sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

OESTE X SANTOS NO PACAEMBU

Surge a polêmica sobre o jogo Oeste x Santos ser disputado no Pacaembu e não na cidade de Itápolis, uma vez que o mando é da equipe do interior.

O argumento de muitos é que a conveniência das duas equipes em atuar na Capital paulista poderá prejudicar terceiros interessados (aqueles que ainda sonham com vaga nas semifinais).

Muricy Ramalho, por exemplo, disse que não está certo. Não gostou dessa mudança. Mas na coletiva do técnico tricolor o repórter Luis Henrique Gurian foi muito feliz ao dizer que escalar time reserva na competição também provoca algum prejuizo aos concorrentes (caso do São Paulo quando joga a Libertadores).

O competente treinador sãopaulino ficou visivelmente desarmado com o argumento do jornalista.

Não vejo nenhum problema da partida ser jogada no Pacaembu. O peixe é favoritaço tanto em São Paulo quanto em Itápolis. Com o detalhe de que o estádio do Oeste é acanhado e no Pacaembu a perspectiva de excelente arrecadação é enorme.

Já tivemos Santo André x Palmeiras em Ribeirão Preto, Corinthians x Noroeste saindo de São Paulo e indo para Presidente Prudente, o Peixe deixando a Vila e pegando o Botafogo no Pacembu, além do clássico Palmeiras x Corinthians no dia 8 de março também no interior.

Faz-se muita espuma com assuntos pequenos.

5 comentários:

  1. Mas Jota, nós que defendemos os campeonatos estaduais sempre lembramos, além da tradição das competições, que é a única chance do povo do interior ter em suas cidades os times grandes. Se os times considerados "pequenos" começarem a trazer os jogos para a capital, o Estadual perde o sentido em partes.

    Agora, há também um caminho inverso. Os grandes estão mandando jogos no interior. Na minha opinião, desvirtuaram-se um pouco os conceitos de mando.

    abraço Jota!

    ResponderExcluir
  2. Vc está certo, Allan. Mas me parece que nesse caso do Oeste, a Polícia e o Corpo de Bombeiros locais não teriam liberado os 15 mil lugares do estádio de Itápolis e a diretoria ficou preocupada em receber o Peixe tendo que colocar à venda um número reduzido de ingressos.
    Foi o que ouvi do presidente do Oeste na Jovem Pan após o jogo com o São Paulo.
    abraço amigo e bom fim de semana !!!!

    ResponderExcluir
  3. É verdade, Jota, eu agora recebi a mesma informação. Sendo assim, realmente se justifica a mudança. Mas eu penso que o jogo deveria ser em cidades do interior, mas aí o pensamento da diretoria do Oeste foi realmente trazer o publico (e a renda) da torcida do Santos da capital. Coisas do futebol...

    Jota, um ótimo fim de semana para você, e eu estarei acompanhando as transmissões, como sempre!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. Jotinha, amavelmente discordarei um pouco. Li um comentário do Cosme Rímoli que tem lógica e com o qual, pensando com meus botões, concordei: segundo ele, o Santos não teria tanto poder de atração em Itápolis por esta ser uma cidade mais predominante de corinthianos e palmeirenses, fora o baixíssimo público do Oeste em seus jogos - o que, em casos assim, pode sim afetar de alguma forma o rendimento em campo (não afirmo que afete, ponho no condicional que pode afetar).

    O que eu não gosto nessa história é o olho grande aberto pelo Oeste - isto é, da empresa que gere o futebol do clube - em querer faturar sem se preocupar com seu próprio prejuízo técnico. Atentaram para os 20 mil fãs do Santos no Pacaembu em pleno domingo de Carnaval e pensaram: "é uma mina de ouro! Já que não ganharemos nada nesse campeonato, ganharemos dinheiro à custa dos outros."

    É cruel meu pensamento, Jota, mas não duvido que seja verdade, sabendo da índole que infelizmente marca a plena maioria dessa gente que toca o nosso amado esporte bretão. Por isso que amavelmente discordo da tua posição.

    ResponderExcluir
  5. Edu, por favor fique à vontade para discordar sempre. Seus argumentos e do Cosme são perfeitamente válidos. O princípio do contraditório é que move o mundo e alicerça grandes decisões.
    Obrigado e bom fim de semana, amigo.

    ResponderExcluir