quinta-feira, 19 de novembro de 2009

MÁS ENERGIAS NO PALESTRA

O palmeirense está de cabeça baixa, decepcionado, inconformado, buscando explicações.

Ouvem-se as mais diversas colocações sobre a queda do Verdão.

Cada um tem um enfoque e uma explicação.

O treinador diz que ele cresce nas horas difíceis - mas a hora é agora - e o Palmeiras não tem saído do lugar.
Além disso, se descontrola o treinador ao tratar mal a imprensa e questionar perguntas que ele julga inoportunas, ou burras.

Aliás, perceberam que depois da chegada de Muricy - e seu mau humor - o time também ficou emburrado, sizudo, sem alegria?

Jogadores se descontrolam e brigam entre si, oferecendo triste espetáculo para o esporte.

Presidente perde a cabeça depois de uma arbitragem desastrada, ofende a tudo e a todos, pega punição pesada e continua dizendo que não se arrepende.

Marcos, o goleiro, sempre que abre a boca para dizer que está tudo errado, é confundido como um agitador e que desrespeita a hierarquia.
Mas ninguém melhor do que ele para detectar as feridas dentro do grupo.

Diretores batem cabeça nas conclusões a respeito da queda de rendimento e da possível perda do campeonato.

Parque Antártica está precisando ser exorcizado.
O que tem de más energias habitando o recinto, é uma grandeza.
Mas é bom lembrar que as más energias são produzidas por nós mesmos.

E que futebol se faz com alegria, como disse o sizudo e fechado Muricy.

Essa alegria teria de partir do comandante, concluo.

E isto não ocorre.

E se no São Paulo deu certo, dá para concluir também que o sucesso do tricolor não dependeu exclusivamente do humor de seu então treinador.

5 comentários:

  1. Olá Jotinha, parabéns pela contínua sabedoria.

    Parece mesmo que a "bruxa" resolveu atuar nos gramados.
    Não só no jogo do Verdão, mas também do Tricolor Carioca, o espetáculo parecia mais um vale tudo do que futebol. Absurdo, pois a torcida que é sempre cobrada pelo seu comportamento diante dos jogos, teve como exemplo seus ídolos e atletas lutando e denegrindo a imagem do nosso futebol.

    Onde vamos parar?


    Um Beijo gde meu amigo.
    Fique com Deus.

    ResponderExcluir
  2. Alessandra e Carlinha, obrigado.

    Tá todo mundo com os nervinhos agitados, né??

    Respeitando as individualidades, e o destempero natural e eventual das pessoas, isso pode ser relacionado com falta de comando, de liderança.

    Insegurança.

    beijos
    jota

    ResponderExcluir
  3. Jota
    Concordo que o exemplo tem de vir do comandante como voce citou o Murici, porem mais acima que o técnico esta o presidente Beluzzo que pregou a violência contra o Simon, tem o Paulo Serdan que é um torcedor violento e foi autorizado a dar palestra "motivacional" para o elenco. Quanto ao Marcos acho que tem o direito de dar broncas porem devia ser reservadamente e não dando shows nos microfones após os jogos, criticando o time sem dar nomes, logico que ele cria um clima péssimo.
    Abraços
    Roberto Carlos

    ResponderExcluir
  4. ótimo psot. Acho que o problema foi elenco mesmo. Não teve reposição á altura e vieram os tropeços. Com eles problemas psicológicos entre os jogadores.

    ResponderExcluir