quinta-feira, 25 de novembro de 2010

A CULPA É DO HOMEM

Muito tem se falado e escrito sobre as suspeitas de "entrega" de resultados no Brasileirão.

Sem entrar no X da questão, se tal time entregou ou não, é bom deixar claro que o problema não se prende ao campeonato ser deste ou daquele modelo.

Quando o foco é MORAL, ÉTICO e de RESPONSABILIDADE, os eventos podem ser de qualquer natureza e esquemas de disputa, que os pilantras vão agir de acordo com a sua índole.

A ferida não é o campeonato de PONTOS CORRIDOS. A questão é moral, ética, de honradez.

Nos torneios que chamamos de MATA-MATA também há manobras em fases classificatórias para "escolher" adversários mais na frente.

É só ficarmos atentos às novas leis que são implantadas no País. É só elas acabarem de ser promulgadas para que apareçam modos de burlá-las. Em todos os setores.

Que culpa têm os "pontos corridos" se a violação é das pessoas?

E nesse contexto incluem-se várias personalidades. Poucos escapam. Infelizmente.

4 comentários:

  1. Ola Jota como vai?


    Sobre a palavra entrega, vejo o final do campeonato brasileiro é mais um delivery de resultados do que futebol ao fim de campeonato, e o Palmeiras que "entregou" resultados no brasileiro e não conseguiu chegar a final da Sulamericana, seria um Goias uma pedra no caminho de Fluminense e Palmeiras;

    O São Paulo no jogo contra o Flu, faltou mais futebol,principalmente em referencia aos xingamentos do Richarlysson, mas ainda acredito que no futebol não exista esse tipo de entrega, afinal é feio perder, mas muito vergonhoso facilitar resultados ao adversário;


    E Jota, escrevi um texto sobre a sua entrevista, no meu blog, se puderes visitar e analisar, sua opinião é muito importante;


    blog; doisladosdabola.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Caro Jota, permita-me a franqueza
    Finalmente este ano a imprensa colocará o vergonhoso assunto "entrega" em pauta. Desta vez, porque envolve o patinho-feio dos clubes brasileiros, o Palmeiras. Assuntos negativos e escândalos, quando envolvem o Palestra, sempre têm muito mais apelo e repercussão pois representam o prato preferido da maior parte da mídia.
    Veja que Corinthians e Greêmio cometeram o mesmo delito em 2009, mas nada repercutiu. A mídia encontrou um meio de mimetizar, isto é de mascarar a situação. Fez vistas grossas porque o mais importante era festejar a conquista do Flamengo, o time de maior apelo popular de maior torcida no país.
    Ainda no final do ano passado, depois do jogo Santos X Cruzeiro, Luxa concedeu uma entrevista irônica, satisfeito e realizado, a partir de um empate por 2 x 2 contra o Cruzeiro que derrubava o Palmeiras de seu desafeto Belluzzo da Libertadores. Alguém falou alguma coisa a respeito? É óbvio que não! Por que a mídia não explorou um fato tão revelador que sinalizava a possibilidade de desmascarar outra enorme falcatrua esportiva?
    Este ano, porém, é diferente, pois o entregador da vez, lamentavelmente, é o meu Palmeiras. O Palmeiras está entregando, sim e só não vê quem é muito inocente ou não quer ver. Aliás, antecipo-lhe, o Palmeiras já entregou na medida em que coloca em campo um time de novatos e de jogadores fora de forma. O assunto, este ano, vai repercutir muito e dar pano pra manga, simplesmente porque o clube envolvido é o Palmeiras. Creia, vai ser um baita escândalo e muita repercussão.
    Aliás, isso já está acontecendo. Você viu a indignação do corintiano Bodão ontem no Arena? Respeito muito esse companheiro mas ele, pela primeira vez, não está endo coerente. A sua indignação de ontem foi uma indignação que ele não mostrou no ano passado quando Ronaldo simulou contusão, quando Felipe não se moveu para defender um pênalti e quando o Corinthians correu para não chegar no jogo contra o Fla em Campinas, com o acobertamento dos fatos por parte da mídia. Quem se indignou não ousou comentar. Compreendo, pois o jogo envolvia Flamengo e Corinthians as duas maiores forças do futebol brasileiro. O delito atual do Palmeiras é condenável, execrável, e causa perplexidade ao homem de bem, mas não é maior e nem tem maior amplitude do que o que já ocorreu em anos anteriores. O problema, meu caro Jota, não é esportivo. É de princípios, é de caráter. Que o clube que tenha caráter atire a primeira pedra. Alguém atirou?
    Ah, eu sei que muitos vão dizer. Os clubes não são seres humanos e por isso não têm caráter.
    Quem não sabe? Mas todos nós sabemos que eles assumem a personalidade dos seres humanos que os dirigem.(AD)

    ResponderExcluir
  3. Pô cara, eu realmente não gosto dessa fórmula de pontos corridos, e acho que o mata-mata não deveria voltar, eu acho que a melhor fórmula seria pontos corridos, com um quadrangular final, todos jogam contra todos, o que tiver melhor resultados leva. Todos jogam com vontade de ser campeão, e com motivo, essa coisa de entrega acontece simplismente por causa da não necessidade de se jogar, porque se jogar e se nao jogar vai dar no mesmo, as vezes ate no pior, que e ver o seu rival campeão, ou em boa posição na tabela(vide Inter ajudando o Grêmio e deixando a torcida enfurecida). Bom texto Jota, parabéns.

    www.futebolalemdapaixao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Jota,

    Mas é claro que o problema não está na formula. É muito facil colocar a culpa nela. Sou analista de sistemas e na minha área tem muitos processos,é processo de desenvolvimento, de analise, de isso e de aquilo, é processo pra tudo. E aí no final do projeto muita coisa dá errada. De quem a culpa? dos processos? Não!

    E na minha área tem uma máxima. "Os problemas não são os processos, são as pessoas"

    Vi reportagens que falam em puniçao se nao colocar time titular... Precisamos de um banho de etica, educaçao e responsabilidade.

    Um abraço.

    ResponderExcluir