quinta-feira, 29 de outubro de 2009

O JOGO É JOGADO...

É claro que o futebol vive também de chutes, palpites, conjeturas e tudo mais.

As discussões do futebol giram em torno disso, e é claro, dos supostos profundos conhecedores da matéria. É engraçado, interessante, porque TODOS se julgam grandes entendidos.

E isso é legal. Bacana. Faz parte do contexto.

Há até uma falsa imagem de que o jornalista esportivo conhece mais do que todo mundo.
Um grande equívoco.
O jornalista esportivo tem de estar bem informado, pesquisar, usar de equilibrio nas análises, mas conhecer mais do que todos, isso não tem sentido.

O Brasileirão nessa reta de chegada tem envolvido zilhões de palpites, apostas, afirmações categóricas, enfim, um amontoado de opiniões. O que é perfeitamente natural.

Mas, para mim, a grande constatação é a de que NADA ESTÁ DECIDIDO.

A prudência - que muita gente confunde com EM CIMA DO MURO - manda aguardar o desfecho dos acontecimentos. Ser prudente, no meu modo de entender, é respeitar as nuances do futebol, onde nem sempre ganha o melhor, ou quem está mais cotado para vencer.

Por isso, amigos, não arrisco absolutamente NADA.

Em brincadeira, até dá para apostar.
Mas respeitando o imponderável de um jogo de futebol e a qualidade dos concorrentes envolvidos, prefiro apenas acompanhar serenamente. Pacientemente.

Já dizia um antigo filósofo caipira: O JOGO É JOGADO, O LAMBARI É PESCADO.
Ninguém ganha de véspera, ninguém pesca muito peixe de véspera.

Um comentário:

  1. Olá Jota!
    Muito legal este post. Você como sempre transparente em suas colocações.
    Bjs! Silmara

    ResponderExcluir