quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

A IDIOTICE DO PRECONCEITO

Continuam pipocando os casos de manifestações racistas pelo planeta.

No futebol - no esporte em geral - não é diferente.

Os ex-jogadores César Sampaio e Cléber, agora donos do Rio Claro, foram hostilizados por torcedores do próprio time quando estavam no reservado dos dirigentes no estádio.

Agora no futebol paranaense, um zagueiro do Toledo também é insultado por torcedores, por ser negro. O treinador da equipe pediu demissão em protesto pela imbecilidade desses indivíduos.

Todos eles já providenciam ações judiciais pedindo o rigor da lei.

É intrigante como ainda há pessoas com esse tipo de comportamento.

Não têm o mínimo de respeito ao semelhante. Não conseguem se conter em suas ínfimas condições morais. Parecem precisar expelir asneiras para não engasgar com elas.

Vai demorar, mas um dia essa pobreza de espírito haverá de acabar.

Não se concebe que alguém se atreva a julgar um semelhante, muito menos pela cor da pele, religião ou qualquer diferença física ou ideológica.

O que é preciso é que as pessoas ofendidas não deixem barato.

É preciso acionar os mecanismos da justiça.

A idiotice do racismo, preconceito, discriminação, ou seja lá o que for, tem de ser denunciada e atacada com o rigor do texto da lei.

E não vale a hipocrisia da defesa, dizendo que no futebol isto é normal, faz parte da cultura ou coisa que o valha. E que não tem o sentido da ofensa.
Tem, sim.

Nenhum desrespeito tem de ser tolerado.
Nenhuma discriminação tem de ser ignorada.

5 comentários:

  1. Orlando, João Pessoa/PB11 de fevereiro de 2010 18:27

    Olá, Jota. Tudo bem?

    Nunca poderia deixar de emitir minha opinião sobre o assunto comentado por vocês neste post.

    Gostaria de encontrar, se na língua portuguesa houvesse, uma única palavra capaz de definir, sem sobra ou falta, com perfeição, essas pessoas que não têm a vergonha de revelar desprezo e desrespeito por aqueles que não têm em comum a cor, a religião, o sexo, o dinheiro ou a orientação sexual.

    Até quando teremos que exigir leis específicas para nos proteger dessas pessoas que são bem epecíficas em seus ataques preconceituosos? O princípio geral de igualdade entre todas as pessoas, escrito na nossa Constituição, não bastaria por si só?

    Ora, dizer que no mundo do futebol xingar o outro por ser negro é normal, além de já ser um prconceito, justifica outros dizeres: "entre os héteros, é normal fazer piadas com gays", "no mundo dos machos, é normal bater em mulheres", "no mundo dos ricos, é normal explorar os pobres", e outros e outros...

    Não sei, Jota, se algum dia isso vai acabar.

    Às vezes, me surpreendo com atitudes semelhantes vindas até mesmo de crianças.

    A sensação que eu tenho é que parece que há uma sementinha desse mal, em algum lugar, que vai, invisível, passando de pai para filho, de filho para neto, de neto para tantos que ainda houver além, fazendo o seu trabalho intermitente, semelhante ao da gota d'água na pedra dura, só que produzindo um efeito contrário.

    Essa pessoas idiotas, Jota, sempre existiram e continuarão a existir. Elas estão em todos os lugares. Não estão apenas no mundo do futebol, dos héteros, dos ricos e dos machos. Estão também no mundo dos religiosos, dos políticos, dos professores, dos alunos, dos amigos, dos intelectuais...

    Mas há exceções, claro e ainda bem.

    Um grande abraço, Jota.

    Orlando

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Entrevistei o comentarista Erich Beting do Band Sports especializado em markenting e publicidade esportiva. Confira: http://mattew.zip.net
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. JOTA, ORLANDO & BLOGUEIROS.

    Ridículo... assino com vcs e concordo em gênero número e grau...
    Só prá não passar sem uma historiazinha...certa vez levei um garoto negro(17 anos)para avaliação em um clube aqui da nossa região metropolitana de Campinas. O empresário, meu amigo e aliás, colega daqueles que envergonham a classe, na frente do elenco profissional time, mandou a célebre frase:
    "No meu time goleiro negro não joga!!!"(Claro, fazendo menção ao maracanaço...e a injustiça que fizeram com o grande goleiro Barbosa - o "criminoso" que teve uma "pena" maior que a máxima permitida pela justiça brasileira-30 anos).
    Enfim, o técnico do time quase desmaiou de vergonha, o elenco (para quem ele fazia a preleção do treino) idem e eu peguei o garoto pelos ombros, olhei para o cara e falei: vc deveria ser preso por isto...e não resisti, mandei um palavrão, ou vários sei lá...
    Então meu amigo, as pessoas precisam "ver" mais a alma das outras, a índole, a moral, que, são predicados, porém, não tem côr...
    Por estas e mais outras, o ser humano está acabando com sua existência homeopaticamente... devagarinho, quase agonizando, sentado nos seus bens, no falso moralismo e no poder pelo poder...

    Forte abraço, bom carnaval(sic) ou pelo que imagino... bom trabalho amigo...

    PAULOFILÉ

    ResponderExcluir
  4. Amigos, um abraço.

    Essa passagem que vc contou, Filé, deve ter acontecido e muito pelo País.
    Ouvi sempre essa bobagem de que goleiro negro não é confiável futebolisticamente.
    Quanta asneira.

    E aquela negativa ao saudoso Barbosa de visitar a concentração da Seleção em Teresópolis - 94 - foi um crime cometido por Parreira, Zagallo e membros da comissão da época.
    Barbosa, um dos maiores mártires da história do futebol brasileiro e mundial.
    Mas.....cada um com sua consciência, certo??

    abraçao e bom carnaval.
    jota

    ResponderExcluir
  5. Ola a todos,

    apenas lembrando que denuncia de crime de racismo é inafiancavel;

    e torço pra que todos os racistas paguem por seus preconceitos e falta de irmandade;


    abraços a todos

    Domingos Arthur - SP

    ResponderExcluir