domingo, 1 de março de 2009

BISBILHOTAGEM DA INTERNET

Amigos, à respeito das imagens de bastidores das transmissões do Sportv em estádios brasileiros e que andam sendo mostradas em sites da internet, há vários pontos a serem analisados.



Entendo que o bom humor e a descontração em qualquer ambiente de trabalho são extremamente necessários. As brincadeiras entre colegas e amigos muito contribuem para um bom desempenho das atividades profissionais. E isto nós exercitamos no Sportv de coração aberto, felizmente.



Sobre as preferencias clubísticas dos jornalistas - talvez o alvo maior dos comentários - elas existem evidentemente e não podem ser confundidas com imparcialidade ou tendência do profissional quanto ao desempenho das suas atividades aos microfones.

Seria uma tremenda hipocrisia alguém concluir que um jornalista profissional não tem simpatia por essa ou aquela agremiação esportiva. Da mesma forma que os torcedores "gozam" amigos e colegas após uma rodada e seus resultados, assim ocorre no meio da cronica esportiva. É saudável. Faz parte do dia a dia do brasileiro.



Em resumo, tudo o que for comentado "fora do ar" faz parte de um bate papo normal de qualquer cidadão brasileiro que aprecia o futebol. Aliás, o futebol dá essa liberdade aos seus adeptos, ou seja, a de elogiar, criticar, gostar ou não de alguém que seja da roda do esporte.



Vem então a divulgação das imagens, raptadas de algum sistema ou com a conivência de alguém intimamente ligado às geradoras ou repetidoras, e nesse ponto é que entra o aspecto da "invasão de privacidade", se assim podemos definir ou tipificar o suposto "crime".



Seria a mesma coisa que instalarmos câmeras ocultas na residência de alguém ou num local de trabalho e depois divulga-las. É correto ou não? É ético ou não? Invade-se a privacidade ou não? Aí é que a questão suscita discussões e reflexões.

Me parece ser um "grampo" (tão conhecido nos meios investigativos). Parece ser o mesmo caso dos fotógrafos conhecidos como paparazzi, que invadem furtivamente a privacidade de personalidades para comercializar o fruto da bisbilhotagem.

Da mesma forma que os donos de sites se sentem à vontade para divulgar esses materiais, as pessoas envolvidas têm total liberdade de buscar na Justiça o ressarcimento de possíveis danos, sejam eles de qualquer natureza.

A verdade é que o mundo está envolvido por uma onda do "tudo pode", na qual as pessoas não medem as consequencias de suas atitudes. E a Internet veio fomentar essa irresponsabilidade, exatamente pelo seu suposto "anonimato". Quando se sabe perfeitamente que qualquer site ou blog pode ser identificado e investigado - além de notificado - a qualquer momento.

O assunto é extenso e mereceria outros espaços para análises e comentários.

De minha parte, sou solidário aos colegas que pretendem ajuizar ação na Justiça brasileira, menos pelo conteúdo dos materiais e mais para que enquadremos aqueles que se sentem livres e soltos para tentar denegrir a imagem dos semelhantes, gratuitamente.

Se entendermos que está "tudo bem" e deixarmos pra lá, a coisa toma vulto e amanhã "você" poderá ser a próxima pessoa envolvida em bisbilhotagem barata.





















8 comentários:

  1. Jota, assino embaixo!

    A minha opinião sobre o caso pode ser vista na coluna Papo de Mídia, do site Papo de Bola do amigo Edu César, deste fim de semana. Foi um texto em que eu escrevi como telespectador, estudante de jornalismo, e acima de tudo, como ser humano. Se você puder, Jota, dá uma passadinha lá no Papo.

    E quanto a invasões de privacidade, eu só complemento uma coisa: as mesmas pessoas que criticaram tanto os jornalistas do Sportv podem estar sendo vigiados por seus chefes, e isso pode ser, infelizmente, um ciclo vicioso para a nossa sociedade, um espiando o outro. Triste, amigo, triste.

    Jota, grande abraço e ótima semana!

    ResponderExcluir
  2. Jota,

    Está coberto de razão. Muitos esquecem que o jornalista é um cidadão comum. Que tem uma vida pessoal fora de seu local de trabalho.

    Esse assunto de bisbilhotagem é muito sério. É crime e deve ser investigado. Mas vale seu conselho para que todos, independentemente de suas profissões, fiquem ligados e tomem cuidao para não serem "A próxima Vítima". Parece novela, mas é realismo total.

    Um grande abraço,

    Fernando Richter.
    www.pbcomfernandorichter.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Jota, concordo plenamente com você, jornalistas esportivos são pessoas normais, e todos nos temos liberdade de expressão.

    Abraço, sou seu fã
    Kauê Baldin

    ResponderExcluir
  4. Jota, só acho que não é invasão de privacidade. Esses sinais são transmitidos via satélite sem qualquer restrição e podem ser captados como qualquer outro canal de tv aberto nos satélites. Não houve má fé na captação. Não foi via meios escusos. Para mim não tem nada de mais nos vídeos. O que as pessoas acham que vocês fazem antes da transmissão começar? Ficam imóveis e mudos até que entrem no ar?
    Agora, cá entre nós, que desleixo da engenharia da Globosat hein. Testa o sinal e fecha o áudio. Expuseram vocês à toa...

    ResponderExcluir
  5. Allan, Fernando, Cauê, obrigado pelos comentários. Valiosos, por sinal. Valeu pela solidariedade.
    Grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  6. Gilberto, concordo que não seja invasão de privacidade. Na verdade é uma exploração das imagens e de forma indevida, certo?
    Quando me refiro à má fé ou meios escusos na captação, refiro-me mais especificamente à gravação dela para depois ser exibida em sites ou blogs. Quem grava esse sinal é porque está com intenções nada saudáveis.
    E o áudio fica aberto a nosso próprio pedido, para nos comunicarmos na troca de informações e coordenação.
    Abraço, amigo.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  7. Jota,

    Eu não concordo que quem grava essas imagens realmente tem más intenções. Eu, por exemplo, gosto muito das coisas sobre os bastidores da TV e, especialmente, da impressa esportiva. Por isso eu sempre leio o Papo de Mídia já citado aqui. Na minha opinião, o problema está na consciência das pessoas que assistem. A grande maioria dela se revolta ao saber que o narrador A torce para o time B e o comentarista C torce para o time D. Pior ainda, quando vocês, que são jornalistas e torcedores (fora das câmeras) tiram as mesmas brincadeiras aí entre vocês que os torcedores entre si, como acontece nessas imagens e nos cometários abaixo dela no youtube.

    Para encerrar, foi muito bonita a homenagem que os seus colegas de trabalho lhe prestaram no dia do seu aniversário. Felizmente ela foi feita ao vivo e eu pude vê-la, caso contrário eu teria que imaginar como foi nos bastidores.

    Um forte abraço.
    MARCOS PAULO

    ResponderExcluir
  8. Marcos Paulo, obrigado pelo seu comentário, seu ponto de vista. Muito interessante. Apareça sempre, amigo.
    Abraço !!!

    ResponderExcluir