sexta-feira, 1 de maio de 2009

FÉRIAS FORÇADAS

Chega a notícia do adiamento das partidas envolvendo os clubes mexicanos na Libertadores.

Assim, o São Paulo ficará mais uns dias sem jogar. O próximo compromisso do Tricolor será na abertura do Brasileirão, dia 10, contra o Fluminense, no Maracanã.

Nunca o time do Morumbi ficou tanto tempo sem atuar.

Desclassificado no Paulistão e agora sem poder enfrentar o Chivas, Muricy terá mais um bom tempo para ajustar a equipe. Se antes o treinador reclamava do volume de jogos, agora a coisa se inverteu, ficando o grupo sem qualquer atividade oficial.

Isso pode sinalizar que contra o tricolor das Laranjeiras, dia 10, a moçada do São Paulo vai entrar com muita fome de bola em campo.

7 comentários:

  1. Jota,

    Onde saiu essa informação, que por sinal, acho a mais sensata?

    Eu havia escutado que poderia acontecer uma mudança no regulamento, e que o São Paulo poderia enfrentar o Nacional-URU, para que equipes mexicanas disputassem entre si. Achei isso um pouco absurdo. Modificar o regulamento não daria certo. Mesmo porque, São Paulo e Nacional foram os primeiros colocados e os dois merecem o direito de disputar a segunda partida em casa. Quem iria abrir mão?

    Obrigado Jota. Não esqueçe de dar uma olhadinha no meu blog... grande abraço.

    Fernando Richter

    ResponderExcluir
  2. Fernando, está em todos os sites.
    Passarei sim pelo seu blog, como já o fiz antes.
    Valeu, amigo.
    Jota

    ResponderExcluir
  3. Alcides Drummond (Observatorio Alviverde)2 de maio de 2009 09:52

    Prezado Jota

    A turma do futebol, há anos, legisla em causa própria.
    Se o calendário é apertado, reclamam do excesso de jogos e fato de não poderem treinar.
    Se o calendário é folgado, reclamam do espaçamento dos jogos e dizem que, assim, as equipes não conseguem se entrosar.
    Na verdade, o futebol foi, é, e continuará sendo
    sempre movido ao sabor das conveniências.
    Se o técnico mantém o time titular em jogos de diferentes competições e perde, dizem que ele
    deveria ter priorizado, apenas, a competição tal e escalado o time reserva. Se ele escala o time reserva e perde, afirmam que ele deveria ter colocado em campo o time reserva.
    A verdade é que só existe uma verdade no futebol, a insubstituível verdade da vitória.
    Certa vez o inesquecível Paulo Amaral fez, pela imprensa, a seguinte indagação: " o que é que jogadores, dirigentes, torcedores e a imprensa mais querem: um treinador honesto, trabalhador que não se omite em suas funções, que tenha capacidade e eficiência, que tenha treinado muito bem um time, mas que perdeu o campeonato, ou um treinador malandro, omisso, de pouca capacidade e eficiência, que treinou mal o time mas que, circunstancialmente, ganhou um título?"
    Assim, se o SP for mal no início do brasileirão, Muricy e sua "troupe" dirão que esse hiato sem jogos prejudicou substancialmente
    a sua equipe. Se, em contrapartida, o SP for bem, ele dirá que o descanso proporcionado pelo calendário foi funcamental para que ele realizasse um bom trabalho e colocasse os seus jogadores em condições ideais.
    Foi-se o tempo em que Santos e Palmeiras disputavam Campeonato Paulista, Robertão, Taça Brasil e ainda tinham tempos para fazer amistosos pelo interior, e atuavam com os mesmos titulares. Principalmente o SFC de Gilmar, Zito, Pelé e Pepe que, se dizia à época, treinava no avião, tantas eram as suas viagens, mormente ao exterior. Ninguém se queixava de cansaço ou estafa, com a diferença de que essas equipes venciam os seus jogos e eram, constantemente, campeãs.
    Você que é um cronista de mais idade e experiência, sabe, perfeitamente que eu não estou exagerando ou sendo um piégas saudosista.
    O Santos o clube brasileiro que mais viajou e atuou fora do país em todos os tempos, cansou de desembarcar no Brasil às vésperas dos jogos e atuar em jogos decisivos e importantes, nos quais, normalmente, fazia excelente figuração e, normalmente, vencia.
    Infelizmente, a imprensa vem sendo conivente (parte dela.é claro, porém a maioria) nesse processo de desculpas esfarrapadas proferidas para justificar positivamente ou negativamente a conduta dos times no futebol atual.
    Um abraço... Estamos esperando o seu retorno ao OAV quando algum assunto o motivar a escrever por lá.

    ResponderExcluir
  4. Jota
    Você viu a cena do jogador mexicano tossindo no adversário? o pior foi o narrador achando graça, lamentavel.

    Um abraço

    Roberto Carlos

    ResponderExcluir
  5. Alcides, concordo totalmente com o seu comentário, inclusive na culpa que cabe à imprensa.
    Obrigado.
    abraço.
    jota

    ResponderExcluir
  6. Roberto, lamentável em todos os sentidos, sem dúvida.
    Inclusive na atitude do narrador.
    Bom domingo !!!
    jota

    ResponderExcluir