quinta-feira, 23 de abril de 2009

TORCE OU DISTORCE?????

A respeito do surrado tema "Jornalista torcer ou distorcer" em matérias do futebol, tenho algumas passagens interessantes e que sinalizam reflexões.

São inúmeros os casos que eu teria a contar, mas destaco apenas dois.

Certa vez após transmitir Rio Branco e Palmeiras, em Americana, ouvi pelas ruas da cidade no dia seguinte os mais variados comentários sobre o meu trabalho.

Torcedores do Rio Branco me dizendo que "torci" pelo Palmeiras e alguns alviverdes reclamando que "torci" para o time da minha cidade.

Das duas, uma. Ou os torcedores falaram com o coração ou o profissional que é muito ruim.

** Acho que foram as duas coisas.

Outro fato que relato é quando da decisão entre Santos e Botafogo, Brasileirão de 1995.

Naquele dia eu estava nos estúdios da TV Bandeirantes, de plantão, enquanto Luciano do Valle narrava no Pacaembu a grande final.

Tinhamos cerca de 30 meninas ao telefone recebendo as ligações dos telespectadores de todo o Brasil.

Foi impressionante para as atendentes, alheias à paixão do futebol e que não entendiam o que estava acontecendo.

Eram torcedores dos dois times ligando e reclamando de Luciano. Santistas achando que o narrador puxava pelo Botafogo e cariocas dizendo que Luciano torcia pelo futebol paulista.

Nesse caso, digo que a paixão da galera falou alto e que o profissional é ótimo (Luciano).



6 comentários:

  1. JOTA JR.

    Parabéns pelas justificativas a cerca de sua profissão, mas.....

    Não existe motivo para às vezes, você se apegar a críticas em relação ao nosso time.

    Sei que ao longo de seus anos de futebol, talvez o mesmo não lhe empolgue mais, como em outros tempos, onde havia abundância de craques, em vista do futebol de hoje.

    Mas pelo menos, tente ser menos "errático" e mais "bomsensático", apenas isso.

    Todos os times devem, todos os times tem picuinhas, enfim, todos os times tem suas particularidades, que em nada são maiores ou menores que as do Palmeiras.

    É bem verdade que quando falam algumas verdades sobre nosso time, vindo da imprenssa, tem um peso maior, em função de toda perseguição que existe em cima do Palmeiras, até pela história que você bem conhece.

    Por exemplo, nos tempos atuais, o Valdívia revidou uma porrada de um jogador do Vasco e deu um cascudo na orelha do cara e foi punido por inúmeras partidas. Mais recente foi o Kléber que supostamente deu uma cotovelada em André Dias ano passado e gancho pesado nele.

    Esse ano porém, o Chicão do Corinthians deu uma cotovelada na cara de Sandro Silva e nem denúncia no TJD teve. Por quê? Será que foi porque não saiu sangue? É preciso sair sangue para que haja denúncia?

    E o Ronaldo Gorducho, não deu um pisão criminoso em André Dias, na cara do juiz, várias vezes reprisado na TV e nem sequer ouve uma fagulha de denúncia. Por quê? Não quebrou?

    É uma postura isenta e imparcial da imprenssa, qual quer que seja, que queremos, apenas isso.

    Quem está no banco dos réus novamente? O Palmeiras, com Diego Souza, apesar da denúncia ter sido, temporariamente arquivada.

    Será que por causa do Domingos do Santos que estará disputando finais?

    Fosse só o Palmeiras, talvez já tivesse sido até julgado, porque com o Palmeiras, a impressão que dá é que tudo é rápido.

    Em nome da história do futebol é que peço que apenas continue sua caminhada, mas não bata no Palmeiras não, pô.

    Jota lembra dessa:

    - Ainda Zinho, levantou, subiu Ronaldo. Olha a sobra do ALÉXXX, GOLAÇO, GOLAÇO, QUE BOLÃO DO ALEXXX.

    Campeonato brasileiro de 1997, Palmeiras 5 x 1 Grêmio.

    E não esqueça:

    Mas pelo menos, tente ser menos "errático" e mais "bomsensático", apenas isso.

    Saudações Alvi Verdes de Augusto Ferreira, frequentador o OAV.

    ResponderExcluir
  2. JOTA

    Acredito que quando se trabalha na mídia esportiva, o profissional sensato, procura não deixar transparecer seu clube.
    Porém, pelas individualidades de cada um, uns disfarçam melhor e outros nem tanto. Penso o seguinte, se for prá disfarçar mal, melhor falar... e manter-se profissional, por ex: "tenho preferência pelo time tal, mas o seu oponente foi melhor", ou "o time de minha preferêcia foi favorecido pela arbitragem", etc...
    Nós do "interiorzão bravo"... estamos cansados de ver e ser narradores/comentaristas/repórteres/plantonistas, todos "torcedores" e não aceitarem tal situação, mas, quando a bola sai de jogo em favor de seu time, não facila e narra com todo fervor:
    "É NOSSA!" ou "JOGAMOS MAL" ou "TEMOS QUE GANHAR A PRÓXIMA", quando o time perde!!!

    Coisas do nosso "idolatrado futebol"! Belo tema amigo!

    Abs

    PAULOFILÉ
    http://paulofile.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Augusto, procurarei seguir seus preciosos conselhos. Muito obrigado.
    abraço.

    ResponderExcluir
  4. Jota, torcedor é um bicho estranho, bem esquisito mesmo. Se guia pela emoção, é totalmente passional. E isso, apenas isso, perdoa o insulto a um profissional ético. E este é seu caso, Jotinha. Eu mesmo já fui chamado de corintiano, palmeirense, são-paulino e, na verdade, torço só pelo Galo mais lindo do mundo, o da Vila Esteves, em Limeira.

    abraço, amigo.

    ResponderExcluir
  5. Cristian, obrigado amigo.
    Galo que um dia transmiti o acesso, idos de 1970, ao lado de Flávio Barbosa (conhece?), Osvaldo Davóli e Lauro Goriel.
    O goleiro era o Lôca, que até pegou penalti no jogo decisivo.
    Depois do jogo, chegando a Limeira, fomos comemorar no Recanto da Engenhoca, via Anhanguera, que vc conhece.
    bom fim de semana, amigo.
    abraço.

    ResponderExcluir