quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

KAKÁ, MILAN E A LIÇÃO DO "NÃO"

É uma pena que poucas vezes o capitalismo ( o desumano ) receba um sonoro NÃO e se frustre na sua falsa impressão de poder.

O caminhão de dinheiro que os árabes ofereceram ao Milan e Kaká não foi suficiente para convencer as duas partes. Quando a maioria esperava que clube e jogador bateriam o martelo diante de oferta tão tentadora ( para muitos, irresistível ), eis que a negativa veio como uma ducha fria na cabeça das pessoas e entidades.

Serviu para refletir.

Até onde vai a força do dinheiro?

Ainda há pessoas que resistem à tentação do "vil metal", embora saibamos que Kaká já é um garoto materialmente rico e está em condições de recusar propostas tão vultosas como esta dos donos do petróleo. A decisão do jogador se fortalece na medida em que há cidadãos pelo planeta que têm muita grana e que não se saciam com o que têm, sempre querendo mais.

Pego, por exemplo, os casos de pessoas humildes, modestas, pobres até, que devolvem quantias importantes de dinheiro encontradas em locais públicos. Isso é equilíbrio, sabedoria, honestidade, crescimento espiritual, superioridade às tentações da matéria.

Sejam quais forem as razões que levaram o clube italiano e o jogador brasileiro a recusar a proposta dos donos do Manchester City, a atitude serviu de lição para muita gente e contrariou a forte corrente dominante de que dinheiro compra tudo.

Aconteceu no esporte, mas serviu de exemplo indicativo para todos os segmentos sociais.

** Fico imaginando a decepção dos árabes ao receberem o NÃO, e mais do que isso, o choque de perceberem que há outros fortes valores além do dinheiro.




5 comentários:

  1. JOTA,

    Que brilhante postura desse menino...
    Achei meio demagógica a doação do troféu de melhor do mundo à igreja, porém, desta vez o Kaká demonstra ser totalmente desvinculado das coisas materiais... belo exemplo. Aliás, ele que me perdoe, mas, me faz lembrar e muito São Francisco de Assis e sabendo que os evangélicos não aceitam os santos...fica meio estranho, mas, que lembra isto lembra!!!
    Tenho assistido suas transmissões... a dobradinha com o Zétti está cada dia "mais afinada"... quem sabe dia 25 eu ganho um presente de aniversário, com sua transmissão do Coringão na final... quem sabe?

    Forte abraço.

    PAULOFILÉ

    ResponderExcluir
  2. Com certeza, Jota!

    Acho que sempre nós devemos priorizar a nossa felicidade aos invés das coisas materiais. Tudo bem que dinheiro tem lá sua importância, mas Kaká tem sua vida financeira absolutamente consolidada, com ótimos patrocinadores e tudo mais. Ele preferiu o bem estar que ele sente no Milan. Isso é muito bom. Espero que mais jogadores e pessoas do mundo inteiro sigam esse exemplo.

    Já tinha visto isso no Jornalismo, quando o apresentador e editor-chefe do principal telejornal do Brasil teria recusado uma proposta da emissora concorrente que dobraria o seu salário, por estar bem na atual emissora, dizendo "Nunca sairei daqui".

    OBS: É bom esses árabes começarem a aprender que nem sempre conseguirão tudo com dinheiro.

    Abraço Jota!

    ResponderExcluir
  3. Jota,
    E se a proposta fosse do Real Madrid, Manchester United, Liverpool ou Barça ???
    Será que o bom menino negaria os milhões???
    Menos...

    ResponderExcluir
  4. HOJE DISSE NAO. DAQUI A 5 OU 6 ANOS, EM ESPECIAL DA COPA DE 2014 IRA CORRENDO PARA QATAR, JAPÁO OU AFGANISTAO PELA QUINTA PARTE DO VALOR OFERECIDO

    ResponderExcluir
  5. Zion, não sei te responder sob hipótese. O que sei é que Kaká e Milan disseram não à um montão de dinheiro e isto não é comum nos dias de hoje.
    Por isso o registro do fato.
    abraço
    jota júnior

    ResponderExcluir