quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

LÁ COMO CÁ ...

Me lembro que elogiávamos muito o futebol do exterior, que respeitava os treinadores e não os demitia aleatoriamente.

Ser treinador na Europa, principalmente, era sinonimo de estabilidade no trabalho.
Era assinar o contrato e ter a certeza de que ele seria respeitado.

Mas, mudou.

Já de algum tempo não é mais assim, com poucas exceções.

Nos casos de treinadores brasileiros, citaríamos Joel Santana ( seleção sul-africana ), Luxemburgo ( Real Madri ), Felipão ( Chelsea ) e agora, a demissão de Zico.

Certamente me esqueci de outros.

Me lembro também que elogiávamos o futebol europeu em seu calendário, onde só havia jogos às quartas feiras e nos finais de semana.

Hoje assistimos pela televisão os campeonatos europeus às segundas, terças, quartas, quintas.....e por aí vai.
Tem jogo todo dia.

As circunstancias do capitalismo levam a tudo isso.
Os contratos são cada vez mais imperiosos quanto a resultados, e os profissionais da bola têm de se submeter à verdadeiras maratonas.

Um comentário:

  1. Eu tenho um blog sobre futebol europeu (europafootball.blogspot.com) e me parece que os europeus tem certo preconceito com os técnicos brasileiros. Eles devem imaginar "Os jogadores brasileiros já tomaram conta do continente, por que agora os técnicos tem que mandar? Nananinanão". Por isso que geralmente não dao certo

    ResponderExcluir