádio e televisão que contribuem para acirrar os animos nos grandes centros.
Papo de futebol irresponsável é para as esquinas e bares. Meios de comunicação se revestem de incrivel força e tudo o que ali é apresentado ganha proporções inimagináveis.
Opiniões em rádios e tevês têm poder e contaminam mentes ( positiva ou negativamente ).

Desculpem o desabafo, mas é que vejo o esporte com frieza ( sempre vi assim ).
Vejo mais a repercussão dos fatos na vida das pessoas do que propriamente os resultados técnicos em campo ou quadra.

Aliás, o esporte deveria ser assim visto.
Resultados em campo são importantes, mas os efeitos na vida comum valem muito mais.

Boa semana pra todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário