segunda-feira, 9 de novembro de 2009

BELUZZO SE PERDEU

Por mais que tenha razão nas reclamações sobre a atuação de Carlos Eugenio Simon, o presidente do Palmeiras não pode extrapolar da maneira que continua fazendo.

Logo após à partida, com o sangue fervendo, até se entende que um envolvido no espetáculo passe dos limites.
Mas no dia seguinte, como ocorreu nesta segunda-feira, com Luiz Gonzaga Beluzzo confirmando tudo o que afirmara ontem, e ainda reforçando a dose de acusações ao "cidadão gaúcho" é altamente preocupante.

Beluzzo, hoje, segunda, falou mais grosso ainda e incitou ainda mais a violência a Carlos Eugenio Simon, caso ele volte a São Paulo.

Reforçou que se por acaso encontrar Simon, não hesitará em agredi-lo fisicamente.

E deixou a torcida palmeirense liberada para deliberar sobre agredir ou não o juiz gaúcho.

O até então equilibrado presidente do Palmeiras, se perdeu.

Revolta, criticas, ilações, tudo é permitido dentro da paixão futebolística.

Mas chegar ao lado pessoal e ainda incitar a massa, é muito grave.

É muito preocupante em um momento que todos queremos amenizar a onda de violência urbana que nos atinge.

Um esporte tão bonito e fascinante como o futebol, infelizmente tem esse poder.
O de transformar pessoas equilibradas no meio social em atitudes irracionais.

Tenho amigos de ótima índole que quando jogam uma pelada, acabam se transformando em truculentos, mal-educados e grossos no trato com os semelhantes.

É o que está ocorrendo com o economista Beluzzo.

Tudo no futebol, menos VIOLÊNCIA.

Tudo no futebol, menos INCITAÇÃO À BARBÁRIE.

Entendo que o conselho palmeirense deveria tomar alguma atitude, no sentido de baixar a bola do presidente, em respeito à história gloriosa do clube.

Coberto de razão nas reclamações e na indignação, repito, Luiz Gonzaga Beluzzo demonstrou que não está preparado para comandar uma agremiação tão importante como a Sociedade Esportiva Palmeiras, de rica história e tradição.

Agiu como um torcedor e não como alguém que precisa ditar o equilibrio de comando numa instituição tão importante.

Por essas e outras, é que sempre peço para que as pessoas não levem o futebol tão a sério, colocando-o em primeiro lugar nas suas prioridades de vida.

Vibre, se emocione, vista a camisa de seu clube, assista aos jogos, mas entenda que essa matéria - futebol - é uma das menos importantes na ordem pessoal de todos.

Não sofra desnecessariamente. Não se martirize. Curta com inteligência.

Antes do futebol, vêm a saúde, a família, o trabalho, os estudos, o bem estar em sociedade.

Depois......muito depois chega o futebol.
Como divertimento, lazer, entretenimento e por aí vai.

5 comentários:

  1. Orlando, João Pessoa/PB9 de novembro de 2009 15:01

    Oi, Jota, tudo bem?
    Pois é... Eu não vi, ninguém viu, o senhor Beluzzo, depois do jogo do Palmeiras contra o Vitória, na quinta rodada do Brasileirão, reclamar qualquer coisa da arbitragem daquele jogo. Sabe por quê? Não havia motivo. Ora, se o juiz não viu o muito que a bola entrou no gol de Marcos, após uma certeira cabeçada de Roger, reclamar de quê e de quem?. No final, o Vitória perdeu e o Palmeiras levou três pontinhos.

    Um abraço, Jota

    Orlando

    ResponderExcluir
  2. Orlando, os cartolas têm esse comportamento oportunista e desleal. Só reclamam das arbitragens quando perdem.

    Ganhando, ninguém toca no assunto arbitragem.

    São todos iguais. Amadores, torcedores. Não são dirigentes, os quais deveriam dar exemplos de lealdade e de equilibrio.

    abraço
    jota

    ResponderExcluir
  3. Jota, mais uma vez você está coberto de razão, mas meu coração palmeirense não vai perdoar o Simon tão cedo, ele pode ter ajudado perdermos esse título. Ajudado, porque o time caiu de produção com os desfalques, e quando não tem que ser, não é : deslfaques, expulsões, convocações para seleção, e arbitragem, tudo está conspirando contra, infelizmente.

    ResponderExcluir
  4. Orlando, João Pessoa/PB10 de novembro de 2009 01:41

    Jota,
    E tem mais... Será que os palmeirenses queixosos não enxergaram que não houve o escanteio que redundou no lance do gol? A bola, Jota, só pegou no ombro de Obina. Todo mundo viu isso; Simon, não.

    Palmeirenses, por favor não atribuam a má fase do Palmeiras a qualquer coisa que não seja o pouco futebol que ele vem jogando. O Fluminense mereceu a vitória e, pelo futebol que vem jogando, mereceria, nesse momento do campeonato, o título de campeão mais do que o Palmeiras.

    Outro abraço, Jota

    Orlando

    ResponderExcluir
  5. Cartola só reclama quando é prejudizado, como torcedor. Cada torcedor tem como hábito lembrar apenas os erros contra seu time e reclamar só deles. Dirigentes viram torcedores nessas horas. Por isso Belluzzo lembra-se do Simon, mas esquece facilmente os três pênaltis do Cruzeiro...

    ResponderExcluir